VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Convidad em Qui 18 Nov 2010, 2:36 pm

Àquele que ama, tudo é permitido, diz Santo Agostinho.

A sexualidade, na ótica multidimensional, representa a força motriz que encadeia o desenvolvimento do ser. Desde suas origens, o ser humano possui as duas forças: a masculina e a feminina, uma traduzindo os impulsos de domínio, força e gerenciamento da razão nas ações de aprendizado e experimentação, enquanto a outra amplia no ser a noção de afetividade, doçura, encantamento e receptividade.

Quando estas forças estiverem integralizadas, se manifestando de maneira equilibrada no ser, esta criatura terá ultrapassado os limites da reencarnação, não necessitando mais de entrar no mundo corpóreo, podendo existir tão somente nas regiões etéreas.

Os angélicos caminhos do amor puro se iniciam nas ações do sexo primitivo, desde a aglutinação dos cristais, passando pela polinização nas plantas, no domínio da cópula voraz dos animais.

Na verdade, a sexualidade não está nos órgãos nem no corpo, mas na alma, como força motriz da criatividade divina de que todo ser é dotado pelo Criador.
E ela transcende os umbrais da morte física, manifestando-se no espaço extrafísico.

Ranieri, no livro O Sexo Além da Morte, descreve cenas e seres dantescos, cuja manifestação sexual beira as raias da animalidade mórbida, enquanto a exuberante pena mágica de Chico Xavier, manejada mentalmente por Emmanuel, nos premia com cenas de pura afeição e de entrega absoluta na obra Renuncia, onde Alcione é o anjo que incendeia o peito oprimido de um sacerdote, adestrando-o na Arte de Amar.

Sob o ponto de vista energético, podemos dizer que os relacionamentos resultam em interações de corpo vital, etérico e astral. Quando dois seres interagem sexualmente, por algum tempo há uma intercessão entre os corpos de ambos, estabelecendo laços que não são rompidos com facilidade, permeando as ações dos dois até que dissolvam todos os pontos de identificação. Há relacionamentos em que a ligação dos corpos vitais é tanta que ao deixar o corpo um dos companheiros, o outro se desvitaliza, permanecendo descompensado por um período. Esse processo pode criar obstáculo em novos relacionamentos.

Há casos em que a relação permaneceu apenas no corpo vital, sem qualidade espiritual, não atingindo os níveis etéreos e astrais, o que pode causar situações adversas. Uma delas, é que descompensada, a criatura transcende a dimensão física, buscando através do sonho ou de devaneios, relacionar-se com aquele que se foi para a outra vida. Este tipo de busca pode enquadrar as duas criaturas no universo perigoso dos íncubos e súcubos, onde seres de pouca moralidade se satisfazem sexualmente, imiscuindo-se no universo dos que habitam a Terra para sugar suas energias.

No entanto, se na relação predominou a interação dos corpos etéreos e astrais, com os sentimentos monitorando o interesse físico, então o padrão energético será superior, facilitando o desligamento quando ocorrer a morte de um deles.
: Wilson Francisco ::

Raios de Luz.
[i]
TÚ SERÁS ETERNAMENTE RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE CULTIVARES.

__________________________
___
_
Raio de Luar

I love you
: farao Arrow

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Qua 24 Nov 2010, 11:51 am

Olá Raio de luar.

Gostaria de contribuir com um texto dos Pleiadianos.
Deixo claro que concordo em grande parte com o texto, porém tem colocações que discordo completamente. Mas é sempre bom conhecermos outras idéias porque ao pensarmos sobre o assunto passamos a nos conhecer melhor, ao autoconhecimento. Tenho como norte na vida espiritual uma das frases mais marcantes de Sócrates:

'HOMEM, CONHECE A TI MESMO E CONHECERÁS OS DEUSES E O UNIVERSO'.

maria elisa


O PODER DA SEXUALIDADE HUMANA


Nos llamamos pleyadianos.



Permitid que a modo de introducción os digamos que somos viajeros a través del tiempo y de múltiples dimensiones. Somos un curioso grupo que intenta explorar los recovecos y escondrijos de la existencia, recorriendo colinas y valles cósmicos en busca de respuestas ante los majestuosos misterios de la vida. La existencia es una enorme red de energía y, aparentemente, existen direcciones, conexiones, sucesos y diversiones amenos, ilimitados e insólitos para ser explorados.

No obstante, en estos momentos nos encontramos en un lugar y un tiempo específicos (la Tierra durante los años que transcurren desde 1987 hasta 2012). Parece ser que durante este periodo de tiempo en este lugar puede producirse un logro extraordinario y que durante un breve plazo temporal se descubrirán y se revelarán algunos de los majestuosos misterios de la vida.

Estamos aquí para observar este suceso y participar en la grandeza del mismo. Nuestras perspectivas son multidimensionales tanto en lo que se refiere a su amplitud como a su alcance, ya que somos un extraño colectivo de energías conscientes que están extendiendo sus creencias de forma intencionada en lo que se refiere a la naturaleza de la existencia en muchos momentos del tiempo. Los cielos están repletos de vida, y, en nuestra búsqueda de conocimiento y una mayor comprensión de lo que somos, nuestro viaje nos ha conducido hasta vosotros.

Actualmente, la Tierra está experimentando una transformación tumultuosa de conciencia de la cual no tenéis evidencias históricas anteriores. Sin embargo, en los recovecos de la memoria celular existen muchas imágenes que os proporcionan pistas de una extraña familiaridad. Estáis profundamente inmersos en un tiempo de cambio crítico; la humanidad se encuentra próxima a una nueva comprensión del poder cósmico. Es evidente que muchos de nosotros estamos deseando saber qué haréis con este conocimiento.

En otras épocas, la naturaleza de este poder no se ha entendido adecuadamente y, en consecuencia, se ha utilizado de manera inadecuada, algo que inevitablemente os ha llevado a la autodestrucción. No obstante, los inmensos ciclos de la vida y de las etapas de aprendizaje continúan ofreciendo pacientemente las mismas lecciones; aunque pueda parecer que la vida se ha destruido, la conciencia perdura para siempre y tan sólo cambia de forma.

La humanidad se está acercando rápidamente al borde de un abismo de conciencia. Lo que hacéis ahora y vuestras elecciones determinarán el curso de una experiencia tan compleja y sorprendente que actualmente es imposible de imaginar. Una nueva revolución de conciencia está apareciendo. No podéis escaparos de la necesidad de manejar este poder: ni ahora ni nunca.

Gracias a nuestro espíritu aventurero estamos aquí para compartir con vosotros las visones con respecto a vuestras vidas, inmersas en un rápido cambio, para ofreceros nuestro apoyo, al mismo tiempo que algunas sugerencias en el manejo de esta energía tan increíblemente acelerada que está removiendo silenciosamente vuestro planeta.


LOS PLEYADIANOS



Todo se compone de energía que está en constante movimiento.

Desde el interior de vuestras células y átomos hasta la lejanía del multiverso, el campo de la existencia es una continua expresión creativa, un magnifico baile de energía cósmica inteligente. Durante estos tiempos de energía acelerada, vuestro mayor reto consiste en aprender a manejar la energía sutil para poder evolucionar hacia la siguiente fase, que consiste en la toma de conciencia.

La energía asume muchas formas que vosotros tenéis que aprender a manejar sabiamente, ya que cada nivel de la expresión creativa de la realidad sólo es óptimo cuando está en armonía con la ley cósmica.

El campo de la existencia se compone de la conciencia colectiva, que está unificada, por una parte, pero, por otra. se divide en partes individuales. Cada una de ellas aprende de sí misma gracias a la curiosidad y la separación. Con el propósito de iniciar experiencias creativas viaja a nuevos territorios y luego vuelve repleta de percepciones únicas y diferentes expresiones de energía que contribuyen a ese baile.

La conciencia aprende de sí misma a todos los niveles. A lo largo del recorrido que realiza vuestro sistema solar por nuevas áreas del cosmos, se va encontrando con patrones de conciencias que bailan en aquella zona del gran mar celestial. Las partículas cósmicas son inteligencia viva que llevan patrones y códigos de conciencia que estimulan una tremenda actividad en los ciclos. A nivel personal, entrar en contacto con estos códigos hará que aparezca un profundo anhelo en vuestra mente subconsciente para sanarse y volver a la unidad, alineándose con el conocimiento de que la vida es un sagrado viaje de vuestra elección que os conduce a las profundidades del baile de la creación.

Conforme vayan pasando los años, muchos cambios sorprendentes ocurrirán en la Tierra para mejorar la evolución de la conciencia humana. Actualmente estáis aprendiendo los aspectos de la realidad que. de alguna manera, mejorarán vuestros planes personales para la futura expresión de vuestra creatividad. Vuestro acercamiento siempre se basa en decisiones.

Si intencionadamente elegís la recuperación del poder, vuestra decisión notificará al campo de la existencia que estáis pidiendo una oportunidad para adquirir un uso perfeccionado de la energía con el fin de asumir las riendas de vuestra vida. Recordad que vuestras creencias establecen las condiciones para participaren esta realidad; ellas son el fundamento de las ideas sobre el que construís vuestra vida.

Esas creencias están interrelacionadas con capas de decisiones y acuerdos multidimensionales que habéis designado para explorar un aspecto específico de la existencia en la tercera dimensión que realzará vuestro ser espiritual con una visión creativa y única.

La energía sexual con respecto a lo que es y cómo la utilizáis puede contribuir a restaurar todo aquello que es sagrado y que falta en vuestra vida.

Parte del aprendizaje multidimensional está relacionado con las capacidades emocionales. Cuando tiene lugar el baile sutil de las emociones, invariablemente revela vuestras creencias. Las emociones son expresiones individuales y únicas de interpretación de las percepciones de la realidad. La inteligencia emocional, que puede ser uno de los aspectos más difíciles de la realidad física que deben dominarse, se aprende y se desarrolla gracias a la responsabilidad y la fiabilidad.

El mayor reto para un equilibrio emocional es la energía sexual, tal vez la energía más difícil y más peligrosa para entender, porque el poder del sexo puede crear vida, pero también puede destruirla. Como contribución a la sanación a lo largo de las líneas del tiempo, una exploración abierta y honesta de la energía sexual con respeto a lo que es y cómo la utilizáis puede contribuir a restaurar lodo aquello que es sagrado y que falta en vuestra vida.


Os pedimos que consideréis lo que habéis aprendido sobre vosotros mismos y la vida en general gracias a las experiencias sexuales y, más aún. ¿qué nuevas revelaciones os esperan en el horizonte de vuestra mente despierta? Cuando aprendéis a manejar vuestro cuerpo con confianza y elegancia, especialmente con respecto a vuestra sexualidad, alcanzáis mayor placer, creatividad, satisfacción y alegría en el propósito y el sentido de la vida.


El sexo es un baile de energías; es vuestro punto de contacto con la fuerza vital de la creación, además de una declaración de identidad en la realidad tísica. La sexualidad es un aspecto esencial de vuestra creatividad; cuando se basa en valores correctos, vuestra experiencia os ofrece romanticismo, pasión y confianza, compartir, intimar, placer, diversión, exuberancia, cuidado, amor y autoestima.

El territorio sexual es como un gran bosque lleno de misterios. El sexo es vida; sois sexuales y no podéis evitar vuestros genitales; sin embargo, vuestras creencias con respecto a la sexualidad pueden ser el origen de muchos conflictos internos y dar como resultando un bloqueo en lo que se refiere a la autentica comprensión de la misma. Creencias subyacentes sobre el amor y vuestro cuerpo pueden ser la causa principal que os evite el placer.

ESTE TEXTO CONTINUA...vou colocar em pequenas partes para não ser cansativo.
maria elisa
fadinha




Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re:VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Convidad em Qui 25 Nov 2010, 10:21 am

Olá querida Fadinha!! Grata! ótimo texto, achei importante abrir esse tópico... porque há muito que se explorar sobre esse assunto.
Muitas dúvidas e reflexão, podem ser sanadas por todos nós... com textos esclarecedor que podemos postar aqui.
Beijos ilumi
nados no coração. flower I love you Arrow

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Qui 25 Nov 2010, 11:21 am

Olá Raio de luar.

Fico um pouco preocupada por estar escrito em espanhol, mas é um texto longo para traduzir.
Vou colocar aqui mais um trecho, este achei muito importante especialmente por que diz que a expressão sexual também depende na crença do que você é, do que você vale.
Certamente.

maria elisa

"Vuestra expresión sexual está condicionada por lo que creéis que sois, además de por lo que creéis que valéis.

Las relaciones sexuales no ocurren al azar; existen momentos en los que los encuentros sexuales pueden establecer un puente con las líneas del tiempo y aparecer relaciones amorosas simultáneas, u otras situaciones que necesitan soluciones de otras dimensiones. ¿Os ha ocurrido alguna vez que durante el acto sexual habéis creído «conocer» a vuestra pareja de otro tiempo, de otro lugar y con otro aspecto físico?

La energía sexual también es una apertura kármica a vuestra personal línea del tiempo y especialmente durante estos tiempos de aceleración (en los que parece que se viven cientos de vidas a la vez), puede que atraigáis gente de las vidas pasadas para crear una experiencia especifica con el único propósito de cercar algún tema pendiente.

Al entrar en otro nivel de conciencia podéis reinterpretar eventos con mayor claridad y liberar bloqueos de la energía victima/verdugo que os mantiene a vosotros y a otros en un patrón que gira incesantemente en torno al mismo tema, pero sin llegar jamás a un perdón que os podría nutrir. Abrazad vuestro poder para sanar vuestra identidad sexual.

Durante este nanosegundo, ha llegado el momento de verlo lodo con mayor claridad. El final de la realidad está presente y lo mismo sucede con vuestras experiencias sexuales.

En la sociedad de hoy en día, los medios de comunicación más duros incluso utilizan el sexo como una mercancía para dirigir vuestra atención diciendo que vais a ser más atractivos sexualmente si compráis o hacéis aquello que se os sugiere en ese momento; sin embargo, el sexo sigue siendo una elección privada y muy personal.

Antes de que aprendáis sobre el sexo y lo experimentéis, debéis saber que es uno de los misterios más importantes de la vida; sin embargo, una vez encontrado el misterio, puede hacer que aparentemente os perdáis en la energía psíquica que aparece inevitablemente con la sexualidad. El territorio sexual puede abarcar desde una parte de vuestra identidad fragmentada. aislada y llena de dolor a una parte extática, evolucionada, con una oportunidad de integración de la conciencia mental, física, emocional y espiritual.

En esencia, la energía sexual es una expresión personal de la energía primaria bruta que está almacenada en vuestro cuerpo; es la energia más vital que tenéis a vuestra disposición debido a que es la expresión creativa más importante para vivir y vitalizar vuestra vida. Durante estos tiempos de transformación. el sexo es una versión extremadamente devaluada con la que se está comerciando en un intento nada sutil de apartar las masas de los aspectos sanos, vigorosos, amorosos y edificantes de una unión sexual.

Mucha gente está actualmente muy asustada con respecto a sus genitales y/o obsesionada, y por ello se distancia de una de las experiencias espirituales mayores que puede vivir un ser biológico. Esto evita que tanto vosotros como el propio planeta disfrute de una verdadera abundancia de salud, riqueza. felicidad y paz mundial.

En algún nivel de la realidad estructuráis vuestros parámetros de disponibilidad (para qué estáis disponibles y para qué cosas no estáis disponibles en esta vida).

Sin embargo, en la realidad física, como bien sabéis, en la mayoría de los casos no tenéis ni idea de lo que habéis puesto en marcha antes de venir aquí. De acuerdo con la alianza colectiva de la realidad de la tercera dimensión, todas las formas de vida que habitan en la naturaleza están programadas para procrear. Crear vida a través de la expresión sexual imprime el código del ADN con una experiencia de percepción de cada generación, lo que construye y renueva los registros de la biblioteca viviente de la Tierra. Estáis compuestos de capas de energía conectadas con el ser espiritual que viaja por las diferentes realidades.

Cuando venís a la Tierra, os adaptáis a una serie de acuerdos colectivos y aceptáis expresamente un cuerpo con la identidad de un sexo u otro como vehículo que os permita vivir la realidad física. Vuestro ser espiritual se conforma con cualquier marco del tiempo gracias a la impronta celeste que recibe vuestro cuerpo a la hora de nacer, lo que incluye también un sistema de creencias colectivas de vuestra cultura en particular, además de las creencias genéticas de vuestra familia y de la comunidad local.

Aceptar vuestra expresión sexual es un acuerdo colectivo que esencialmente sirve a la continuidad del experimento energético que es la tercera dimensión. Cuando engendráis, creáis vida y contribuís con datos a la biblioteca viviente, asegurando de este modo la continuidad de esta versión del juego de la conciencia.

Aunque el sexo es importante para la continuidad de vuestra especie, siempre podéis elegir si os apetece expresar vuestra energía sexual o no con el propósito de crear vida, y, si procrear forma parte de vuestro plan, podéis elaborar un acuerdo específico que os ayude a seguir adelante con vuestras intenciones.

El sexo está relacionado con atraer a una pareja dispuesta a trabajar con vosotros en un tema en concreto que es prioritario para vuestro crecimiento y vuestra transformación.

El poder y el uso de la energía sexual son mucho más complejos que una atracción física que se basa en la buena apariencia y un estatus social. La energía sexual es como el dinero; la base de vuestra riqueza personal y autovaloración está relacionada con cómo manejáis vuestra energía sexual y el valor que dais a vuestra experiencia.




Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

RE:VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Convidad em Sex 26 Nov 2010, 9:14 am

Olá querida Grata!! olha vamos sugerir aos irmãos o tradutor da Google que é muito bom...você coloca o texto e no idioma que quer traduzir e pronto.
No meu caso como uso já o google como navegador padrão...entra automáticamente a tradução de textos.
B
eijos no coração. flower I love you Arrow

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Qua 01 Dez 2010, 9:43 pm

O tradutor do Google é tudo!

maria elisa

contnuação...

Cuando se produce una atracción sexual entre dos personas, éstas responden a un intercambio telepático de energía y al reconocimiento de la disponibilidad de la otra persona. La identidad sexual tiene su propia frecuencia, y vuestros valores respecto al sexo se transmiten al campo de la existencia, normalmente sin que vosotros o la otra persona seáis conscientes de este proceso. Encontraréis vuestra pareja cuando sigáis vuestros intereses e impulsos.

Debido a que el pensamiento y los deseos siembran vuestras intenciones en el campo de la existencia, os daréis cuenta y os sentiréis atraídos por alguna persona con la que tenéis algo en común. El sexo está relacionado con la atracción de una relación de pareja; las relaciones enriquecen el crecimiento personal y el desarrollo; por ello, atraeréis a una persona que esté dispuesta de algún modo a trabajar con vosotros con respecto a determinado tema que sea primordial para vuestro crecimiento personal y vuestra transformación.

Aunque las relaciones personales pueden estar repletas de retos, tenéis que valoraros lo suficiente para atraer a alguien que os valore a vosotros y a aquello que tenéis que ofrecer. La calidad del amor que recibís hace patente el valor que os dais a vosotros mismos.

Gracias a la intimidad de la unión sexual empezaréis a «conoceros el uno al otro», y, con gran honestidad y buenas intenciones de explorar los asuntos no resueltos, éstos se podrán solventar debido al intercambio de energía que tiene lugar. El riesgo presente en una relación personal consiste en permitirse ser vulnerable y menos centrado en «hacer», sino en «recibir», en lugar de controlar; actuar de esta forma hará que encontréis una mayor conexión espiritual gracias a la entrega sexual.

El sexo estimula los chakras para que se abran y proporcionen una alineación con la nueva corriente energética que representa vuestra pareja. Juntos compartís y os fusionáis en el campo energético gracias al acto íntimo de compartir vuestros genitales y, con cada orgasmo, penetráis más en la psique de vuestra pareja.

Vuestras creencias con respecto al cuerpo, conscientes o no. determinan la naturaleza de vuestra experiencia sexual. Sensaciones de miedo o vergüenza constituyen un indicio de que existen memorias dolorosas no resueltas que energetizan vuestro campo de intenciones y califican las condiciones de vuestra disponibilidad.

La energía sexual amplifica vuestra frecuencia en el campo de la existencia. Si mantenéis una relación personal que os deja exhaustos energéticamente y/o las peleas son continuas, lo mejor que podéis hacer es intentar identificar conjuntamente el problema y resolverlo desde la raíz, después de reconocerlo como símbolos y señales de bloqueos energéticos. Recordad que el miedo es la causa principal de que la energía se bloquee, y vuestro poder termina donde empieza el miedo.

A veces vale la pena dedicarse a resolver un asunto y, otras veces, es conveniente seguir avanzando con elegancia. Debéis tener ganas de reconocer y ver lo que funciona y lo que no funciona.

Vuestros asuntos tienen muchas capas de significado, pero, al final, todo se reduce a cómo manejáis la energía.

Cuando confiáis en vuestra naturaleza sexual, os abrís a explorar un territorio rico en placeres sensuales y atraéis a una persona que piensa lo mismo; además, los dos emitís una frecuencia que refleja vuestras energías combinadas. Si vosotros y vuestra pareja consideráis que una vida sexual satisfactoria forma parte de una relación personal exitosa, entonces la exploración de la energía sexual aportará todas las lecciones y pruebas necesarias para que comprendáis que el sexo abre las puertas de la conciencia espiritual, donde las cualidades del amor, de la confianza, del respeto, de la autonomía y de la admiración mutua se ven incrementadas.

Reír juntos es una señal de que la relación va bien.

Desde la perspectiva del poder recuperado, el sexo es una diversión sagrada y maravillosamente divina; es una actividad natural que aporta vigor, estimula y ofrece placer mental, físico y emocional y. además, favorece una conexión con la mente cósmica. La expresión sexual es esencial para una salud radiante y para el bienestar. sobre todo cuando existe autenticidad, confianza y amor, ya que supone una conexión personal con el cosmos, puesto que se abren puertas que permiten vislumbrar los misterios sagrados del multiverso.

Vuestros genitales son la versión corporal de un lugar sagradoLa mejor manera de acercarse a la energía sexual es ser consciente y darse cuenta de que se trata de un acuerdo entre dos personas para crear placer dentro de las fronteras de la integridad personal (con respeto hacia vuestros propios valores morales, pero también hacia los de la sociedad).

¿Os habéis fijado si vuestras expresiones sexuales respetan la honestidad. la integridad y vuestra privacidad y la de los demás? ¿Habéis comprobado si vuestras experiencias incluyen más que tan sólo el deseo?

La energía sexual es una energía psíquica y, cuando practicáis el sexo con alguien, adoptáis literalmente el campo energético de vuestra pareja.

Olá...

Fiz uma pausa nesta última frase por causa da importância do seu significado.
É uma advertência? acho que sim...ao fazer sexo estamos adotando o campo energético do nosso par e...também ...o campo energético da pessoa com a qual ela se relacionou sexualmente antes. Dizem que é necessário uma pausa mínima de 21 dias entre o sexo com uma e outra pessoa para não ter esse campo energético de uma terceira pessoa aderido ao nosso. Imagino que nesse campo energético esteja todo o carma da pessoa.
Já pensou? ficar um tempão com o campo energético de outra pessoa aderido ao nosso?
É bom pensar antes.

maria elisa
.





Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

RE:VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Convidad em Qui 02 Dez 2010, 10:32 am

Olá minha irmã Fadinha!! Gratissima por esses maravilhosos textos, falando de um assunto tão importante... e que causa tanta polêmica por falta de informação e esclarecimento.
Esses textos que você nos trouxe, é simplesmente divino...adorei e já repassei também.
B
eijos no coração. flower I love you Arrow

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Sab 04 Dez 2010, 10:18 pm

Olá, querida...

é verdade, este texto é ótimo e faz com que a gente reflita e não automatize comportamentos. O conhecimento resulta em responsabilidade e consciência.
Consciência. É tudo.

Um abraço,

fadinha.


Continuando,

Cuando dos personas se unen y siguen juntas durante cierto periodo de tiempo, puede que se tornen muy telepáticos; a veces incluso pueden leer la mente del otro. En la confianza y la familiaridad de una relación a largo plazo, la intimidad sexual crea una estructura psíquica poderosa; es como limpiar los caminos que se adentran cada vez más en un bosque mágico.

Vuestros genitales son la versión corporal de un lugar sagrado y, cuando exploráis la sexualidad, abrís las puertas de un parque que alberga el sendero del poder dentro de vuestro propio terreno personal sagrado. La Tierra tiene un tesoro de zonas que se consideran sagradas debido a la confluencia de energías que ocurren de forma natural.

A lo largo de los tiempos, el campo fue amado y honrado por aquellos que podían ver y sentir el poder de estas energías y se enseñaban los unos a los otros cómo vivir en armonía y con respeto hacia las fuerzas de la creación.

La energía sexual es igualmente sagrada porque es el poder de la creación y, dentro de vuestro cuerpo, es la fuente de la fuerza más poderosa que debéis dominar. Cuando establecéis fuertes fronteras y adoptáis vuestra sexualidad con un claro intento consciente basado en diversos valores, la experiencia de vuestro lugar sagrado será muy importante.

No obstante, el sexo también puede ser una navaja de doble filo. Conforme os vais adentrando en el estado del amor sexual, se pueden estimular sentimientos extraordinarios que os maravillarán debido a las increíbles capacidades de vuestro cuerpo para producir respuestas químicas que alteran el estado de conciencia.

Las hormonas de la felicidad celebran un rito para que mantengáis una vibración de gozo amoroso. El amor y el éxtasis que experimentáis con otra persona crean una química sexual importante y. si no se produjera esta seducción de hormonas geniales. resultaría mucho más fácil dar la espalda a cualquier relación personal con todas las complejidades que supone.

En astrología, la pareja y el matrimonio son gobernados por el equilibrio y la belleza de Libra, mientras que la energía sexual con sus aspectos profundos de transformación se adjudica a Escorpio y Plutón. con toda la razón del mundo (la energía sexual hurga en la psique para rebuscar viejos temas no resueltos). La actividad sexual arranca secretos y temas relacionados con el poder y puede que existan tiempos en los que los descubrimientos parecen oscuros y amenazantes.

El sexo puede hacer que aparezcan todos vuestros miedos, pero, si lo entendéis como una oportunidad para trabajar con ellos, y esto implica escuchar y hablar con honestidad y confianza, seréis capaces de experimentar experiencias mucho más extáticas con vuestra pareja. Cuanto más compartís, más bella y más intensa será la relación.

Abrir vuestro lugar sagrado para la actividad sexual es un acto de entrega a vuestra vulnerabilidad, porque puede abrir antiguos dolores emocionales, creencias limitantes y bloqueos energéticos (resumiendo, cualquier cosa que obstruya y enmarañe la elegante belleza de vuestro lugar os evita funcionar como un ser humano integrado).

La expresión emocional es esencial para el desarrollo de vuestra inteligencia; por ello, parece claro que los temas emocionales surgirán antes, durante y después de hacer el amor. Las emociones proporcionan el aliciente a vuestros pensamientos, y. mientras estéis ocupados con una actividad sexual, vuestros pensamientos serán amplificados.

La telepatía está muy presente en el dormitorio y no importa si su existencia es conocida o no. Recordad que podéis engañaros a vosotros mismos, pero no podréis engañar a los demás con vuestra frecuencia y. mientras la energía sigue acelerándose, el «saber» compartido entre dos personas es especialmente elevado. Aunque vuestra vida sexual sea «tórrida bajo las sábanas», no hay duda de que tendréis que enfrentaros a los temas emocionales que el sexo provoca y esto es así porque no se puede mantener una relación sin involucrarse emocional y psíquicamente.


Los sentimientos deben sentirse, y aceptar la responsabilidad de cómo os encontráis no sólo os pondrá en contacto con vuestras creencias, sino que también posiciona vuestro poder. Puede que existieran tiempos en los que realmente os divertíais a nivel físico, de modo semejante una ola gigantesca de emociones tan rápida y volátil como una tormenta de verano durante una tarde calurosa y opresiva.

Los temas emocionales deben solucionarse: de lo contrario, os alejaréis de vuestra pareja, o proyectaréis fuera vuestras historias, haciendo responsable a la pareja de vuestros sentimientos y creando un ciclo infinito de un baile de víctima/verdugo debido a una total inconsciencia de vuestro poder. La actividad sexual es la verdadera razón por la que se remueven las cosas.

La energía sexual siempre hará aparecer emociones reprimidas, porque activar el segundo chakra evidentemente creará actividad en el tercer chakra.

Destaquei dois trechos: o primeiro se refere ao poder de criação do sexo. Dizem que o processo carmico das famílias é transmitido pelo chacra da criação, o segundo chacra, através do sexo.
O segundo trecho se refere ao segundo chacra, o sexual que ativa o terceiro chacra, o das emoções, por ressonância.

fadinha




Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Dom 12 Dez 2010, 10:21 am

cont.

Recordad que atraeréis a otra persona por buenas razones y, si podéis elaborar las dificultades con la intención de convertiros en mejor persona y hay terreno común para construir, el sexo creará una unión muy fuerte con vuestra pareja, una unión que puede restaurar y revitalizar vuestra identidad, sanando el cuerpo, la mente y el espíritu.

Vuestra expresión sexual es parte del aprendizaje de cómo manejar vuestra computadora biológica: cómo se debe guiar y con qué se la debe alimentar.
Veríais la vida mucho más clara si fueseis más amables en el análisis de vuestras experiencias sexuales. Si sois demasiado críticos con respecto a vuestra actividad sexual, os perdéis el aprendizaje de que algunas actuaciones conducen a resultados placenteros y elevados, mientras que otras tienen como consecuencia un estado de confusión y negación, pues entroncan con la traición, la falta de respeto, la manipulación, la violación y la destrucción.

Debéis valorar vuestras experiencias sexuales, aunque algunas pueden ser difíciles de aceptar. Estas experiencias os ayudan a saber quiénes sois verdaderamente.

Vuestra expresión sexual es parte del aprendizaje de cómo manejar vuestra computadora biológica: cómo se debe guiar y con qué se la debe alimentar, qué le proporciona placer y qué os hace sentiros miserables.


Cuando activáis la energía sexual,

¿En qué pensáis?

¿Sois conscientes de lo que pasa en vuestro cuerpo a nivel celular?

¿Qué siente vuestro corazón y qué sensación tenéis en vuestros genitales?

¿Qué más ocurre, además de los aspectos obvios, externos y físicos de la experiencia sexual?

¿Cómo os sentís en los días posteriores a la actividad sexual?

¿Vuestras emociones son estables o fluctuantes?

¿Voláis más alto que una cometa u os sentís como si os hubierais metido en un cubo de basura y flotarais sin rumbo?

¿Qué estáis pensando?

¿Os atraen cienos pensamientos cotidianos?

¿Cómo está vuestra energía uno o dos días antes de un encuentro sexual?

Gracias a la energía sexual liberáis ligeramente vuestros sentidos con respecto a la realidad 3D, ya que el tiempo parece estar suspendido y vuestros sentidos psíquicos se activan y leñéis una mayor conciencia de vuestras habilidades precognitivas.

En un estado de clarividencia, y con todos los sentidos agudizados, podéis sintonizar con diversas versiones de la realidad o, incluso, vislumbrar esbozos de vidas simultáneas. Puede que veáis gente que conocéis y os deis cuenta de lo que están haciendo. Cuando leñéis una experiencia sexual, el vórtice energético que se crea puede abrir puertas a visiones multimensionales de la realidad, y catapultaros a memorias anteriores a esta vida o a otras líneas del tiempo.

Tenéis que aprender a prestar atención a cómo el sexo altera vuestra frecuencia y cómo afecta a vuestro personal campo energético. Pero lo más importante de todo es que debéis preguntaros acerca del sentido y el propósito de las cosas con las que sintonizáis.
La atracción sexual crea muchísima energía entre dos personas: sin embargo, para construir verdaderamente una unión sólida, la confianza entre las parejas sexuales es importante para apreciar más aún la intimidad. Incluso un suave tacto o un intenso contacto visual, crea un campo de alto voltaje eléctrico y energía psíquica que estimula niveles de excitación que culminarán en un mejor sexo.

Los rituales íntimos (tocarse, explorarse, besarse. frotarse, hacerse cosquillas, lamerse, acariciarse, abrazarse y cuidar el uno al otro) estimulan la excitación a nivel celular, que enciende y apaga los genes. En el estado de excitación sexual, cuando la relajación es cada vez más profunda, desconectáis vuestra mente y vuestro cuerpo relajando vuestro apego consciente a la realidad física y permitiendo a las células acceder a códigos de conciencia que expresan más de lo que realmente sois.
Durante una experiencia sexual estáis imbuidos, abrazados, ocupados y cautivados. La próxima vez, intentad observar qué más está ocurriendo energéticamente. Junios, podéis alargar la sensación de placer y adecuarla para prolongar el orgasmo. y, mientras estáis en medio de este gozo, podéis aprender a focalizar vuestra atención en la sensibilidad agudizada.

Entre dos personas siempre ocurren muchas más cosas a un nivel no físico de lo que tiene lugar en la realidad 3D; sin embargo, traducir y comprender estas sensaciones efímeras puede resultar difícil porque vuestro cuerpo físico y vuestra respuesta emocional con frecuencia ocupan el primer plano alejando las sensibilidades dimensionales.

Con la misma atención que usáis para recordar sueños, centraros en captar la experiencia de las múltiples capas inherentes a una experiencia sexual. Después de un encuentro sexual se suele tener una mayor profundidad psíquica con la pareja y también con el enlomo, hecho que aumentará cuantas más veces practiquéis el sexo. La energía sexual-psíquica os permite la experiencia de la realidad desde un punto de vista más amplio.

Puede que a veces tengáis la sensación de salir de vuestro cuerpo durante algunos momentos y convertiros en otra persona. La comodidad familiar del dormitorio puede desaparecer de repente y encontrarnos tumbados en el suelo, observando el cielo desde la cima de una montaña cubierta de hierba corta y suave.

Puede que estéis tumbados bajo un cielo nocturno con miles de luces centelleantes (las partículas cósmicas pueden transmitir códigos de conciencia que exciten a vuestras células) y os sintáis uno con el baile de la energía cósmica inteligente.

Cuando aparezca una fuerte impresión sobre algo, compartidla con vuestra pareja: charlas de alcoba, risas espontáneas y amables chistes abren la puerta a la intuición psíquica. Cuando verdaderamente valoráis la energía producida gracias al sexo inteligente, progresáis con mayor rapidez en la comprensión de quiénes sois y cómo la energía sexual agudiza vuestros sentidos para funcionar más allá de los confines del tiempo lineal.

Recordad que la comprensión y la conciencia basada en la aceptación de la responsabilidad de vuestra vida puede extenderse a muchas realidades en forma de frecuencia de recuperación del poder personal para contribuir a la sanación a lo largo de las líneas del tiempo.

También es posible desarrollar un gran entendimiento de los matices energéticos a través de los ciclos de la Luna. La fase creciente, desde la Luna nueva hasta la Luna llena. está repleta de energía (que magnifica, alarga, aumenta. extiende, distribuye y acelera) y, en la fase menguante. desde la Luna llena hasta la Luna nueva, se produce una caída energética, uno se siente cansado y agotado y pretiere retirarse a lo etéreo. La Luna completa pasa por los 12 signos del zodíaco cada 29,5 días y cambia de signo cada 2,5 días.

La Luna con sus ciclos rápidos de órbita alrededor del zodiaco envía patrones específicos de energía cada mes, y esto tiene mucho que ver con vuestro humor y vuestra conducta. En algún nivel de la conciencia siempre respondéis a los efectos de los ciclos lunares y planetarios; dependiendo de cómo interpretéis estas influencias ejercerá un importante impacto con respecto a vuestras experiencias sexuales.

La Luna ejerce gran influencia sobre vuestras emociones; por ejemplo, cuando está en Cáncer, os apetece quedaros en casa, acomodados en el sofá y seguros; cuando está en Leo, es la hora del romanticismo y los juegos, acompañados de una sensación de excitación. En Virgo, es el momento de la gran limpieza y de estar totalmente presente; pueden aparecer quejas o perfeccionismo.

Cuando la Luna está en Libra, os sentís equilibrados, pero unos días después, cuando entra en Escorpio, vuestras emociones pueden ser más intensas, ya que la energía mueve los aspectos secretos de vuestra identidad, y, cuando llega a Sagitario, se desarrollan sensaciones que permiten comprender el cuadro más amplio y la sensación de responsabilidad se abraza cuando la Luna está en Capricornio.

El sexo puede hacer que aparezca toda clase de energías, y que surja un abanico de respuestas emocionales al acceder y establecer contacto con vuestras emociones como si se tratara de las teclas de un piano. Los colores blanco y negro también son símbolos que representan al hombre y a la mujer y. al igual que las teclas del piano, los colores son la clave para comprender la chispa de la vida que la polaridad de la energía sexual aporta.

La experiencia orgásmica os conecta con vuestro espíritu y reorganiza y revitaliza vuestras células.

El sexo es una de las expresiones más poderosas de vuestra biología, y el aspecto de más poder personal es la experiencia orgásmica, El orgasmo excita 3 todo el cuerpo a todos los niveles.

Las células del cuerpo responden como si se tratase de un poderoso gong que alinea el cuerpo y rellena los espacios con energía radiante. A veces se habla del orgasmo como «la pequeña muerte», ya que el orgasmo libera vuestra mente consciente de su rígida unión al cuerpo y, durante un corto período de tiempo, permanecéis flotando, suspendidos en un espacio entre la vigilia y el sueño; aquí es cuando vuestras células y partículas subatómicas experimentan libremente, junto con las capas de vuestra conciencia, un estado de exquisita sanación.

Gracias al sexo vuestras células se acuerdan de su propia vitalidad. La energía sexual está pensada para manteneros alerta; forma parte de lo que sana vuestro cuerpo. La experiencia orgásmica os conecta con vuestro espíritu y reorganiza y revitaliza vuestras células. Las hormonas que se liberan durante el acto sexual modifican el patrón de vuestras ondas cerebrales equilibrándolas e integrándolas para activar de esta manera la mente cósmica despierta.
La experiencia orgásmica puede ser una experiencia genital que implique a todo el cuerpo o una experiencia multicorporal y, al abrirse todos los chainas, os puede hacer viajar por el multiverso.
El orgasmo sirve para sanar el cuerpo; durante un orgasmo, refrescáis y revitalizáis todo a nivel celular y conectáis con la esencia de vuestro ser espiritual. Estáis suspendidos entre probabilidades con los diversos niveles de vuestro cuerpo (mental, físico, emocional y espiritual) elevados y alineados. En la cresta de la ola orgásmica, vuestro cuerpo late con tanta vitalidad que explota en la atmósfera, diseminando en el campo de la existencia lo que queréis y lo que pensáis de vosotros mismos.

Podéis aprender a focalizar vuestra atención para dirigir la energía del orgasmo mediante la sincronización de la respiración con la de vuestra pareja, y también podéis dirigir la energía con vuestra imaginación. Al igual que un surfero se monta en la gran ola que se agita en el océano, vosotros podéis pasar esa energía por los 7 chakras del cuerpo haciendo que salga por el chakra corona y se mueva hacia arriba. entrando y saliendo por las aperturas de los chakras cósmicos. mientras estáis totalmente presentes.

Enraizados firmemente y conectados el uno con el otro gracias a los 7 chakras corporales, podréis dirigir la energía que pasa por el octavo, el noveno, el décimo, el undécimo, el duodécimo y el decimotercer chakra hasta los misterios del multiverso.

Durante mucho tiempo, la gente ha utilizado el sexo para producir energía psíquica con el fin de traspasar las fronteras de la realidad física; con la pareja adecuada y en armonía con la ley cósmica, la energía sexual se puede utilizar para viajar a cualquier parte que deseéis.

Los elementos básicos para mantener una relación sexual sana y bien equilibrada son la confianza, la comodidad y la compatibilidad, además de la honestidad y la integridad.

Cuando os permitís amar y aceptar vuestro cuerpo y el placer almacenado en su interior, vuestra salud mejora. El orgasmo hace que tenga lugar una sanación a nivel celular, y la gente más sana tiene experiencias sexuales de manera regular. El acto sexual provoca una respiración intensa que oxigena et cuerpo y expande su energía vital. Un aumento de oxígeno en la sangre mejora la sensación de estar presente y de la claridad mental. El hacer el amor aporta un buen empuje al sistema inmunológico; durante el orgasmo se liberan endorfinas que alivian el dolor, el estrés y la tensión.

El amor y una relación sexual satisfactoria van de la mano cuando existe una salud vigorosa y una vida más larga. Recordad que vuestro estado mental durante un orgasmo, junto con las creencias adoptadas, os permitirán viajar por los misterios sexuales. Cuando compartís un orgasmo en una relación amorosa y cuando hay confianza, se puede poner en marcha la sanación del cuerpo; una sana expresión sexual y una apropiada práctica con la persona adecuada puede reorganizar el cuerpo a todos los niveles.

La confianza crea una zona de comodidad en la que podéis conectar verdaderamente el uno con el otro. El sexo sana. ya que cuando estáis relajados y os encontráis en esta zona de comodidad y estáis abiertos al placer, podéis sentir verdaderamente las vibraciones de amor entre vosotros y vuestra pareja.

Cuando está presente la energía del chakra corazón, la energía nutritiva, sustentadora y regeneradora estimula las células para que respondan con un gran «¡Sí! ¡Esto es la creación! ¡Esta es la naturaleza primordial de la existencia! ¡Sí, eso es!» Esta sensación entre dos personas es la energía sanadora del sexo.
Recordad que el estado orgásmico crea una suspensión a nivel celular; os halláis ligeramente por encima de la gravedad y flotáis gracias a una profunda relajación.

Las personas que no tienen orgasmos nunca se relajan completamente y, si uno no se puede relajar por completo, se pierden los placeres multisensoriales de la vida. Nadie os debe un orgasmo si habéis sido incapaces de descubrir personalmente el placer orgásmico del propio cuerpo. Es una experiencia que os debéis a vosotros mismos; debéis entender lo que es un orgasmo aprendiendo cómo complaceros a vosotros mismos.

La sociedad ha creado tabúes con respecto al cuerpo; sin embargo, una cosa es que alguien te ate los cordones de los zapatos y otra totalmente distinta es hacerlo uno mismo.

Debéis conocer vuestro cuerpo; es vuestro. La idea de que el sexo es algo pecaminoso o que hay algo que no funciona bien en vuestro cuerpo es un ejemplo de los programas sociales sedimentados y de las creencias limitadoras. No obstante, os sentiréis bien, siempre y cuando sigáis a vuestro cuerpo con integridad.
El sexo es como un cohete; conectado a una intención consciente os puede proporcionar aspectos de la realidad que enriquezcan vuestra vida.
Lo más intenso que puede ofrecer la sexualidad es transportaros a las estrellas para vivir una experiencia remota.

Hace mucho tiempo, los hombres y las mujeres sabían cómo entrelazar sus seres espirituales con sus formas físicas para explorar la Tierra, la Luna y los planetas; sabían observar los patrones del clima y las actividades celestes o explorar una zona nueva y adecuada para vivir. Querían conocer a quienes ocupaban este plano de la realidad junto a ellos.

Sabían cómo conectar con familiares y amigos lejanos o ya fallecidos porque estaban conectados con el baile secreto y lo entendían. Los animales se movían con facilidad entre las dimensiones y se observaron, e incluso a veces se consultaron, ya que su sabiduría se conocía entre las diversas capas de la realidad.

El sexo es como un cohete; conectado a una intención consciente os puede proporcionar aspectos de la realidad que enriquezcan vuestra vida. Practicar el sexo con una persona amada es como subirse a una alfombra mágica y viajar donde os apetezca.

Cuando tenéis sexo, despertáis la energía kundalini de la fuerza vital que se encuentra enroscada al final de la columna, y la invitáis a que salga de su cueva y que os enseñe a bailar con la vida. La responsabilidad de conocer y entender vuestro cuerpo es vuestra; debéis conocer las maneras de tocarlo y colocarlo donde os aporte mayor placer, para permitir que esa energía suba por la columna vertebral y penetre como una espiral en la realidad.

Activar la energía kundalini mediante el placer sexual puede crear una apertura completa a dimensiones simultáneas que tienen una relación directa con la vida que estáis viviendo actualmente.

Un orgasmo con gozo extático localizado en los genitales puede hacer que la kundalini ascienda hasta el segundo chakra. Elevar la energía más arriba en el cuerpo se consigue ampliando el tiempo de placer, respirando profundamente, relajándose, entregándose a la alegría del proceso y utilizando la imaginación para ascender a la ola de energía.

Pensamientos que producen ansiedad debido a determinadas actividades reducirán el proceso. Cuando os relajéis y permitáis que vuestras sensaciones se desplieguen en el tiempo, lograréis producir más energía. Sed creativos con vuestra pareja y condicionad esa energía, con vuestra exploración del cuerpo y vuestro éxtasis sexual, a metas e intenciones en la vida.

También podéis enviar vuestra energía de amor para que los miembros de vuestra familia, así como los amigos y toda la humanidad, disfruten de paz en el mundo. La experiencia del segundo chakra puede ofrecer un gran orgasmo genital, pero no un orgasmo a nivel de todo el cuerpo, un orgasmo multicorporal, un orgasmo que abra todos los chakras ni tampoco un orgasmo multiversal; cuando la energía sube al tercer chakra, ambos notaréis las sensaciones de la zona abdominal y reconoceréis claramente el estado emocional del otro.

En una relación sana y a largo plazo, la energía subirá más allá del abdomen y alcanzará el cuarto chakra o chakra corazón, donde se encuentra el amor, la confianza y la admiración mutua entre la pareja.

Cuando el chakra corazón está abierto, dos personas pueden permanecer juntas toda una vida. Muchas parejas construirán una familia y se amarán de manera auténtica el uno al otro al haber establecido comodidad y honestidad en el quehacer diario. Si la energía no llega hasta el chakra de la garganta, nunca mencionarán sus verdades más profundas, ni escucharán las del otro.

Cuando hay energía en el quinto centro o cuando la kundalini ha subido hasta ahí, dos personas pueden comunicar verdaderamente lo que piensan y expresar sus miedos, alegrías, memorias y opiniones. Con este logro absolutamente importante, la energía kundalini puede moverse más allá del chakra garganta para activar el sexto y el séptimo centro energético de la mente superior.

Conforme la energía circula por vuestro cerebro. la fuerza del orgasmo (luye por todo el cuerpo produciendo intensas olas y sensaciones placenteras sucesivas. No se puede experimentar un orgasmo de todo el cuerpo o un orgasmo que abra todos los chakras en el caso de sexo no consensuado. La violación, el incesto y los rituales de culto que implican a niños y animales producen una frecuencia de energía sexual muy baja.

Los que participan en semejantes prácticas son. en la mayoría de los casos, poseídos por entidades que dirigen al humano para que lleve a cabo las actividades que desean los ocupantes. Puede que algunas personas obtengan gran placer con semejantes prácticas, aunque estén violando a otra persona. El placer combinado con el sexo depende de vuestros valores; no obstante, perseguir el placer no os da permiso de hacer lo que queráis.

El propósito de la aceleración implica el aprendizaje de cómo manejar la energía y, en la cuenta atrás hasta el año 2012, lo que se pone en movimiento regresa cada vez más deprisa al campo de la existencia. ofreciendo un feedback rápido con respecto a lo que estáis creando. Actuaciones negativas crean consecuencias negativas.

En estos tiempos, parte de la soñación de la humanidad implica reconocer y liberar los patrones disfuncionales que han pasado de una generación a otra.

Sois un producto de tendencias y, en estos tiempos, parte de la sanación de la humanidad implica reconocer y liberar los patrones disfuncionales que han pasado de una generación a otra. Estáis destinados a utilizar vuestra toma de conciencia para comprender el significado de estos patrones para luego sustituirlos por nuevas creencias que sean fieles a vuestra intención positiva.

Si venís de un linaje de personas que reprimían su sexualidad, estos códigos están almacenados dentro de vosotros, lo que no implica que tengáis que seguirlos. No estáis totalmente condicionados por las pautas de vuestros genes; no obstante, la programación de cómo explorar la vida y, sobre todo, la sexualidad, existe.

La energía sexual está profundamente codificada en vuestro cuerpo; es la energía bruta primaria. Las mujeres, en particular, han heredado un patrón de percepción que ha restringido sus capacidades y deseos de tener un orgasmo; de hecho, hay muchas mujeres que no han tenido jamás un orgasmo.

Algunas mujeres han aprendido a simular un orgasmo sin que nadie se diera cuenta porque sus parejas están demasiado ocupadas en satisfacer sus propias necesidades para prestar atención. Una mujer sabe que debe suceder algo y a veces finge gemidos y gritos, imitando los sonidos sin jamás sentir la excitación y pasión.

Una mujer simulará tener un orgasmo porque no conoce ni acepta a su cuerpo ni tampoco entiende lo que se está perdiendo. Los hombres disponen de una muestra externa de su excitación, y emiten su energía sagrada durante la eyaculación, que suele acompañar a un orgasmo. El contacto de la mujer con la parte sexual sagrada de su ser es un camino hacia dentro, hacia las oscuras profundidades misteriosas.

Debido a estas razones básicas, las dos identidades sexuales diferentes se han utilizado como base para entender el poder de la energía almacenada en vuestro cuerpo.

Para utilizar el cuerpo para una satisfacción óptima y, especialmente la satisfacción sexual, tenéis que estar presentes en vuestro cuerpo y ocupar cada una de las partículas de vuestro ser.

Aunque resulte evidente el sexo al cual pertenecéis, tenéis tanto una vibración femenina como masculina:

el lado izquierdo de vuestro cuerpo es regido por el hemisferio derecho

el lado derecho por el hemisferio izquierdo de vuestro cerebro

De acuerdo con la biología, vuestros genitales deciden la identidad que aprendéis a adoptar, aunque el grado de energía masculina y femenina puede variar. No hay errores en la biología ni tampoco hay en quiénes sois ni en la identidad que habéis elegido.

No os quedasteis en la última línea de una lista sin tener la posibilidad de elegir.

Cada una de vuestras vidas está entrelazada con las capas de propósitos y planes que están relacionados con una visión mucho más amplia de la realidad. Habéis sido hombres y mujeres a lo largo de vuestro viaje multidimensional a través de la forma humana y. aunque no recordáis conscientemente vuestras diferentes identidades, vuestros registros de las líneas personales del tiempo están guardados en las diversas capas de la mente subconsciente e inconsciente.

A veces, determinados talentos y habilidades crean en una mujer unas cualidades más bien masculinas y en un hombre características femeninas. Aceptarse a sí mismo no sólo es una clave importante para comprender vuestra identidad; también es una señal de una mente que despierta. Sois una expresión que vosotros mismos habéis elegido desde una forma más amplia de la conciencia que aprende de sí misma, gracias a las intrincadas maravillas del juego de la existencia.

En algún nivel, estáis predispuestos a vivir vuestra vida como un hombre o una mujer. pero cómo manejáis la energía a lo largo de vuestras apariciones en la realidad física y más allá definitivamente determina y os califica para lo que estáis disponibles.

La sexualidad y la sensibilidad psíquica se entrelazan de manera natural y. con la aceleración energética que activa un despertar espiritual en toda la humanidad, tanto hombres como mujeres en el mundo entero están rompiendo sus fronteras de creencias limitantes y patrones de pensamientos que habían atrapado y ahogado la mente creativa.

En general, las mujeres tienen una mayor tendencia a pasar su atención de una realidad a otra, y la mayoría de las mujeres lo hacen sin darse cuenta. Esa habilidad es inherente a la forma humana. Las mujeres también tienden a establecer una conexión más profunda con su estructura biológica y son psíquicas de forma natural debido a su ciclo de menstruación mensual, que suele comenzar en torno a los doce o trece años, y que finaliza a los cuarenta, cincuenta incluso sesenta años.

Cuando las niñas comienzan a ser mujeres, la aparición de la primera menstruación crea un vórtice energético psico-espiritual, un portal de poder personal relacionado con los ciclos de la Luna.

La gestación y el parto pueden modificar más aún la conexión que tienen las mujeres con su cuerpo. Desafortunadamente, a muchas mujeres se les han negado los placeres del cuerpo porque tanto a hombres como a mujeres se les ha enseñado durante amplios periodos de tiempo a considerar su menstruación de manera extremadamente negativa (y a aceptar irónicamente la sangre llena de dolor de la guerra).

Cuando las mujeres condenan su cuerpo por sus funciones naturales, no hacen otra cosa que atraer problemas físicos porque sus células siguen sus órdenes. Este desprecio y esa ignorancia de este proceso que proporciona la vida se han convertido en diversos malestares de la vida moderna. El ciclo menstrual es algo muy característico del cuerpo femenino y potencia la fertilidad, la energía de la diosa madre y, durante periodos especiales de cada mes, cuando aparece la menstruación, las puertas para traspasar la realidad 3D están abiertas de par en par.

Hace mucho tiempo, el conocimiento de la menstruación fue apreciado y respetado.
Durante los últimos 2.000 años, el poder del cuerpo femenino y su ciclo de menstruación han sido ridiculizados y ninguneados; sin embargo, hace mucho tiempo, el conocimiento de la menstruación fue apreciado y respetado. En el ritmo de vida de una mujer, la aparición de la menstruación determina cuándo v cómo establece contacto con los misterios de la naturaleza.

Ésa es la grandeza de su magia (ser capaz de guiar el camino de la humanidad con elegancia y compasión según la naturaleza, es decir, ser capaz de traer vida). La presencia de la menstruación, o sangre lunar, produce diferentes grados de sensibilidad dependiendo de la individualidad. El éter siempre está rebosante de actividad y, cuando las mujeres se abren psíquicamente una vez al mes, se puede crear el caos si ellas no entienden lo que está pasando.

A veces las mujeres quieren retirarse, encerrarse y esconderse durante unos días para protegerse del importante número de frecuencias que sienten, pero que. bastante a menudo, no entienden.

La vibración masculina es una fuerza de enraizamiento para esta apertura psíquica y. por ello, los hombres deben honrar y respetar su propia parte equilibrando el poder del ciclo menstrual.

A lo largo de la historia, los hombres han demostrado ciertamente sus propias habilidades psíquicas grandiosas y sus famosas hazañas. No obstante, al igual que con las mujeres, los últimos 2.000 años de sufrimiento mental, físico, emocional y espiritual (debido a guerras y la persecución de las mágicas prácticas psíquicas) han producido una impronta de tremendos registros de miedo y dolor en los genes, sobre todo en la vibración masculina.

Los hombres están aprendiendo que su sensibilidad y su vulnerabilidad en realidad son su fuerza interna, y que la honestidad es la clave tanto para una conciencia clara como para la paz mental. También se está retando a los hombres para que acepten la responsabilidad de su poder sexual, que tiene una carga energética completamente diferente a la de las mujeres.

Los hombres deben entender que su poder personal reside en activar y abrazar sus sentimientos, una parte de si mismos que no han considerado debidamente. Cuando los sentimientos de un hombre se unen a su energía sexual, éste puede experimentar nuevos niveles de intimidad. Aunque es importante tener un cuerpo bien estructurado. la fuerza real está relacionada con la capacidad de confiar en uno mismo, en la familia, en la pareja y en otros hombres y mujeres.

La tarea de los hombres consiste en confiar en los demás con sus verdades para reconocer la ignorancia arrogante y la estupidez de la guerra, así como para honrar y respetar cualquier forma de vida.

Vuestra biología os empuja a procrear para que podáis aprender de primera mano cómo manejar la energía de la creación. La gestación es el símbolo del crecimiento. una promesa de renovación y responsabilidad. Cuando un hombre y una mujer tienen una buena relación sexual terrenal (que ocupe sus cuerpos por completo y con el disfrute de las alegrías que les proporcionan sus cuerpos, riéndose y buscando amorosamente el camino hacia la experiencia cósmica) enriquecen enormemente su conexión con el otro y con el cosmos.

Un niño concebido en semejante entorno será un inerte miembro de la raza humana, especialmente cuando se añade la energía sensual de la naturaleza para enriquecer el esfuerzo (hacer el amor en un entorno privado bajo la plateada luz de la Luna o bajo el calor de los rayos del Sol). Hacer el amor con el propósito de crear vida es mejor cuando se está embargado por el placer y el gozo, ya que esto condiciona la relación entre el hombre y la mujer y el niño.

Durante el proceso de la concepción, el óvulo y el espermatozoide canturrean y se susurran el uno al otro cuando el esperma va corriendo para ofrecer su himno a la diosa. El óvulo emite cierto sonido, una llamada al emparejamiento.

El esperma. que aportará las mejores condiciones para el ser no físico, que quiere nacer a través de la unión, resonará con el canto y se ajustará a la vibración del óvulo. El esperma será atraído por la resonancia y ganará la carrera hacia el óvulo. Si sólo ganara el espermatozoide más fuerte, tendríais bebes físicamente perfectos, pero no alineados espiritualmente.

Recordad que vosotros elegís vuestra genealogía y el momento del nacimiento, de modo que la gestación y el parto implican muchos acuerdos. Si queréis engendrar, entonces lo mejor es establecer primero contacto con el futuro bebé durante el sueño; antes de dormir, focalizad vuestra atención para encontrar y comunicaros con las energías espirituales que se convertirán en el futuro bebe (llamadlos y dadles la bienvenida a esta vida).

Practicar el sexo os mantiene jóvenes y fuertes y, gracias a la intimidad sexual con otra persona, establecéis contacto con vuestro espíritu.

Aunque podéis pasar años sin tener relaciones sexuales, la actividad sexual es una necesidad para el bienestar físico en general. Practicar el sexo os mantiene jóvenes y fuertes y, gracias a la intimidad sexual con otra persona, establecéis contacto con vuestro espíritu. Cuando la gente envejece, aunque siga estando casada o tenga algún tipo de pareja, deja de practicar el sexo por una razón u otra.

En estos casos, las personas se pueden complacer a sí mismas. Los profesionales de la salud se están dando cuenta de que la masturbación y otras formas de buscar el placer resultan favorables para el crecimiento personal y el bienestar en general. La gente que no practica el sexo durante mucho tiempo acaba padeciendo una serie de males físicos.

Estimular el cuerpo físico es esencial y. sin duda, es más divertido y productivo con una pareja que sin ella.

Cuando envejecéis os volvéis mas selectivos, tenéis una mayor capacidad de sintonizar con vuestra pareja porque sois más psíquicos y tenéis la sabiduría que aporta la experiencia. Vuestro lugar sagrado ha sido visitado más de una vez y habéis viajado muchas veces alrededor del Sol para reclamar el conocimiento del cosmos.

Entonces, el sexo se convierte en algo más que una mera experiencia genital o física, pues con la edad todo va mejorando; tenéis la sabiduría, habéis construido caminos en el bosque y habéis, en el mejor de los casos, llegado a un punto en el que aceptáis vuestro cuerpo y habéis pasado la fase de incómoda fijación corporal de los jóvenes. Ahora estáis haciendo el amor con una persona; no estáis simplemente utilizando vuestro cuerpo para la estimulación propia, de modo que un abdomen más blandito y un trasero menos firme no suponen gran diferencia.

En cualquier relación a largo plazo, permanecéis en una montaña rusa respecto a vuestra vida sexual. Si siempre escalarais el monte Everest, sería realmente agotador; pasar por las cumbres y valles forma parte de una relación madura. No obstante, conforme os vayáis conociendo cada vez mejor, os daréis cuenta de que hay mucha energía después del sexo. La expresión sexual es vuestro contacto con el creador, y el sexo está relacionado con cómo utilizáis este poder sagrado.

Si tenéis una vida sexual secreta o tenéis que manipular la energía (la propia y la de otros) para tener sexo, entonces estáis utilizando de una manera nada adecuada vuestra integridad y responsabilidad como ser humano; semejantes actividades vibran a un nivel inferior del espectro de la conciencia. Vosotros y nadie más que vosotros sois responsables de elevar el estándar; gracias a ello descubriréis la versión selecta de la energía sexual.

El lado oscuro y peligroso del poder de la energía sexual está relacionado con posesiones por parte de entidades no físicas.

Con respecto al manejo de la energía, os debéis preguntar:

«¿Estoy ocupando mi cuerpo completamente y estoy haciendo el amor por deseo propio? ¿Son mis encuentros sexuales con mi pareja consensuados, alegres y una auténtica expresión de amor basada en la intimidad, la confianza y la honestidad?»

Si tenéis un fuerte impulso sexual, pero falta la intimidad, la confianza y la honestidad, el aburrimiento puede atrapar la relación y conducirla a exploraciones cada vez más peligrosas (a veces relacionadas con el dolor y la humillación para conseguir una excitación genital).

El deseo de este tipo tan extremo de estimulación os aparta más y más del respeto por vosotros mismos, y puede llevaros cada vez más a las profundidades de agujeros oscuros de una posesión por alguna entidad Recordad que, cuando abrís vuestros vórtices sexuales, estáis jugando con el poder primario y bruto de la creación, y entidades de otras dimensiones se sienten muy atraídas por la energía sexual y la fuerza vital generada.

Con la presencia de intimidad y amor, energías dinámicas de vibración más alta establecen contactos sutiles con vosotros durante el acto sexual con el propósito de volver a conectar vuestro cuerpo físico con las dimensiones superiores de vuestra identidad espiritual y esto os protege de posesiones.

Cuando se teme la intimidad y el auténtico valor y respeto a la hora de compartir la energía sagrada, el sexo se convierte en una mera satisfacción de un deseo pasajero.

Este tipo de relación es propensa a atraer entidades de vibraciones más bajas que buscan una manera de entrar en la realidad física sin tener que asumir las responsabilidades de ocupar plenamente el cuerpo, sin poseerlo en todas sus facetas y sin cuidarlo. La posesión por entidades es como una plaga invisible, y mucha gente no puede romper ese ciclo vicioso porque han menospreciado el acto sexual y tienen entidades adheridas a sus campos energéticos.

En el mundo en el que vivimos actualmente, el sexo ha sido degradado y pervertido porque millones de personas han permitido que su segundo chakra sea ocupado por seres que utilizan a los humanos para satisfacer sus perversos deseos sexuales. El verdadero impulso que hay detrás de una adicción a la perversión es una posesión.

En la mayoría de los casos en los que la persona se «engancha» a prácticas sexuales no consensuadas y/o a sexo indiscriminado, como puede ser la violación y tener sexo con niños o animales, esa persona está atrapada en un engaño sexual que lleva el sello de entidades no físicas. Las personas tienen el derecho en este programa de explorar las cumbres y valles de la vida de acuerdo con su propia elección y no estamos aquí para juzgar esas exploraciones.

No obstante. para aquellos que buscan un nivel superior de conciencia, sus valores morales y su grado de conciencia durante cualquier actividad determina el tipo de experiencia que atraerán.

Si existen asuntos sexuales dolorosos y no resueltos de anteriores excursiones a la realidad sexual, vuestras creencias en torno a esas experiencias pueden aparecer cuando practicáis el sexo.

El lado más oscuro del sexo es doloroso, temible, violento, controlador, abusivo, degradante, destructivo y humillante. Recordad que el sexo abre de forma natural las puertas al conocimiento psíquico, os guste o no. Experiencias sexuales intensas, particularmente aquellas relacionadas con la infancia, con frecuencia proceden de asuntos o acuerdos de otras líneas del tiempo.

El abuso sexual puede crear traumas severos en un individuo, que dan como resultado una fragmentación, desorientación, disociación de la personalidad y, en muchos casos una amnesia con respecto al suceso que ha causado el trauma. Uno no pierde el raciocinio sin ningún motivo. En un caso extremo, la traumática experiencia de un abuso puede provocar demencia en una persona, o el desarrollo de desórdenes de identidad que le lleven a perder o rechazar aparentemente el contacto con su propio centro porque el hecho resulta demasiado doloroso.

En cualquier caso, un trauma, sea del tipo que sea, puede provocar una mayor y dramática sensibilidad física y psíquica y activar la respuesta natural de aumentar el estado de vigilancia.

Si el sexo se considerara un acto sagrado, el mundo no estaría en el estado de caos en el que se encuentra actualmente. El mercado de esclavos sexuales constituye una operación de muchos billones de dólares o euros y sus tentáculos se extienden a todos los continentes. Hombres. mujeres y niños son comprados y vendidos como si fuesen objetos sexuales.

Distintos grupos absolutamente nefastos organizan el abuso sexual y utilizan la energía sexual para mostrar control sobre otros; incluso a veces los emplean en rituales como ofrendas de fuerza vital para atraer a entidades oscuras y demoníacas, que son invitadas a esta realidad física.

La energía sexual es la fuerza más vital que poseéis y, por esta razón, aquellos que se dedican a controlar la mente utilizan la energía sexual para controlar y dirigir a sus esclavos. El sexo produce una enorme cantidad de energía y, al igual que la energía atómica, explosiona provocando agujeros en otras realidades. Es por ello que las personas que tienen sexo sin consenso y/o indiscriminadamente atraen a entidades de frecuencias bajas que encajarán en sus formas de pensamiento fantasiosas. Los pensamientos y deseos se ven reforzados por la energía sexual.


Es entonces cuando las entidades ocupan el cuerpo gobernando la sexualidad de la persona. Es muy fácil que una entidad no física aborde vuestros genitales cuando no valoráis adecuadamente vuestra sexualidad. Si os atrae la pornografía y buscáis versiones oscuras del sexo, sois más vulnerables para ser utilizados por estas fuerzas que desvirtúan el sexo. Es posible ser poseído cuando no hay fronteras, ni emocionales, ni mentales, ni físicas.

Si vivís en un mar de confusiones y os atenéis difícilmente a cualquier decisión en vuestra vida o funcionáis sin amor tanto vosotros mismos como vuestro cuerpo, estáis colgando un letrero que dice «libre» en vuestro campo energético.

A veces, las heridas de está realidad infringen simultáneamente otras experiencias y con otra versión de vosotros en otras líneas del tiempo. Debéis estar más atentos a los eventos que cruzan el tiempo lineal hacia otros tiempos más allá del multidimensional y aunar vuestra inteligencia emocional con vuestra intuición y tener una mente clara que os permita reconocer la naturaleza de las sincronicidades de los eventos de la vida.

Una versión superior de vosotros mismos siempre está trabajando con vosotros para ayudaros con la integración espiritual. Recordad que las oportunidades para las conexiones espirituales son tan enormes en estos tiempos que lo que sanáis amplía las vibraciones y frecuencias, que penetran la red de la existencia (vuestra contribución creativa al movimiento del baile).

Es importante saber que vuestra conciencia siempre está trabajando para integrar y sanar, así como para obtener vislumbrar y conocer los «porqués» y «para qué» de vuestras experiencias.


El abuso sexual puede ser interpretado como una experiencia de poder personal si os preguntáis por el verdadero propósito de vuestra herida y si buscáis el significado de múltiples capas concernientes a la sanación.

¿Qué aprendisteis sobre vosotros mismos y aquellos que jugaron con vuestra energía sexual?

La respuesta os dará la oportunidad de enfrentaros con vuestro ser, gracias al contacto íntimo con otros seres humanos que pueden reflejaros aspectos escondidos de vosotros mismos, al igual que conexiones kármicas.

Estilos de vida y estilos de sexo que se han hecho populares en los medios de comunicación, como pueden ser las relaciones múltiples con diferentes parejas, no representan una vida sana y buena; a nivel energético, la relación con varias parejas se vuelve muy confusa y agotadora para todos los individuos involucrados. Cuando hay demasiadas personas involucradas en una relación, los niveles de honestidad, profundidad e integridad se ven muy comprometidos. Vuestras células saben cuándo no son valoradas.

Si vais a formar parte de una relación, ya sea homosexual o heterosexual, os debéis comprometer. Explorad los sutiles matices de lo romántico y permitid que los misterios de la sensualidad florezcan.


Debéis estar seguros si tenéis una relación sexual de que sentís amor, aprecio y confianza. Si tenéis sexo con alguien en el que no confiáis, ¡corred! El sexo sano y saludable tiene como fundamento la honestidad y la veracidad. Cuando podéis construir una relación íntima basada en la confianza, la integridad y la diversión sana, podéis comenzar a activar todo tipo de códigos de conciencia en el ADN, y mejorar vuestra vida gracias al conocimiento obtenido.

Una vecindad con fuertes lazos familiares basada en el amor y el sexo sano mejorará cualquier comunidad.

La sexualidad vivida, adecuada y apreciada atrae entidades vibracionales que engendran el acto del amor con una experiencia de conocimiento cósmico. Esto ya se sabía desde hace mucho tiempo en vuestro planeta, cuando el mejor regalo para equilibrar una comunidad era el amor. Una experiencia buena y amorosa entre dos personas, que crea un orgasmo sano, honesto y amoroso, se extendía a toda la vecindad.

La energía no conoce paredes.

Una vecindad con fuertes lazos familiares basada en el amor y el sexo sano mejorará cualquier comunidad, y aportará paz y prosperidad a todo el país. Imaginad ciudades enteras en las que habiten personas que aprecien sus exploraciones sexuales, parejas que se amen, que rían y se valoren el uno al otro en la privacidad de sus descubrimientos.

Cuando se honra la expresión sexual y se comprende como una puerta a la energía creativa de la existencia, el mundo entero vibra con una conciencia mucho más amplia con respecto al propósito espiritual de la vida.

El sexo es una energía vibrante y creativa y, si se usa sabiamente, puede cambiar el mundo. Cuando, durante un orgasmo, estáis entre dos mundos, experimentáis la energía sanadora de la creación, y estas frecuencias energéticas son una contribución de vibraciones a cualquier comunidad y a la Tierra en general.

Practicar sexo sano es un buen negocio para todos. Contribuís al gran baile de energía cuando os aceptáis a vosotros mismos como seres sexuales y reexamináis vuestras experiencias sexuales bajo un nuevo prisma, entendiéndolo como una gran enseñanza para manejar mejor la energía. Las estrellas de las Pléyades se han ocupado durante mucho tiempo del crecimiento espiritual mediante el sexo. dando lugar a una frecuencia energética que aporta riqueza y belleza al mundo material. Nuestro hogar, en el signo de Tauro, el toro, es conocido por su energía vigorosa, fértil y en gran medida espiritual.

Varios alineamientos planetarios, lunares y solares aportan nuevos códigos de dignidad sexual, cuyos efectos mejorarán vuestra comprensión del placer sexual. Lazos fuertes de amor y confianza entre una pareja son imprescindibles para una profunda exploración de las realidades multidimensionales gracias a la energía del sexo. Una relación personal os enraíza en esta realidad para que podáis viajar a las estrellas y recordar quiénes sois y de dónde venís.

Hay muchas más maneras de usar vuestro cuerpo y vosotros ni siquiera lo sabéis todavía: cuando cambiéis vuestras creencias con respecto al sexo y al cuerpo, seréis el recipiente de recompensas hasta ahora no expresadas.

El nanosegundo ofrecerá la oportunidad para comprender la energía de la recuperación del poder gracias al desarrollo de diferentes perspectivas de la realidad. Es importante saber que las situaciones difíciles tienen lugar para iniciar el cambio; la resolución de antiguos asuntos (y no hay ningún asunto más importante que los temas sexuales) os liberará para experimentar conexiones con la vida más significativas y emocionalmente más satisfactorias.

Utilizad vuestro cuerpo como un vehículo sexual respetado y honrado para explorar vuestra identidad y para recibir las enseñanzas de conocimiento en forma de códigos maduros. La sexualidad se ha practicado desde hace mucho tiempo como una forma de recibir y transmitir energía, de modo que si estáis ocupados en hacer el amor, disfrutad sobre todo de quienes sois.

Pero también podéis aprovechar la inmediatez de vuestro placer físico estando presentes en el momento y tener plena conciencia de los otros «añoras».

Recordad que la energía sexual es algo muy potente; crea el impulso necesario para abrir las ventanas a otras dimensiones y, además, es sanadora y rejuvenecedora. la llave de contacto para encender vuestra creatividad. Una gran pasión tiene un propósito aún más importante y os pedimos, por favor, que seáis conscientes del poder con el que estáis jugando.

Recordad bien que la cualidad y la claridad de vuestra intención determinará la frecuencia de lo que experimentéis, algo que se puede aplicar a cualquier empresa. Una vez más. la confianza plena y la honestidad que debe existir en una relación personal enraizará la energía sexual en vuestro cuerpo para permitiros un viaje mucho más placentero.

Las nuevas fronteras de una vida multidimensional y de sanación atraerán a pioneros muy fuertes.

Muchos de vosotros habéis establecido acuerdos para aprender las lecciones para sanar, para establecer conexiones y puentes de una realidad a otra, maneras que son ajenas al sistema de creencias de la sociedad actual. En el viaje hacia la conciencia no importa tanto cómo os ganáis la vida, sino cómo manejáis la energía.

Ahora, la oportunidad en la que estáis imbuidos es tan inmensa como sutil.

Todo está ocurriendo muy rápidamente y vuestro reto consiste en integrar muchas enseñanzas, incluidas las trasmisiones de los Pleyadianos y de aquellos que proceden del centro de la galaxia. Abriros a las virtudes y pujanzas del cuerpo humano. Entended que es venerable y que la actividad sexual debe ser valorada como una forma de arte admirable de la creación. Recordad que debéis prestar mucha atención a lo que vuestro cuerpo os quiere decir.

¿En qué medida la actividad sexual ha mejorado vuestro crecimiento espiritual y qué habéis aprendido sobre vosotros mismos gracias a las experiencias sexuales?

El contacto sexual puede estimular las células para convertirse en una biblioteca sensual de conocimiento (un tributo a la belleza, al placer y al amor). Permitiros sentir el poder y la vitalidad que os pertenecen por naturaleza y vivid para expresarlos.

Queridos amigos, es vuestra responsabilidad buscar el placer sexual y ser conscientes de que se trata de un camino sagrado (como un ser honorable, con respeto a vuestro cuerpo y vuestra pareja y con reverencia ante el conocimiento que también vosotros podéis mejorar en ese baile cósmico).

http://www.bibliotecapleyades.net/pleyades/pleyades_marciniak08.htm



Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Sex 31 Dez 2010, 9:20 am

Olá amigos.

Certamente não sigo todas as idéias do Osho, principalmente no que tange à espiritualidade adquirida através do sexo. Tem outros modos de se lidar com a kundalini muito mais efetivos para mim, não sei para os outros.
Mas, para não concordar é melhor conhecer.
Portanto, leio e gosto de muitas idéias dele.
Vou colocar algumas aqui sobre o casamento e o sexo.

fadinha

DA LUXÚRIA A DEUS

Há três níveis de sexo e pretendo falar sobre eles agora.

O primeiro nível de sexo é o grosseiro. Por exemplo, um homem que vai a uma prostituta. A experiência que ele obtém lá, não pode ser mais profunda do que a experiência física. Uma prostituta pode vender seu corpo, mas não seu coração e, certamente, não existe nenhum meio de se vender a alma.

Nesse nível, os corpos se encontram – como num estupro. Num estupro, não há encontro de corações ou almas; o estupro acontece apenas no nível físico. Não existe jeito de violar uma alma; a experiência do estupro é unicamente física.

A experiência primária de sexo é no nível fisiológico, mas aqueles que se detêm nele não chegam nunca à completa experiência do sexo. Eles não podem nunca conhecer as profundezas sobre as quais tenho falado. Atualmente, muitas pessoas estão estacionadas no nível físico.

Em relação a isso, é importante saber que em países onde os casamentos acontecem sem amor, o sexo fica estagnado no nível físico. Nunca pode progredir além disso. Esses casamentos podem ser de dois corpos, mas nunca de duas almas. O amor só pode existir entre duas almas. O casamento pode ter um significado mais profundo se ele acontece por amor, mas os casamentos que acontecem em função dos cálculos dos eruditos orientais e dos astrólogos, ou a partir das considerações de casta ou de credo ou de dinheiro, nunca podem ir mais fundo do que o nível físico.

Em tais casamentos, o sexo entre marido e mulher não toca as camadas mais profundas; torna-se meramente uma rotina mecânica. O ato é simplesmente repetido com freqüência e torna-se viciado; nada mais acontece, e então os participantes tornam-se cada vez mais entediados. Há muito pouca diferença entre ir a uma prostituta e se casar sem amor. Você compra uma prostituta por uma noite, enquanto adquire uma esposa pela vida inteira; essa é a única diferença. Quando não há amor, uma compra está sendo feita – ou você está contratando uma mulher por uma noite ou está fazendo arranjos vitalícios. É claro que por causa da associação diária, um tipo de relacionamento acontece – e chamamos isso de amor. Isso não é amor; amor é uma outra coisa completamente diferente. Esses casamentos são simplesmente do corpo, e então o relacionamento nunca pode ir além do físico.

Outro nível é o psicológico – da mente, do coração. O casamento de pessoas que se apaixonam e então se casam vai um pouco mais adiante, é um pouco mais profundo do que os casamentos no nível físico. Eles chegam ao coração; chegam à profundidade psicológica, mas por causa da monotonia retrocedem para o nível físico a cada dia. A instituição do casamento que se desenvolveu no Ocidente nestes últimos duzentos anos está nesse nível. E devido a isso, suas sociedades são disjuntas e devassas.

A razão disso é que não se pode confiar na mente. Hoje a mente deseja uma coisa; amanhã pedirá outra. Ela quer uma coisa de manhã e uma outra à noite. O que ela sente agora é totalmente diferente do que sentiu alguns momentos atrás.

(...)

A mente é muito mutável e, dessa forma, as sociedades que querem estabilizar a vida familiar, não permitem que os casamentos atinjam o nível psicológico, elas se esforçam para deter o casamento no nível físico.

A estabilidade é possível no nível físico, mas no psicológico é muito difícil. A experiência sexual é mais profunda e mais sutil no nível mental e, por conseguinte, a experiência no Ocidente tem sido mais profunda do que no Oriente. Os psicólogos do Ocidente, de Freud a Jung, têm escrito sobre este segundo estágio do sexo, sobre o nível psicológico.

Mas o sexo sobre o qual estou falando é do terceiro nível, o qual até agora, não foi compreendido no Oriente nem no Ocidente. Esse terceiro nível de sexo é o nível espiritual.

Como o corpo fica inerte, há um tipo de estabilidade no nível físico. Há também um tipo de estabilidade no nível espiritual, porque não há nenhuma mudança nesse nível: nele, tudo é calmo; nele, tudo é eterno. Entre esses dois estágios, existe o nível psicológico. Ele é inconstante, como a memória.

Um homem e uma mulher que conseguem se encontrar no nível espiritual, que conseguem se unir espiritualmente – ainda que uma vez – sentem que se uniram pela eternidade. Há uma fluidez profunda; a atemporalidade e o êxtase puro são o dote do casamento.

(...)

O relacionamento entre marido e mulher é o início de uma jornada e não o fim. E lembre-se: é por ser uma jornada, que maridos e esposas estão sempre num estado de tensão. Uma jornada é sempre cansativa; a paz só é encontrada na chegada. Maridos e esposas nunca estão calmos, porque estão sempre a caminho, sempre na estrada – e a maior parte das pessoas perecem no caminho, nunca chegam à meta. Por causa disso, há sempre um estado de conflito entre maridos e esposas; há uma luta constante. E é isso o que chamamos de “amor”.

Infelizmente, nem o marido nem a mulher compreendem a causa real da tensão, da luta. Cada um pensa que escolheu o parceiro errado. O marido pensa que tudo seria melhor se tivesse se casado com outra mulher, a esposa pensa que tudo provavelmente estaria bem se tivesse se casado com outro homem. Quero lhes dizer que essa é a experiência de todos os casais do mundo. Se lhes derem a chance de mudar de parceiro, a situação não mudará nem um pouco. Será a mesma coisa que mudar de ombro quando se está carregando um caixão para o cemitério: você se sente aliviado por um tempo, então, nota que o peso novamente se tornou o mesmo. A experiência no Ocidente, onde o divórcio é desenfreado, é que a nova esposa, em pouco tempo, mostra-se exatamente como a anterior – e em duas semanas, o novo marido também acaba sendo igual ao primeiro. A razão não pode ser encontrada na superfície, mas num nível mais profundo. A razão não tem nada a ver com o indivíduo, com o homem ou a mulher; a razão é que o casamento é uma jornada, um processo. O casamento não é o alvo, não é o objetivo.

Outro amigo me enviou uma mensagem dizendo que nenhum santo ou guru fala sobre sexo. Escreveu que a alta estima que tinha por mim, diminuiu por causa das minhas palestras sobre sexo. (...) Gostaria de dizer a ele que não há razão nenhuma para ficar desapontado comigo. Antes de mais nada, se você alguma vez me respeitou, isso foi um erro seu. Por que teve necessidade de me honrar? Qual foi o seu motivo? Quando eu pedi o seu respeito? Se você me tinha respeito, esse erro foi seu; se não está mais tão a meu favor, esse privilégio é seu.

(...)

Não sou nenhum mahatma, nem estou disposto a ser um. Se eu tivesse o mais leve desejo de me tornar um mahatma ou um guru, nunca teria selecionado este assunto, em primeiro lugar. Um homem não pode jamais se tornar um mahatma se não for muito sagaz na seleção dos tópicos para suas palestras. Eu nunca fui um mahatma, não sou um mahatma e certamente não quero tornar-me um mahatma – esse desejo em si é uma projeção de um ego sutil, refinado. Sou um homem, e isso é suficientemente bom para mim. Não é suficiente ser apenas um homem? Um homem não pode ser feliz sem estar sendo carregado nos ombros de outros homens, sem se impor aos outros, sem adquirir poder de uma forma ou de outra? Um homem não pode ser feliz simplesmente sendo um homem? Seja qual for a posição na qual me encontro estou feliz e satisfeito.

(...)

Pelo menos uma pessoa está desiludida; pelo menos um homem ficou sabendo que eu não sou um grande homem. É um grande alívio a desilusão desse homem. Ele escreveu para me tentar com o mahatmatismo; ele disse que eu poderia me tornar um grande guru se parasse de falar sobre tais assuntos. Até agora, os mahatmas e gurus têm sido enganados por tais abordagens e, como resultado, essas grandes, mas frágeis, pessoas não falaram sobre assuntos que poderiam se tornar desastrosos para suas condições de gurus e de mahatmas. Na preocupação de salvar seus próprios tronos, nunca se importaram com quantas pessoas estavam influenciando danosamente.

Não estou interessado em nenhum alto pedestal. Não sonho com isso, nem tenho essa intenção. (...) Confio e acredito que o que temos falado os conduzirá ao caminho apropriado para quebrar aquelas barreiras que se erguem no curso da evolução de um homem autêntico. Um caminho é visível; a transformação gradual da sua luxúria é possível. Seu sexo pode tornar-se seu samadhi.

Agora, como você é hoje, você é a sua luxúria; não é a sua alma. Vocês também podem tornar-se almas, mas só pela transformação gradual da sexualidade. Só então a jornada para Deus poderá começar.

(...)

Eu disse que vocês devem se esforçar por uma contínua conscientização do vislumbre do samadhi durante o coito. Vocês devem tentar apoderar-se desse ponto, esse vislumbre do samadhi, o qual lampeja como um relâmpago no meio da relação sexual, o qual cintila por um segundo como um fogo-fátuo e, então, se desvanece. O esforço deve ser para conhecê-lo, para familiarizar-se com ele, para mantê-lo. Se você puder fazer esse contato plenamente, pelo menos uma vez, nesse momento você saberá que não é um corpo, que vocês são incorpóreos. Por essa fração de tempo você não é um corpo; nesse momento você é transformado em outra coisa: o corpo é deixado para trás e você se torna a alma, o eu real. Se tiver um vislumbre dessa glória, pelo menos uma vez, você poderá persegui-la, através de dhyana, meditação, e estabelecer um relacionamento profundo e permanente com ela. Então, o caminho para o samadhi será seu. E quando isso se tornar parte de seu entendimento, parte de seu conhecimento e de sua vida, não haverá mais espaço para a luxúria.

(...)

Nós fomos procriados irreligiosamente. Recebemos a pena da irreligiosidade desde o nascimento e morremos na irreligião. E no intervalo, da manhã à noite, do nascimento à morte, durante toda a extensão de nossas vidas, falamos e falamos sobre religião. Nesse homem superior, não haverá palavras inúteis ou discussões vazias sobre religião, porque a religião será seu modo de viver. Falamos sobre coisas que não fazem parte de nossas vidas, e não falamos sobre as coisas que fazem parte. Não falamos sobre sexo, porque ele é o nosso modo de viver, mas fracassamos falando sobre Deus. Na verdade, mantemo-nos satisfeitos falando sobre coisas que não podemos atingir nem obter.

(...)

Um sexo espiritual pode surgir. Uma nova vida para a humanidade pode começar. Durante os últimos quatro dias, falei a vocês sobre a possibilidade de se chegar a um novo nível de existência espiritual. Vocês ouviram minhas palestras pacientemente e com muito amor, embora ouvir tais discursos tranqüilamente deva ter sido difícil; vocês devem ter se sentido embaraçados algumas vezes.

(...)

Um amigo veio me ver e expressou seu medo de que alguns homens, sentindo que tal assunto não deveria ser comentado, pudessem se levantar e provocar um clamor para as palestras pararem. Ele sentia que algumas pessoas poderiam protestar intensa e ruidosamente contra a discussão de tal tópico em público. Eu disse a ele que o mundo seria melhor se houvesse pessoas tão corajosas ao redor. Onde você encontrará um homem tão corajoso a ponto de se levantar diante de uma reunião pública e pedir ao orador que pare seu discurso? Se uma pessoa tão corajosa existisse neste país, então, as palestras loquazes e absurdas pronunciadas das altas plataformas, por uma longa série de homens tolos, teriam cessado há muito tempo atrás. Mas não cessaram ainda e nunca cessarão. O tempo todo estive esperando por algum homem corajoso que se levantasse e me pedisse para interromper minhas palestras. Então, eu poderia discutir o assunto com ele em detalhes. Teria sido uma fonte de grande prazer para mim.

Assim, mesmo tais palestras sobre tal tópico – a despeito de muitos amigos terem ficado com medo de que alguém pudesse se levantar para protestar, de que alguém pudesse criar pandemônio aqui –, vocês ouviram silenciosamente. Todos vocês são muito amáveis. Estou grato pela paciente e pacífica atenção que tiveram.

Concluindo, do fundo do meu coração, desejo que a luxúria interior de cada um de nós possa tornar-se uma escada pela qual se possa chegar ao templo do amor; que o sexo dentro de cada um de nós possa tornar-se um veículo para a supraconsciência.

E, finalmente, inclino-me diante do Supremo que reina em todos nós.

Por favor, aceitem meus respeitos.



OSHO, Do Sexo à Supraconsciência, # 5


Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Grazyela em Sab 01 Jan 2011, 4:25 pm

Sim - acho que é hora de nós conversarmos sobre Sexo. farao



Por que o Senhor criou dois sexos? Esse foi o único modo que pôde imaginar para nós nos recriarmos? Como deveríamos lidar com essa incrível experiência chamada sexualidade?

Certamente não com vergonha. E não com culpa e medo.

Porque vergonha não é virtude, culpa não é bondade e medo não é respeito.

E não com luxúria, porque luxúria não é paixão; não com abandono, porque abandono não é liberdade; e não com agressividade, porque agressividade não é ânsia.

E obviamente não com idéias de controle, poder ou domínio, porque elas não têm nada que ver com Amor.

Mas... o sexo pode ser usado com objetivos de simples gratificação pessoal? A resposta surpreendente é sim - porque "gratificação pessoal" é apenas outro termo para Amor Próprio.

A gratificação pessoal adquiriu uma conotação negativa ao longo dos anos, o que é o principal motivo de haver tanta culpa ligada ao sexo.

Disseram-lhe que não deve usar para gratificação pessoal algo que é muito gratificante pessoalmente! Essa óbvia contradição é clara para você, mas não sabe aonde chegar com a conclusão! Então decide que se você se sentir culpado pelo fato de se sentir bem durante e após o sexo, ao menos se reabilitará.

Isso não é diferente da cantora famosa que todos vocês conhecem, cujo nome Eu não direi aqui, que recebe milhões de dólares para cantar. Quando lhe pediram para comentar o seu incrível sucesso e as riquezas que lhe proporcionou, ela disse: "Eu me sinto quase culpado porque adoro cantar." A implicação é claro. Se você adora fazer algo, não deveria também ser recompensado com dinheiro. A maioria das pessoas ganha dinheiro fazendo algo que detesta - ou pelo menos algo que é trabalho duro, não um eterno prazer!

Portanto, a mensagem do mundo é: se você se sentir mal em relação a algo, então poderá apreciá-lo!

Com freqüência você usa a culpa em sua tentativa de sentir-se mal em relação a algo que o faz sentir-se bem - e assim se reconcilia com Deus... que você acha que não quer que se sinta bem em relação a nada!

Você não deve especialmente sentir-se bem com os prazeres do corpo. E absolutamente não (como a sua avó costumava sussurrar) com o "S-E-X-O ..." Bem, a boa notícia é que não há mal algum em adorar o sexo!

E também não há mal algum em adorar a Si Mesmo!

Na verdade, isso é fundamental.

O que não o beneficia é tornar-se viciado em sexo (ou em qualquer outra coisa). Mas não há "mal algum" em adorá-lo!

Pratique dizer isto dez vezes por dia:



EU ADORO O SEXO



Pratique dizer isto dez vezes:



EU ADORO O DINHEIRO



Agora, quer algo realmente difícil? Tente dizer isto dez vezes:

EU ADORO A MIM MESMO!



Eis aqui algumas outras coisas que não esperam que você adore.

Pratique adorá-las:



O PODER A GLÓRIA A FAMA O SUCESSO A VITÓRIA



Quer mais? Tente estas. Você deveria realmente se sentir culpado se as adorasse:



A LISONJA SER MELHOR TER MAIS SABER COMO SABER POR QUÊ



Já chega? Espere Eis a culpa máxima. Você deve senti-la se achar que:



CONHECE DEUS



Não é interessante? Durante toda a sua vida fizeram com que você se sentisse culpado pelas COISAS DE QUE MAIS GOSTA



Contudo, Eu lhe digo que adore, adore, adore as coisas que deseja - porque seu amor por elas as atrairá para você.

É dessas coisas que é feita a vida. Quando você as adora, adoro a vida! Quando declara o seu desejo por elas, anuncia que escolhe tudo de bom que a vida tem a oferecer!

Então escolha o sexo - todo sexo que puder ter! Escolha o poder - todo poder que puder ter! Escolha a fama - toda fama que puder ter! Escolha o sucesso - todo sucesso que puder ter! E escolha a vitória - toda vitória que puder ter!

Contudo, não escolha o sexo em lugar do amor, mas como uma celebração dele. Não escolha o poder sobre, mas o poder com. Não escolha a fama como um objetivo em si, mas como um meio de atingir um objetivo mais amplo. Não escolha o sucesso à custa dos outros, mas como uma ferramenta com a qual ajudar os outros. E não escolha vencer a qualquer preço, mas a vitória que não custe coisa alguma às outras pessoas, e até mesmo os beneficie.

Vá em frente e escolha a lisonja - mas veja todas as outras pessoas como seres que você pode lisonjear, e faça isso!

Vá em frente e escolha ser melhor - não melhor do que os outros, mas melhor do que você era antes.



Eu não tinha idéia de que isto iria se transformar em um manual do sexo.



Não se transformou. Mas não seria tão ruim caso se transformasse. A maioria das pessoas tem muito a aprender sobre a sexualidade, e sua mais maravilhosa e saudável expressão.

Contudo, Eu ainda estava tentando ilustrar o ponto mais amplo.

Quanto mais prazer você dá a si mesmo, mais pode dar à outra pessoa. De igual modo, se você se dá o prazer do poder, tem mais poder para partilhar. O mesmo é verdadeiro para a fama, a riqueza, a glória, o sucesso ou qualquer outra coisa que o faça sentir-se bem.

E, a propósito, acho que é hora de examinarmos por que uma determinada coisa realmente o faz "sentir-se bem".



Está bem - eu desisto. Por quê?



"Sentir-se bem" é o modo de a alma gritar: "É assim que eu sou!" Você já esteve em uma sala de aula em que o professor fazia a chamada e quando o seu nome era dito você tinha de dizer "presente"?



Sim.



"Sentir-se bem" é o modo de a alma dizer "presente"!

Agora muitas pessoas estão ridicularizando toda essa idéia de "fazer o que o faz sentir-se bem", Dizem que esse é o caminho para o inferno. Contudo Eu digo que é o caminho para o céu.

É claro que depende muito do que você diz que o "faz sentir-se bem". Em outras palavras, que tipos de experiências o agradam?

Contudo, Eu lhe digo que nenhum tipo de evolução já ocorreu através da negação. Se você evoluir, não será porque conseguiu negar-se as coisas que "o agradam", mas porque se permitiu esses prazeres e encontrou algo ainda superior. Porque como você pode saber que algo é "superior" se nunca experimentou o "inferior"?

A religião desejaria que você aceitasse o que ela tem a dizer em relação a isso. É por esse motivo que todas as religiões em última análise fracassam.

Por outro lado, a espiritualidade sempre será bem-sucedida.

A religião lhe pede para aprender com a experiência dos outros. A espiritualidade exige que busque a sua própria.

A religião não suporta a espiritualidade, porque a espiritualidade pode levá-lo a uma conclusão diferente de uma determinada religião - e isso nenhuma religião conhecida pode tolerar.

A religião o incentiva a explorar os pensamentos das outras pessoas e aceitá-los como seus. A espiritualidade o convida a deixar de lado os pensamentos das outras pessoas e ter os seus.

"Sentir-se bem" é o seu modo de dizer a si mesmo que seu último pensamento foi verdadeiro, sua última palavra foi sábia e seu último ato, de amor.

Para perceber o quanto você progrediu, avaliar o quanto evoluiu, simplesmente veja o que o faz "sentir-se bem".

Contudo, não procure forçar a sua evolução - evoluir mais e mais rápido - negando o que o agrada, ou evitando-o.

A negação de si mesmo é autodestruição.

Mas saiba que o auto-ajuste não é negação de si mesmo. Ajustar o próprio comportamento é uma escolha de fazer ou não algo baseado em sua decisão a respeito de quem é. Se você declara que respeita os direitos das outras pessoas, a decisão de não roubá-las ou estupra-las não é "negação de si mesmo". É uma afirmação de si mesmo. É por isso que diz-se que a avaliação do quanto alguém evoluiu é o que faz essa pessoa se sentir bem.

Se agir de forma irresponsável - comportar-se de um modo que você sabe que poderia prejudicar os outros ou causar-lhes sofrimento - é o que o faz "sentir-se bem", então não evoluiu muito, O segredo aqui é a consciência. E é tarefa dos mais velhos em suas famílias e comunidades criar e expandir essa consciência entre os jovens. De igual modo, é tarefa dos mensageiros de Deus aumentar a consciência em todas as pessoas, para que elas possam entender que aquilo que é feito para ou por alguém é feito para ou por vocês todos - porque todos vocês são Um.

Quando você parte de "todos nós somos Um", é praticamente impossível achar que prejudicar os outros o "faz sentir-se bem". O assim chamado "comportamento irresponsável" desaparece. É dentro desses parâmetros que os seres em evolução procuram experimentar a vida, que eu lhe digo para permitir-se ter tudo que a vida tem a oferecer - e você descobrirá que ela tem mais a oferecer do que você já imaginou.

Você é aquilo que experimenta. Experimenta aquilo que expressa.

Expressa aquilo que tem a expressar. Tem o que se permite ter.



Eu adoro isso - mas podemos voltar à pergunta original?



Sim. Eu criei dois sexos pelo mesmo motivo pelo qual coloquei o yin e yang em tudo - em todo o universo! Esse homem e essa mulher são parte do yin e do yang. São a sua mais elevada expressão viva em seu mundo.

São o yin e o yang... em forma. Em uma de muitas formas físicas.

O yin e o yang, o aqui e o ali... o isto e o aquilo... o em cima e o embaixo, o quente e o frio, o grande e o pequeno, o rápido e o devagar - a matéria e a antimatéria...

Tudo isso é necessário para você experimentar a vida como a conhece.



Como podemos expressar melhor essa coisa chamada energia sexual?



Amorosamente. Abertamente.

Alegremente. Prazerosamente.

Desinibidamente. Apaixonadamente. Sagradamente. Romanticamente.

Humoristicamente. Espontaneamente. Comoventemente. Criativamente. Tranqüilamente. Sensualmente.

E, é claro, Freqüentemente.



Há aqueles que dizem que o único propósito legítimo da sexualidade humana é a procriação.



Isso é besteira. A procriação é o efeito secundário positivo, não a intenção lógica, da maioria das experiências sexuais humanas. A idéia de que o sexo existe apenas para fazer bebês é ingênua, e a idéia resultante de que, por esse motivo, deveria deixar de ser praticado quando o último filho é concebido, é pior ainda. Viola a natureza humana - que é a natureza que Eu lhes dei.

A expressão sexual é o resultado inevitável de um processo de atração interno e um fluxo rítmico de energia que alimenta toda vida.

Eu coloquei em tudo uma energia que transmite seu sinal por todo o universo . Todas as pessoas, plantas, pedras e árvores, e todos os animais - tudo que é físico - emite energia, como um transmissor de rádio.

Neste exato momento você está emitindo energia, do centro de seu ser, em todas as direções. Essa energia - que é você - move-se para fora em ondas. Ela o deixa, move-se através de paredes e sobre montanhas, passa pela lua e é Eterna. Nunca, nunca pára.

Todos os pensamentos que você já teve se revelam nessa energia.

(Quando você pensa em alguém, se essa pessoa for suficientemente sensível, pode senti-lo.) Todas as palavras que você já disse têm uma influência sobre ela. Tudo que você já fez a afeta.

A vibração, a velocidade, a extensão da onda e a freqüência de suas emanações mudam constantemente com seus pensamentos, seu estado de espírito, seus sentimentos, suas palavras e seus atos.

Você já ouviu as palavras "emitirem boas vibrações", e elas são verdadeiras. Muito exatas! Naturalmente, todas as outras pessoas fazem a mesma coisa. E por isso o éter - o "ar" entre vocês - é cheio de energia: uma Matriz de "vibrações" pessoais entrelaçadas que formam uma tapeçaria mais complexa do que você pode imaginar.

Esse entrelaçamento é o campo de energia combinada dentro do qual você vive. É poderoso, e afeta tudo, inclusive você.

Você emite "vibrações" recém-criadas sendo afetado, como é, pelas vibrações que chegam que, por sua vez, juntam-se à Matriz e a mudam - o que afeta o campo de energia de todas as outras pessoas, o que afeta as vibrações que elas emitem, o que afeta a Matriz - o que afeta você... e assim por diante.

Você pode achar que tudo isso é apenas uma fantástica ilusão mas já entrou em uma sala em que o "ar estava tão denso que poderia cortá-lo com uma faca"?

Ou já ouviu falar de dois cientistas que trabalhavam no mesmo problema ao mesmo tempo - em lados opostos do globo - sem o conhecimento um do outro, e de repente encontraram a mesma solução simultaneamente - e independentemente?

Essas são ocorrências comuns, e algumas das manifestações mais óbvias da Matriz.

A Matriz - o campo de energia combinada em um dado parâmetro - é uma vibração poderosa. Pode afetar diretamente e criar objetos físicos e eventos.

("Onde dois ou mais estiverem reunidos em Meu nome ...") Sua psicologia popular chamou essa Matriz de energia de "Consciência Coletiva". Ela pode afetar, e afeta, tudo em seu planeta: as perspectivas de guerra e as chances de paz; a revolução geofísica ou a tranqüilidade do planeta; as epidemias ou a boa saúde geral.

Tudo isso é o resultado da consciência.

Também o são os eventos mais específicos e as condições em sua vida pessoal.



Isso é fascinante, mas o que tem que ver com o sexo?



Paciência. Estou chegando lá.

Todo o mundo troca energia o tempo todo.

Sua energia está sendo impelida para fora, afetando tudo o mais.

Tudo e todos estão afetando você. Mas então acontece uma coisa interessante. Em algum ponto - a meio caminho entre você e tudo o mais - essas energias se encontram.

Para fazer uma descrição mais vívida, vamos imaginar duas pessoas em uma sala. Elas estão em lados opostos. Vamos chamá-las de Tom e Mary!

A energia pessoal de Tom está transmitindo sinais sobre ele em um giro de 360 graus no universo. Um pouco dessa onda de energia atinge Mary.

Enquanto isso, Mary está emitindo a sua própria energia um pouco da qual atinge Tom.

Mas essas energias se encontram de um modo que você pode não ter imaginado. Encontram-se a meio caminho entre Tom e Mary.

Ali, as energias se unem (lembre-se de que essas energias são fenômenos físicos; podem ser medidas, sentidas) e se combinam para formar uma nova unidade de energia que chamaremos de "Tomary".

É a energia de Tom e Mary combinada. .

Tom e Mary poderiam muito bem chamá-la de O Corpo Entre Nós - porque é justamente isso: um corpo de energia ao qual ambos estão ligados, que alimentam continuamente com as energias que fluem para ele, e que envia energias de volta para seus dois "fornecedores" ao longo do fio, da corda ou da linha de abastecimento que sempre existe dentro da Matriz. (De fato, essa "linha de abastecimento" é a Matriz.) É essa experiência de "Tomary" que é a verdade de Tom e Mary.

É para essa Santa Comunhão que ambos são atraídos. Porque eles sentem, ao longo da linha de abastecimento, a alegria sublime do Corpo Entre, do Um Combinado, da União Abençoada.

Tom e Mary, a distância, podem sentir - de um modo físico - o que está acontecendo no Matriz. Ambos são impelidos na direção dessa experiência. Querem mover-se na direção um do outro! Ao mesmo tempo!

Agora o seu "treinamento" se manifesta. O mundo os treinou para ir devagar, não confiar nos sentimentos, evitar ser "feridos", conter-se.

Mas a alma ... quer conhecer "Tomary" - agora!

Se os dois tiverem sorte, serão suficientemente livres para deixar de lado seus medos e acreditar que o amor é tudo que existe.

Agora eles estão sendo definitivamente atraídos para o Corpo Entre Eles. TOMARY já está sendo experimentado metafisicamente, e Tom e Mary desejarão experimentá-lo fisicamente. Então eles se aproximarão mais. Não para chegar um no outro. Parece ser assim para o observador casual. Ambos tentam chegar em TOMARY, esse lugar de União Divina que já existe entre eles. O lugar em que já sabem que são Um - e como é Ser Um.

Então Tom e Mary se movem na direção desse "sentimento" que estão experimentando, e quando diminuem o espaço entre eles, "encurtam a corda", a energia que ambos enviam para TOMARY percorre uma distância menor. e por isso é mais intensa.

Eles se aproximam ainda mais. Quanto mais curta a distância, maior a intensidade. Eles se aproximam ainda mais. Novamente a intensidade aumenta.

Agora eles estão apenas alguns centímetros separados. O Corpo Entre eles brilha com calor intenso. Vibra com enorme velocidade. A "conexão" para e de TOMARY é maior, mais ampla e brilhante, ardendo com a transmissão de incrível energia. Diz-se que os dois "estão ardendo de desejo". E estão. Eles se aproximam ainda mais.

Tocam-se.

A sensação é quase insuportável. Extraordinária. Eles sentem, no ponto em que se tocam, toda a energia de TOMARY - toda a essência intensamente unificada de seu Ser Combinado.

Se você estiver disposto a revelar a sua maior sensibilidade, poderá sentir essa energia sutil e sublime como um formigamento quando é estabelecido o contato - às vezes o "formigamento" atravessa o seu corpo - ou como um calor no ponto de contato - que você também pode subitamente sentir em todo o seu corpo - mas mais intenso em seu chacra inferior, ou centro de energia.

Ele "arderá" ali com uma intensidade especial- e agora dirão que Tom e Mary estão "fervendo"! Os dois se abraçam, e diminuem ainda mais o espaço vazio com Tom, Mary e Tomary quase preenchendo o mesmo espaço. Tom e Mary podem sentir Tomary entre eles - e querem aproximar-se ainda mais - para literalmente fundir-se com Tomary. Tornar-se Tomary em forma física.

Eu criei nos corpos masculinos e femininos um modo de fazer isso.

Nesse momento, os corpos de Tom e Mary estão prontos para fazê-la. O corpo de Tom está pronto para literalmente penetrar no de Mary. O corpo de Mary está pronto para literalmente receber Tom dentro dela.

O formigamento e a ardência são agora mais do que intensos.

Indescritíveis... Os dois corpos físicos se unem. Tom, Mary e Tomary tornam-se Um. Na carne.

As energias ainda fluem entre eles. Insistente e apaixonadamente.

Tom e Mary gemem. Movem-se. Não conseguem obter o suficiente um do outro, aproximar-se o bastante. Tentam aproximar-se mais. MAIS.

Eles explodem -literalmente - e todos os seus corpos físicos são sacudidos. A vibração é sentida nas pontas de seus dedos. Na explosão de sua unicidade eles conheceram o Deus e a Deusa, o Alfa e o ômega, o Tudo e o Nada - a Essência da vida - a Experiência Do Que É.

Há um processo químico também. Os dois se tornaram Um - e freqüentemente um terceiro ser é criado a partir deles, em forma física.

Assim, uma imagem de TOMARY é criada. Carne de sua carne.

Sangue de seu sangue.

Eles literalmente criaram vida. Eu não disse que vocês são Deuses?



Essa é a descrição mais bela da sexualidade humana que eu já ouvi.



Você vê a beleza onde deseja vê-la. Vê a feiúra onde teme ver a beleza.

Ficaria surpreso em saber quantas pessoas acham feio o que Eu acabei de dizer.



Não, não ficaria. Já vi quanto medo e quanta feiúra o mundo colocou no sexo. Mas o Senhor realmente me deixa com um monte de perguntas.



Estou aqui para respondê-las. Mas permita-Me continuar um pouco mais com a Minha narrativa antes de começar a fazê-las.



Sim, por favor.



Essa... dança que Eu acabei de descrever, essa interação de energia que expliquei, ocorre o tempo todo - em e com tudo.

Sua energia - irradiada por você como uma Luz Dourada - está constantemente interagindo com tudo e todos. Quanto mais perto está, mais forte a energia. Quanto mais longe, mais fraca. Contudo, você nunca está totalmente desligado de coisa alguma.

Há um ponto entre Você e todas as outras pessoas ou coisas, e todos os outros lugares que existem. É aí que as duas energias se encontram, formando uma terceira unidade de energia, muito menos densa, mas não menos real.

Todas as pessoas e coisas no planeta - e no universo - emitem energia em todas as direções. Essa energia se mistura a todas as outras energias, entrecruzando-se em padrões de complexidade além da capacidade de seus mais potentes computadores analisarem.

As energias que se entrecruzam e se entrelaçam correndo entre tudo que você pode chamar de físico é o que mantém junto aquilo que é físico.

Isso é a Matriz, da qual falei. É ao longo dela que vocês enviam sinais uns para os outros - mensagens, interpretações, curas e outros efeitos físicos - às vezes criados por indivíduos, mas quase sempre pela consciência coletiva.

Essas inúmeras energias são, como já expliquei, atraídas umas para as outras. Isso é chamado de lei da Atração. Nessa lei, o Similar atrai o Similar.

Os Pensamentos Similares atraem Pensamentos Similares ao longo da Matriz - e quando uma quantidade suficiente dessas energias similares por assim dizer "se agrupa", elas ficam mais pesadas, desaceleram-se - e tornam-se Matéria.

Os pensamentos realmente criam forma física - e quando muitas pessoas pensam a mesmo coisa, há uma grande probabilidade de seus pensamentos formarem uma Realidade.

(É por isso que "rezaremos para você" é uma afirmação tão poderosa. Os testemunhos da eficácia da oração conjunta dão para encher um livro.) Também é verdade que pensamentos que não são característicos de orações podem produzir "efeitos". Por exemplo, uma consciência geral de medo, raiva, carência ou insuficiência pode criar essa experiência - em todo o planeta ou no local em que essas idéias coletivas são mais fortes.

A nação da Terra que vocês chamam de Estados Unidos, por exemplo, durante muito tempo considerou-se uma nação "sob a orientação de Deus, indivisível, com liberdade e justiça para todos". Não é coincidência o fato de essa nação ter-se tornado a mais próspera do planeta. Também não é surpreendente o fato de estar pouco a pouco perdendo tudo pelo qual trabalhou tanto para criar - porque parece ter perdido a sua visão.

Os termos "sob a orientação de Deus, indivisível" significaram apenas isso - expressaram a Verdade Universal da União; Unicidade:

uma Matriz muito difícil de destruir. Mas a Matriz tem sido enfraquecida. A liberdade religiosa tornou-se virtude religiosa que beira a intolerância religiosa. A liberdade individual, assim como a responsabilidade individual, desapareceu.

A noção de responsabilidade individual foi distorcida, passando a significar "cada um por si". Essa é a nova filosofia que se imagina voltando à antiga tradição americana de puro individualismo.

Mas o sentido original de responsabilidade individual no qual a visão americana e o sonho americano se basearam encontrou o seu significado mais profundo e a sua maior expressão no conceito de Amor Fraternal.

O que tornou a América poderosa não foi o fato de todo homem lutar por sua própria sobrevivência, mas o fato de todo homem aceitar a responsabilidade individual para a sobrevivência de todos.

A América foi uma nação que não dava as costas para os famintos, nunca dizia não para os necessitados, abria seus braços para os desvalidos e os desabrigados, e partilhava a sua riqueza com o mundo.

Contudo, quando a América tornou-se poderosa, os americanos tornaram-se gananciosos. Não todos, mas muitos. E, com o correr do tempo, cada vez mais.

Quando os americanos viram que era possível ter mais, tentaram ter cada vez mais. Contudo, havia apenas um modo de ter cada vez mais. Alguém tinha de ter cada vez menos.

Quando a ganância substituiu a dignidade no caráter americano, passou a não haver lugar para a compaixão pelos menos favorecidos.

Foi-lhes dito que era "sua própria culpa" não terem mais. Afinal de contas, a América era a Terra das Oportunidades, não? Ninguém exceto os menos favorecidos - achou possível admitir que as oportunidades da América eram limitadas, institudonalmente, àqueles que

já as tinham tido. Em geral, eles não incluíam muitas minorias, como as de determinada cor de pele ou sexo.

Os americanos também se tornaram arrogantes internacionalmente. Enquanto milhões de pessoas passavam fome em todo o planeta, eles jogavam fora a cada dia comida suficiente para alimentar nações inteiras. Sim, a América era generosa com alguns - mas cada vez mais sua política internacional passou a ser um reflexo de seus próprios interesses. A América ajudava os outros quando isso lhe era útil.

(Isto é, quando interessava à sua estrutura de poder, sua elite, ou aos militares que protegiam essa elite - e suas riquezas acumuladas.) O antigo ideal americano - o Amor Fraternal- deixou de existir. Agora qualquer conversa sobre ser o "protetor" enfrenta um novo tipo de americanismo - uma mente alerta ao que é preciso para conservar as riquezas acumuladas e uma palavra áspera para os menos favorecidos que ousam perguntar por sua cota justa, suas queixas que não foram atendidas.

Cada pessoa deve assumir a responsabilidade por si mesma isso sem dúvida é verdade. Mas a América - e o seu mundo - só pode realmente chegar a um estado de certa perfeição quando todas as pessoas desejarem ser responsáveis por vocês como um Todo.



Então a Consciência Coletiva produz resultados coletivos.



Exatamente - e isso tem, sido repetidamente demonstrado em toda a sua história registrada.

A Matriz é atraída para si mesma - exatamente como seus cientistas descrevem o fenômeno chamado de Buraco Negro. Ela puxa energia similar para energia similar, até mesmo atraindo objetos físicos uns na direção dos outros.

Esses objetos devem então se repelir - afastar-se - ou se fundirão para sempre - perdendo a sua forma atual e assumindo uma nova forma.

Todos os seres conscientes sabem intuitivamente disso, e por esse motivo evitam a Fusão Permanente para manter o seu relacionamento com todos os outros seres. Se não o evitassem, se fundiriam em todos os outros seres, e experimentariam a Unicidade Eterna.

Esse é o estado de onde viemos.

Tendo-nos afastado desse estado, somos constantemente atraídos de novo para ele.

Esse fluxo e refluxo, esse movimento "para cá e para lá", é o ritmo básico do universo, e de tudo nele. Isso é o sexo - A Troca de Energia Sinérgica.

Vocês estão sendo constantemente atraídos, impelidos, para a união uns com os outros (e com tudo que está na Matriz) e, no Momento da União, evitam por escolha consciente essa União. Sua escolha é permanecer sem ela, para poder experimentá-la. Porque quando você se torna parte dessa União e permanece assim, não pode conhecê-la como União, já que não conhece mais a Separação.

Colocado de outro modo: para Deus conhecer-Se como a Totalidade, deve conhecer-Se como não sendo a Totalidade.

Em você - e em todas as outras unidades de energia do universo - Deus Se conhece como Partes da Totalidade - e assim Se dá a possibilidade de conhecer-Se como a Totalidade de Tudo em Sua Própria Experiência.

Eu só posso experimentar o que sou experimentando o que não sou. Contudo, Eu sou o que não sou - e de tal modo você vê a Dicotomia Divina. Daí, a frase: Eu Sou o que Sou.

Agora, como Eu disse, esse fluxo e refluxo natural, esse ritmo natural do universo, caracteriza toda a vida - inclusive os próprios movimentos que criam vida em sua realidade.

Vocês são impelidos na direção uns dos outros, como por uma força insistente, apenas para afastar-se e separar-se, ser impelidos novamente na direção uns dos outros, mais uma vez separar-se e de novo, ansiosa e apaixonadamente, procurar a união total.

Seus corpos dançam juntos-separados, juntos-separados, juntos-separados, em um movimento tão básico e instintivo, que vocês têm muito pouca consciência da ação deliberada. Em algum ponto tornam-se automáticos. Ninguém precisa dizer a seus corpos o que fazer.

Eles simplesmente o fazem - com o ímpeto de toda vida.

Isso é a própria vida, expressando-se como a própria vida.

E isso é a própria vida produzindo nova vida com a sua própria experiência.

Toda vida funciona nesse ritmo; toda vida É o ritmo.

E, portanto, toda vida é imbuída do ritmo suave de Deus - que vocês chamam de ciclos vitais.

Os alimentos germinam nesse ritmo. As estações vêm e vão. Os planetas giram e traçam órbitas. Os sóis explodem e implodem, e explodem novamente. Os universos inspiram e expiram. Tudo isso acontece em ciclos, ritmos e vibrações que correspondem às freqüências de Deus/Deusa - da Totalidade.

Porque Deus é a Totalidade, e a Deusa é tudo, e nada mais é; e tudo que já existiu, existe agora e sempre existirá, é seu mundo infinito.

Amém.



O interessante em conversar com Deus é que o Senhor sempre me deixa com mais perguntas do que respostas. Agora eu tenho perguntas sobre política, assim como sobre sexo!



Alguns dizem que são a mesma coisa, que na política tudo que você sempre faz é...



Espere um minuto! O Senhor não vai dizer uma obscenidade, vai?



Bem, sim ... achei que iria chocá-lo um pouco.



Ei! Pare com isso! Deus não deve falar assim!



Então por que vocês falam?



A maioria de nós não fala.



É claro que fala!



As pessoas que são tementes a Deus não falam!



Ah, Eu entendo, vocês têm de temer a Deus para não ofendê-Lo.

E quem disse que Eu me ofendo, com uma simples palavra?

E, afinal, você não acha interessante o fato de que uma palavra que alguns empregam no auge da paixão para descrever um ótimo sexo, também usam como o seu maior insulto? Isso não lhe diz nada sobre o modo como vocês se sentem a respeito da sexualidade?



Eu acho que o Senhor confundiu as coisas. Não creio que as pessoas usem esse termo para descrever um momento sexual glorioso e realmente romântico.



Ah, não? Você tem entrado em algum quarto ultimamente?



Não. O Senhor tem?



Eu estou em todos eles - o tempo todo.



Bem, isso deveria fazer com que nos sentíssemos à vontade...



O quê? Está dizendo que vocês fazem coisas em seus quartos que não fariam na Minha frente?



A maioria das pessoas não se sente à vontade com ninguém observando, muito menos Deus.



Contudo, em algumas culturas - aborígines, polinésias - o sexo é praticado abertamente.



Sim, bem... a maioria das pessoas não chegou a esse nível de liberdade. De fato, elas considerariam esse comportamento regressão - a um estado primitivo, pagão.



Essas pessoas que você chama de "pagãs" têm um grande respeito pela vida. Desconhecem o estupro, e praticamente não há assassinatos em suas sociedades. Sua sociedade torna o sexo - uma função humana muito natural e normal - uma coisa oculta, e depois mata as pessoas abertamente. Isso é obscenidade!



Vocês tornaram o sexo tão sujo e vergonhoso - um tabu - que ficam constrangidos ao praticá-lo!



Isso é besteira. A maioria das pessoas simplesmente tem um senso de propriedade diferente - poder-se-ia dizer que maior - em relação ao sexo. Elas o consideram uma interação particular; para algumas, é uma parte sagrada de seu relacionamento.



Falta de privacidade não é o mesmo que falta de santidade. A maioria dos ritos mais sagrados da humanidade são realizados em público.

Não confunda privacidade com santidade. Quase todos os seus piores atos são realizados em particular, e vocês reservam apenas os seus melhores comportamentos para ser mostrados em público.

Isso não é uma defesa do sexo público; é meramente uma observação de que privacidade não é necessariamente o mesmo que santidade - e que a publicidade não a rouba de você.

Quanto à propriedade, essa palavra e o conceito comportamental por trás dela fizeram mais para acabar com as maiores alegrias de homens e mulheres do que qualquer outra construção humana exceto a idéia de que Deus é castigador - que completou o trabalho.



Aparentemente, o Senhor não acredita em propriedade.



O problema com a "propriedade" é que alguém tem de estabelecer os padrões. O que significa, automaticamente, que seus comportamentos são limitados, dirigidos, ditados pela idéia de outra pessoa do que lhe traria alegria.

No tocante à sexualidade - e a todas as outras coisas - isso pode ser mais do que "Iimitador", pode ser devastador.

Eu não consigo pensar em nada mais triste do que um homem ou uma mulher achando que gostariam de experimentar algo, e depois se contendo por achar que aquilo com que sonharam, que fantasiaram, iria contra os "Padrões de Propriedade"!

Note bem, isso não é algo que eles não fariam - é apenas algo que consideram "inadequado".

Não apenas no que diz respeito à sexualidade, como em toda a vida, nunca deixe de fazer algo apenas porque poderia ir contra os padrões de propriedade de outra pessoa.

Se eu tivesse um adesivo em meu carro, estaria escrito nele:

REJEITE OS PADRÕES DE PROPRIEDADE Eu certamente colocaria um aviso assim em todos os quartos.



Mas o nosso conceito de "certo" e "errado" é o que mantém a sociedade unida. Como podemos viver em comum se não chegarmos a um acordo sobre isso?



"Propriedade" não tem nada que ver com os seus valores relativos de "certo" ou "errado". Todos vocês poderiam concordar em que é "errado" matar um homem, mas é "errado" correr nu na chuva? Poderiam concordar em que é "errado" possuir a mulher do próximo, mas é "errado" "possuir" a própria mulher - ou fazê-la "possuí-lo" de um modo delicioso?

"Propriedade" raramente se refere às limitações legais, mas freqüentemente a questões mais simples do que é considerado "adequado".

O comportamento "adequado" nem sempre é aquele que, como vocês dizem, é do seu "maior interesse". Raramente é o comportamento que lhe traz mais alegria.



Voltando à sexualidade, então o Senhor está dizendo que qualquer comportamento é aceitável, desde que haja consentimento mútuo de todos os envolvidos e afetados?



Isso não deveria ser verdadeiro no que diz respeito a toda a vida?



Mas às vezes nós não sabemos quem será afetado, ou como...



Você deve ser sensível a isso. Deve ficar muito consciente. E quando não puder realmente saber, e imaginar, deve ficar do lado do Amor.

A principal pergunta em QUALQUER decisão é: "O que o amor faria agora?" Amor por si mesmo, e por todos os afetados ou envolvidos.

Se você amar uma pessoa, não fará nada que ache que poderia prejudicá-la. Se houver alguma dúvida, esperará até ter certeza.



Mas isso significa que as outras pessoas podem "controlá-lo". Tudo que têm de dizer é que uma determinada coisa as "prejudicaria", e seus atos serão limitados.



Apenas pelo seu Eu. Você não desejaria limitar os seus próprios atos aos que não prejudicam as pessoas que ama?



Mas e se você se sentir prejudicado por não fazer alguma coisa?



Então deve dizer à pessoa amada a sua verdade - que está se sentindo prejudicado, frustrado, limitado por não fazer uma determinada coisa; que gostaria de fazê-la, que ela concordasse em que a fizesse.

Você deve tentar esse acordo. Tente chegar a um meio-termo, uma linha de conduta que permita que todos saiam ganhando.



E se essa linha de conduta não puder ser encontrada?



Então Eu repetirei o que já disse:

Trair a si mesmo para não trair outra pessoa é apesar disso Traição.

A Maior Traição.

Seu Shakespeare disse isso de outro modo:

Para seres verdadeiro, É certo que, como a noite segue-se ao dia, Não podes ser desleal Com nenhum homem.



Mas o homem que sempre faz o que quer torna-se muito egoísta. Não acredito que o Senhor defenda essa atitude.



Você presume que o homem sempre fará o que chama de "escolha egoísta". Eu lhe digo que ele é capaz de fazer a melhor escolha.

Mas Eu também lhe digo que:

A Melhor Escolha nem sempre é a escolha que parece ser boa para outra pessoa.



Em outras palavras, às vezes temos de nos colocar em primeiro lugar.



Ah, vocês sempre devem se colocar em primeiro lugar! Então, dependendo do que estiverem tentando fazer - ou experimentar farão as suas escolhas.

Quando seus objetivos - de vida - são muito elevados, suas escolhas também serão.

Colocar-se em primeiro lugar não significa ser o que você chama de "egoísta" - mas ter consciência de si mesmo.



O Senhor trata dos assuntos humanos com muita benevolência.



É apenas através do exercício da maior liberdade que é conseguido - ou até mesmo possível - o maior crescimento.

Se tudo que você faz é seguir as regras de outra pessoa, então não cresceu, obedeceu.

Ao contrário do que você imagina, Eu não desejo a sua obediência. Obediência não é crescimento, e o que Eu desejo é crescimento.



E se nós não "crescermos", o Senhor nos atirará no inferno, certo?



Errado. Mas Eu discuti isso no Livro I, e nós o discutiremos detalhadamente no Livro III.



Está bem. Então, dentro desses amplos parâmetros que o Senhor estabeleceu, posso fazer algumas últimas perguntas sobre o sexo antes de mudarmos de assunto?



Vá em frente.



Se o sexo é uma parte tão maravilhosa da experiência humana, por que tantos mestres espirituais pregam a abstinência? E por que tantos mestres foram aparentemente celibatários?



Pelo mesmo motivo pelo qual quase todos eles têm sido descritos como levando uma vida simples. Aqueles que atingiram um alto nível de compreensão colocam seus desejos carnais em equilíbrio com suas mentes e almas.

Vocês são seres de três partes e a maioria das pessoas se experimenta como um corpo. Até mesmo a mente é esquecida depois dos trinta anos. Ninguém lê mais. Ninguém escreve. Ninguém ensina. Ninguém aprende. A mente é esquecida. Não é alimentada. Não é expandida. Nada lhe é acrescentado. O mínimo lhe é exigido. A mente não é estimulada. Não é despertada. É aquietada. Embotada. Vocês fazem tudo que podem para torná-la ociosa. Televisão, filmes, revistas sensacionalistas. Seja o que for que fizerem, não pensam, não pensam, não pensam!

Portanto, a maioria das pessoas leva a vida em um nível carnal.

Alimenta e veste o corpo, enche-o de "porcarias". Elas não lêem um bom livro - quero dizer, um livro com o qual possam aprender algo - há anos. Mas sabem toda a programação semanal da televisão.

Há algo de muito triste nisso.

A verdade é que a maioria das pessoas não quer ter de pensar.

Elas elegem líderes, apóiam governos, adotam religiões que não exigem um pensamento independente.

"Facilite as coisas para mim. Diga-me o que fazer. "A maioria das pessoas quer isso. Onde eu me sento? Onde fico? Como deveria cumprimentar? Quando eu pago? O que você quer que eu faça? Quais são as regras? Quais são os meus limites? Diga-me, diga-me, diga-me. Eu farei isso - alguém apenas me diga!

Então elas ficam desgostosas, desiludidas. Seguiram todas as regras, fizeram o que lhes foi ordenado. O que deu errado? Por que isso se tornou desagradável? Por que não deu certo?

Deixou de dar certo no momento em que elas abandonaram as suas mentes - as melhores ferramentas criativas que já tiveram.

É hora de você reconciliar-se com a sua mente. Seja um companheiro para ela - tem-se sentido muito só. Alimente-a - tem estado faminta.

Alguns de vocês - uma pequena minoria - compreenderam que têm um corpo e uma mente. Trataram bem de suas mentes. Ainda assim, mesmo entre os que respeitam suas mentes - e as coisas da mente - poucos aprenderam a usar mais de um terço da sua capacidade. Se soubessem do que suas mentes são capazes, nunca parariam de partilhar suas maravilhas - e seus poderes.

E se você acha pequeno o número de pessoas que põe em equilíbrio em sua vida corpo e mente, o número que se vê como um ser de três partes - Corpo, Mente e Espírito - é mínimo.

Contudo, vocês são seres de três partes. Você é mais do que seu corpo, e mais do que um corpo com uma mente.

Você está cuidando da sua alma? Está ao menos notando-a? Está curando-a ou ferindo-a? Está crescendo ou diminuindo? Está se expandindo ou restringindo?

Sua alma está tão solitária quanto a sua mente? É ainda mais negligenciada? Quando foi a última vez que você sentiu que sua alma estava sendo manifestada? Que chorou de alegria? Escreveu poesia?

Compôs música? Dançou na chuva? Assou uma torta? Pintou alguma coisa? Consertou algo que estava quebrado? Beijou um bebê?

Encostou um gato em seu rosto? Subiu uma colina? Nadou nu? Caminhou durante o pôr-do-sol? Tocou harmônica? Conversou até de madrugada? Fez amor durante horas... em uma praia, no bosque?

Harmonizou-se com a natureza? Procurou Deus?

Quando foi a última vez que você se sentou sozinho em silêncio, viajando para a parte mais profunda de seu ser? Quando foi a última vez que disse olá para a sua alma?

Quando você vive como uma criatura de uma só faceta, preocupa-se muito com os assuntos do corpo. Dinheiro. Sexo. Poder. Bens materiais. Estimulações físicas e satisfações. Segurança. Fama. Ganho financeiro.

Quando você vive como uma criatura de duas facetas, também se preocupa com os assuntos da mente. Companheirismo. Criatividade.

Estimulação de novos pensamentos, novas idéias. Criação de novos objetivos, novos desafios. Crescimento pessoal.

Quando você vive como um ser de três partes, finalmente fica em equilíbrio consigo mesmo. Suas preocupações incluem assuntos da alma. Identidade espiritual. Objetivo de vida. Relacionamento com Deus. Caminho para a evolução. Crescimento espiritual. Destino final.

Quando você evolui para estados de consciência cada vez mais elevados, realiza plenamente todos os aspectos de seu ser.

Evoluir não significa desistir de alguns aspectos do Eu a favor de outros. Significa simplesmente ampliar o foco; evitar o envolvimento quase exclusivo com um aspecto e reconhecer e amar genuinamente todos os aspectos.



Então por que tantos mestres defendem uma completa abstinência do sexo?



Porque eles não acreditam que os seres humanos podem chegar a um equilíbrio. Acreditam que a energia sexual - e as energias que cercam outras experiências mundanas - é forte demais para ser contida; para produzir equilíbrio. Acreditam que a abstinência é o único caminho para a evolução espiritual, em vez de apenas um possível resultado dela.



Mas não é verdade que alguns seres muito evoluídos "desistiram do sexo"?



Não no sentido clássico da palavra "desistir". Isso não é uma renúncia a algo que você ainda deseja mas sabe que "não é bom ter".

É mais uma sensação de saciedade - como quando não repete a sobremesa. Não porque a sobremesa não é boa. Nem mesmo porque não é boa para você. Mas simplesmente porque, embora tenha sido ótima, você está satisfeito.

Quando você consegue diminuir o seu envolvimento com o sexo por esse motivo, pode desejar fazer isso. Como não desejar. Pode nunca decidir que está "satisfeito" e sempre querer essa experiência, em equilíbrio com as outras experiências da sua Vida.

Não há nada de errado em agir assim. As pessoas sexualmente ativas não são menos qualificadas para a iluminação, menos evoluídas espiritualmente, do que as sexualmente inativas. O que a iluminação e a evolução realmente o fazem abandonar é o seu vício em sexo, sua profunda necessidade de ter a experiência, seus comportamentos compulsivos.

Do mesmo modo, sua preocupação com dinheiro, poder, segurança, bens materiais e outras experiências do corpo desaparecerá.

Contudo, continuará a apreciá-las, e deveria apreciar. A apreciação de toda a vida é o que glorifica o Processo que Eu criei. O desdém pela vida ou qualquer um de seus prazeres - até mesmo os mais básicos e físicos - é desdém por Mim, o Criador.

Porque quando você diz que a Minha criação é pecaminosa, do que está Me chamando? Contudo, quando diz que a Minha criação é sagrada, santifica a sua experiência com relação a ela, e também a Mim.

Eu lhe digo que não criei nada desdenhosamente - e, como seu Shakespeare disse, nada é "pecado", a menos que o seu pensamento o faça ser.



Isso me leva a algumas perguntas finais sobre o sexo.

Qualquer tipo de sexo praticado por adultos por livre e espontânea vontade é aprovado por Deus?



Sim.



Até mesmo o sexo "depravado"? Sem amor? As relações homossexuais?



Em primeiro lugar, vamos deixar claro mais uma vez que nada é desaprovado por Deus.

Eu não me sento aqui e fico julgando, dizendo que uma ação é Boa e outra é Má.

(Como você sabe, Eu falei um pouco sobre isso no Livro 1.) Agora, dentro do contexto do que lhe serve - ou não - em seu Caminho de Evolução, só você pode saber.

Contudo, há um ponto em que a maioria das almas evoluídas concorda.

Nenhum ato que prejudica outra pessoa leva à rápida evolução.

Também há um segundo ponto.

Nenhum ato que envolve outra pessoa pode ser realizado sem o seu consentimento e sem a sua permissão.

Agora, vamos responder às perguntas que você acabou de fazer dentro do contexto dessas diretrizes.

Sexo" depravado"? Se não prejudicar a ninguém, e for feito com a permissão dos envolvidos, que motivo alguém teria para considerá-lo "errado"?

Sexo sem amor? O sexo "sem compromisso" é debatido desde o início dos tempos. Sempre que ouço essa pergunta, penso que gostaria de algum dia entrar em uma sala cheia de pessoas e dizer: “Se houver alguém aqui que nunca teve sexo fora de um relacionamento amoroso profundo e duradouro, que erga a mão”. Deixe-me apenas dizer que nada sem amor é o caminho mais rápido para a Deusa.

Se for sexo sem amor ou espaguete e almôndegas sem amor, se você preparou o banquete e o consumiu sem amor, está perdendo a parte mais extraordinária da experiência.

É errado perder isso? Aqui, mais uma vez, "errado" pode não ser a palavra exata. "Desvantajoso" seria melhor, dado o seu desejo de tornar-se o mais rapidamente possível um ser espiritual superior.

Sexo homossexual? Tantas pessoas querem dizer que Eu sou contra a homossexualidade - ou o seu exercício. Contudo, Eu não julgo essa escolha de vocês, ou qualquer outra.

As pessoas querem fazer todos os tipos de julgamentos de valor sobre tudo - e Eu estrago a festa. Não quero juntar-me a elas nesses julgamentos, o que é especialmente desconcertante para aqueles que dizem que Eu os originei.

Eu realmente observo que houve um tempo em que as pessoas pensavam que o casamento entre raças diferentes não era só desaconselhável, mas contra a lei de Deus. (Surpreendentemente, algumas ainda pensam isso.) Elas viam as suas Bíblias como as suas fontes autorizadas - como fazem a respeito de questões que cercam a homossexualidade.



O Senhor quer dizer que pessoas de raças diferentes podem se unir pelo casamento?



A pergunta é absurda, mas nem de perto tão absurda como a certeza de alguns de que a resposta é "não".



As perguntas sobre a homossexualidade são igualmente absurdas?



Você é quem decide. Eu não tenho um julgamento sobre isso, ou coisa alguma. Sei que vocês gostariam que Eu tivesse. Isso tornaria as suas vidas muito mais fáceis. Sem decisões a tomar. Decisões difíceis.

Tudo seria decidido para vocês. Não teriam de fazer nada além de obedecer. Isso não seria bem uma vida, pelo menos em termos de criatividade e poder pessoal, mas por outro lado... não haveria estresse.



Deixe-me fazer-Lhe algumas perguntas sobre sexo e filhos. Em que idade é apropriado permitir às crianças tornarem-se conscientes da sexualidade como uma experiência de vida?



As crianças têm consciência de si mesmas como seres sexuais - o que quer dizer, como seres humanos - desde o início de suas vidas.

O que muitos pais em seu planeta fazem agora é tentar não estimula-las a perceber isso. Se a mão de um bebê vai para o "lugar errado", vocês a tiram dali. Se uma criança pequena começa a encontrar momentos de satisfação sexual no prazer inocente proporcionado por seu próprio corpo, vocês reagem horrorizados, e passam essa sensação de horror para ela. A criança se pergunta: o que fiz, o que fiz? Mamãe está furiosa. O que fiz?

Com a sua raça de seres, isso não tem sido uma questão de quando vocês tornam o sexo conhecido para os seus filhos, mas de quando param de exigir que eles neguem as suas próprias identidades como seres sexuais. Quando seus filhos têm entre 12 e 17 anos, a maioria de vocês já deixou de exigi-lo e diz basicamente (embora naturalmente não com palavras - vocês não falam sobre essas coisas): "Está bem, agora vocês podem notar que têm partes sexuais e coisas sexuais a fazer com elas". Contudo, a essa altura o mal já foi feito. Durante dez anos ou mais seus filhos aprenderam que deviam sentir vergonha dessas partes do corpo. Alguns nem mesmo sabem o nome certo delas. Ouvem algo de "bumbum" para suas nádegas a palavras que alguns de vocês se esforçam para inventar - para evitar dizer simplesmente "pênis" ou "vagina".

Tendo assim ficado muito claro que todas as coisas relacionadas com aquelas partes do corpo devem ser escondidas, não mencionadas e negadas, seus filhos entram na puberdade sem saber o que fazer com o que está acontecendo com eles. Não tiveram preparação alguma. Então é claro que se portam mal, reagindo a suas novas e mais prementes necessidades de modo desastrado, se não impróprio.

Isso não é necessário e nem útil para seus filhos, muitos dos quais entram em suas vidas adultas com tabus sexuais, inibições e grandes bloqueios.

Nas sociedades iluminadas, os filhos nunca são desencorajados, repreendidos ou "corrigidos" quando começam cedo a encontrar prazer nas naturezas de seus próprios seres. Tampouco a sexualidade de seus pais - isto é, a identidade de seus pais como seres sexuais – é evitada ou necessariamente oculta. Os corpos nus dos pais, dos filhos ou dos seus irmãos são vistos e tratados como sendo totalmente naturais e maravilhosos - não como coisas de que devem se envergonhar.

As funções sexuais também são vistas como sendo totalmente naturais e maravilhosas.

Em algumas sociedades, os pais copulam na frente de seus filhos _ e o que poderia dar-lhes uma idéia melhor da beleza, da maravilha e da pura alegria da expressão sexual do amor do que isso? Porque os pais estão constantemente ditando os padrões de "certo" e "errado" de todos os comportamentos, e os filhos captam seus sinais sutis e não tão sutis de tudo através do que os vêem pensando, dizendo e fazendo.

Como já foi observado, você pode chamar essas sociedades de "pagãs" ou "primitivas", contudo nelas o estupro e os crimes passionais praticamente não existem, a prostituição é ridicularizada como sendo absurda e não se houve falar em inibições e disfunções sexuais.

Embora essa abertura não seja recomendada neste exato momento para a sua própria sociedade (em todos os ambientes, exceto nos mais extraordinários, sem dúvida seria muito estigmatizadora culturalmente), é hora das assim chamadas civilizações modernas de seu planeta fazerem algo para acabar com a repressão, a culpa e a vergonha que freqüentemente cercam e caracterizam a totalidade da expressão e a experiência sexual de sua sociedade.



O Senhor tem alguma sugestão? Alguma idéia?



Parem de ensinar a seus filhos desde o início de suas vidas que as coisas relacionadas com o funcionamento muito natural de seus corpos são vergonhosas e erradas. Parem de demonstrar-lhes que tudo que é sexual deve ser escondido. Permitam-lhes ver e observar o lado romântico de vocês. Deixem-nos vê-los abraçando-se, tocando-se e acariciando-se suavemente ver que seus pais se amam e que demonstrar o seu amor fisicamente é algo muito natural e maravilhoso.

(Você ficaria surpreso em saber em quantas famílias essa simples lição nunca foi ensinada.) Quando seus filhos começam a ter as suas sensações, curiosidades e necessidades sexuais, façam com que eles liguem essa nova e abrangente experiência de si mesmos a uma sensação interior de alegria e celebração, não de culpa e vergonha.

E por favor, parem de esconder seus corpos de seus filhos. Não há mal algum em que eles os vejam nadando nus em um poço de rio ou na piscina do pátio dos fundos; não fiquem em estado de choque se eles os virem indo do quarto para o banheiro sem roupões; parem com essa enorme necessidade de se cobrir, evitar todas as oportunidades, embora inocentes, de se mostrar para seus filhos como seres com suas próprias identidades sexuais. As crianças acham que seus pais são assexuados porque eles se mostraram assim. Então imaginam que elas devem ser assim, porque todas as crianças imitam seus pais. (Os terapeutas dizem que alguns filhos adultos têm, até hoje, muita dificuldade em imaginar seus pais "fazendo aquilo", o que, é claro, enche esses filhos - agora seus pacientes - de raiva, culpa ou vergonha, porque naturalmente desejam fazê-lo, e se perguntam o que há de errado com eles.) Então falem sobre sexo com seus filhos, riam do sexo com seus filhos, ensinem, permitam, lembrem e mostrem a eles como celebrar a sua sexualidade. É isso que vocês podem fazer por seus filhos. E façam-no desde o dia em que nascerem, com o primeiro beijo, o primeiro abraço e o primeiro carinho que receberem de vocês, e que os virem recebendo de seus parceiros.



Obrigado. Obrigado. Eu tinha muitas esperanças de que o Senhor trouxesse um pouco de sanidade para esse tema.

Mas tenho uma última pergunta. Quando é apropriado discutir especificamente a sexualidade com os seus filhos?



Eles lhes dirão quando chegar a hora. Cada criança deixará isso claro, se vocês realmente estiverem atentos. De fato, esse é um processo gradual. E vocês saberão o modo apropriado para a idade de seus filhos de lidar com o desenvolvimento da sexualidade, se tiverem acabado com os seus próprios "bloqueios" em relação a ela.



Como fazemos isso?



Façam o que é preciso. Participem de um seminário. Vão a um terapeuta. Juntem-se a um grupo. leiam um livro. Meditem sobre ele.

Descubram uns aos outros - acima de tudo, descubram novamente uns aos outros como homens e mulheres: reexaminem, recuperem e reclamem as suas próprias sexualidades. Celebrem isso. Apreciem isso. Admitam isso.

Admitam com alegria as suas próprias sexualidades, e então poderão incentivar seus filhos a admitir as deles.



Mais uma vez, obrigado. E agora, deixando de lado as considerações sobre os filhos e voltando ao tema mais amplo da sexualidade humana, eu tenho mais uma pergunta para Lhe fazer. E ela pode parecer frívola e até mesmo desrespeitosa, mas não posso deixar este diálogo terminar sem fazê-la.



Bem, pare de se desculpar e apenas faça a pergunta.



Está bem. O sexo pode ser "excessivo"?



Não. É claro que não. Mas a necessidade de sexo pode ser exces-

siva.

Eu sugiro que:



Desfrute de tudo.

Não necessite de coisa alguma.



Inclusive das pessoas?



Inclusive das pessoas. Especialmente delas. Necessitar de alguém é o modo mais rápido de acabar com um relacionamento.



Mas todos nós gostamos de nos sentir necessários.



Então parem de gostar. Em vez disso, gostem de se sentir desnecessários - porque a maior dádiva que você pode conceder a alguém é a força e o poder para não necessitar de você, para nada.




extrato de
CONVERSANDO COM DEUS
Novo diálogo sobre os maiores problemas que afligem a humanidade
Livro II por Neale Donald Walsch
avatar
Grazyela

Mensagens : 73
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  rosiana em Sab 01 Jan 2011, 10:03 pm

Grazyela escreveu:Sim - acho que é hora de nós conversarmos sobre Sexo. farao

Oi Grazyela, recebi um e-mail igualzinho a esse texto que voce postou, ao

única diferença é que recebi com o link do blog, que é este: http://goo.gl/vno6

Interessante!
avatar
rosiana

Mensagens : 65
Data de inscrição : 05/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Grazyela em Dom 02 Jan 2011, 10:06 am

nao tenho nada a digitar mas uma coisa eu digo é só um amigo.


O texto é maravilhoso, assim como todos do Walsh.
avatar
Grazyela

Mensagens : 73
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  rosiana em Dom 02 Jan 2011, 4:06 pm

Apesar de termos pontos de vista diferentes, hoje tambem o considero um amigo.

Esse texto de Neale Donald Walsch é pra voce e todos que o apreciam tambem:


O silêncio da alma!

Lembre-se: os silêncios mantêm os segredos,
portanto, o som mais doce é o som do silêncio.
Essa é a canção da alma.
Alguns escutam o silêncio na oração, outros
cantam a canção em seu trabalho, alguns
procuram os segredos na contemplação tranqüila.
Quando se alcança a maestria, os sons do mundo
se apagam, as distrações se aquietam.
Toda a vida se transforma em meditação.
Tudo na vida é uma meditação na qual se pode
contemplar o Divino e vivendo dessa forma,
aprendemos que tudo na vida é bênção.
Já não há luta, nem dor, nem preocupação.
Só há experiência.
Respira em cada flor, voa com cada pássaro,
encontra beleza e sabedoria em tudo,
já que a sabedoria está em todos os lugares
onde se forma a beleza.
E a beleza se forma em todas as partes,
não há que procurá-la, porque ela virá a ti.
Quando ages nesse estado, transformas tudo
o que fazes numa meditação e assim, num dom,
num oferecimento de ti para tua alma
e de tua alma para o Todo.
Ao lavar os pratos desfruta do calor da água
que acaricia tuas mãos.
Ao preparar a ceia sinta o amor do universo
que te trouxe esse alimento e, como um presente
teu ao preparar essa comida, derrama nela
todo o amor de teu ser.
Ao respirar, respira longa e profundamente,
respira lenta e suavemente, respira a suave
e doce simplicidade da vida, tão plena de
energia, tão plena de amor.
É amor de Deus o que estás respirando.
...Respira profundamente e poderás senti-lo.
Respira muito, muito profundamente e o amor
te fará chorar.......... de alegria.
Porque conheceste teu Deus e teu Deus
te presenteou com tua alma.
Faz da tua vida e de todos os acontecimentos
uma meditação.
Caminha na vigília, não adormecido.
Sempre és Um com Deus,
Sempre és bem-vindo à casa.
Porque teu lar é Meu coração
e o Meu é o teu.
avatar
rosiana

Mensagens : 65
Data de inscrição : 05/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  rosiana em Seg 03 Jan 2011, 1:38 am

avatar
rosiana

Mensagens : 65
Data de inscrição : 05/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Qui 06 Jan 2011, 11:53 am

Olá....

Agora eles estão sendo definitivamente atraídos para o Corpo Entre Eles. TOMARY já está sendo experimentado metafisicamente, e Tom e Mary desejarão experimentá-lo fisicamente. Então eles se aproximarão mais. Não para chegar um no outro. Parece ser assim para o observador casual. Ambos tentam chegar em TOMARY, esse lugar de União Divina que já existe entre eles. O lugar em que já sabem que são Um - e como é Ser Um.

(...)
Há um processo químico também. Os dois se tornaram Um - e freqüentemente um terceiro ser é criado a partir deles, em forma física.

Assim, uma imagem de TOMARY é criada. Carne de sua carne



Ei, isso não existe! é só ter um mínimo de vidência para ver que não existe!
O processo de criação resulta em uma criança, filha dos dois e não em um corpo...entre eles.
Também é necessário que se entenda que no óvulo fertilizado o espírito não se encarna imediatamente. Fica perto da mãe, mas não está ligado de forma definitiva ao corpo em formação, ou seja, não está dentro do corpo em formação. Isso só ocorre no nascimento.
Toda a criação é feita da mesma forma, através do gênero que significa gerar, procriar, produzir. Na terceira dimensão, da vida orgânica, o gênero é o sexo. Mas o gênero ocorre em outros planos também em forma superior de expressão como na criação mental e espiritual.

Outro reparo até onde li:

Então a Consciência Coletiva produz resultados coletivos.

Pois é, não existe consciência coletiva. Consciência é uma conquista individual espiritual.
Mente coletiva existe? acho que sim. Pois a mente coletiva é bem próxima da mente concreta, esta que usamos no dia a dia. Todos temos "de graça". Agora a consciência já é parte da mente abstrata e é uma conquista pessoal.
Existe um registro chamado Akashico que todos podem acessar.
Mas este registro não é a consciência, são os fatos gravados em uma espécie de memória terrestre. Isso é coletivo. Não é tipo um livro e sim tipo uma gravação. As civilizações intraterrenas nos legaram muitos arquivos em pedras (olha, elas parecem muito comuns) que nos aguardam evoluir para podermos acessar com nossas mentes.
Acho que viveremos uma nova civilização totalmente diferente do que existe, criaremos com nossas mentes tudo o que precisarmos mas não vejo essa história de "corpo"...parece aquela história de elemental...que não é assim que funciona.

Não terminei de ler, adorei o texto, mas agora não tenho tempo.

fadinha

Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Grazyela em Dom 09 Jan 2011, 10:36 am



Tantra
Uma visão de sexo diferente

......Porque as pessoas ficam tão entusiasmadas e mencionam a palavra sexo quando escutam a palavra tantra?

O sexo, propriamente dito, vende mais e está na cabeça de muitas pessoas apenas como mais uma coleção de posições diferentes que levam ao orgasmo.

......Tantra não é sexo. Tantra não é religião ou crença.

O verdadeiro tantra, é uma disciplina espiritual rigorosa e um vasto campo de estudos. O tantra é uma atitude onde existem práticas, no sexo, e em outras áreas da vida, que podem ser usadas como ferramentas. Muitas delas incluem métodos psicoterapeuticos, assim como filosofia e técnicas orientais (pranyama, mantra, yantra, etc).

O tantra trata a energia sexual como uma porta para a evolução espiritual, e não como algo a ser reprimido ou comentado como um segredo em voz baixa. É na realidade, o único caminho espiritual que diz que o sexo é sagrado, e não um pecado, jogam- se fora tabus e liberam-se as energias sufocadas pelo nosso modo de viver. ......Reconhecendo e estimulando nossa espiritualidade sensual interior, descobrimos partes de nós mesmos que estavam adormecidas ou repreendidas. O tantra nos livra de culpa ou medo, e fronteiras culturais que nos limitam. No caminho tântrico o prazer, a visão e o êxtase são celebrados em vez de reprimidos, e engloba a beleza, a sensibilidade e a satisfação pelo ato de comer, beber, experimentar, cheirar e tocar. Ele engloba e enfoca todas as formas de expressão criativas, como a dança, massagem, artes marciais, artes plásticas, cura e a música.

......Nossa sexualidade é transportada do plano do fazer para o plano do ser. No sexo tradicional o que se busca é o orgasmo. No sexo tântrico o sexo não tem objetivo concreto, é apenas o momento presente de união harmoniosa e perfeita entre o homem e a mulher, uma saída para o amor incondicional, incluindo a mente, o espirito e o corpo.

......A experiência de transcender o espaço e tempo, ultrapassar a dualidade espírito e matéria, recuperar a unidade primordial, a realização de uma identidade de Deus-Shakti, Deusa-Shiva, e manifestações ou não do todo, constituem o mistério do tantra.

Esta é apenas uma introdução ao assunto. Outros aspectos do tantra serão abordados em nossos próximos artigos.

Equipe de jornalismo do Planeta Natural
Fonte: planetanatural.com.br

avatar
Grazyela

Mensagens : 73
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Grazyela em Dom 09 Jan 2011, 10:56 am

O que é o Kamasutra?
A arte do sexo



......Não existe no ocidente, algo parecido com o Kamasutra, e talvez por esta razão, a visão do sexo como uma arte, tenha que amadurecer muito mais por aqui.

......A repressão que sofremos em nossa sociedade, e a tendência que temos em nos sentirmos culpados internamente, faz com que a maioria dos ocidentais se privem de uma exploração mais aberta de sua sexualidade, sem tabus e preconceitos.

......Praticamente, tudo o que é oferecido em matéria de sexo no ocidente, e até em certos pontos do oriente que sofreram nossas influências, é a pornografia e manuais de sexo quase mecânicos, baseados apenas em encaixes mais anatômicos e técnicas que fariam qualquer um desistir antes de começar a praticá-lo.

......O oriente não considerava o sexo separadamente da espiritualidade ou religião. O ato sexual, tinha um lugar de honra e estava intimamente ligado à outras artes. Homens e mulheres estudavam o Kamasutra e textos similares, já que a arte e a literatura erótica era considerada normal dentro dos lares e sujeita à estudos sérios merecidos de muito respeito.

......Os parâmetros do comportamento sexual oriental, vão muito além da perspectiva limitada que temos no ocidente. O celibato, a monogamia e poligamia tinham um lugar reservado na cultura oriental e amplamente discutidos.

......O Kamasutra de Vatsyayama, escrito na Índia por volta do ano 2500 de nossa era ( ou A.C.), é um trabalho de filosofia, psicologia e ensinamentos hindus. Dividido em 7 partes, é um clássico guia da arte de fazer amor, e reflete os costumes sociais e sexuais dos tempos. Os ensinamentos incluem o uso de óleos, fragrâncias, comportamento entre mulheres e homens, diferentes maneiras de praticar o ato sexual, a arte de cortejar, casamento, afrodisíacos e massagens.

......O Kamasutra transcendeu o tempo, e hoje nos serve de inspiração para momentos de reflexão sobre o comportamento humano.

Equipe de jornalismo do Planeta Natural

Fonte:planetanatural.com.br
avatar
Grazyela

Mensagens : 73
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Qui 03 Mar 2011, 11:14 am

Olá...

Sobre o tantra:

Para o ocidental, geralmente o Tantra é associado a algum tipo de disciplina relacionada à sexualidade, aonde esta seria o foco central dos ritos.

Essa é uma visão equivocada e simples de ser compreendida.

No hinduísmo a sexualidade é vista como algo natural, ao passo que no ocidente judaico-cristão ela é vista como algo impuro em muitos casos.

O hindu e de certa forma os orientais em geral, buscam o controle da sexualidade. O ocidental reprime a sua sexualidade.

Há uma diferença muito grande entre reprimir e controlar. Aquele que reprime seus desejos fica com eles o tempo inteiro na cabeça e perde o domínio sobre sua mente. Aquele que os controla é senhor de si mesmo, sabe a hora de expressá-los e de conte-los.
O Tantra é a disciplina espiritual que surgiu na Índia a aproximadamente sete mil anos e foi evoluindo até se cristalizar na Idade Média.

A palavra tantra significa literalmente “aquilo que libera da escuridão” e suas práticas, ao contrário do que muitos pensam, estão centradas na meditação.

Assim como a maioria das disciplinas espirituais hindus, o Tantra busca a união da consciência individual com a Consciência Infinita ou Cósmica, mas ao contrário dessas disciplinas, o Tantra não despreza a experiência material, pois afirma que o ser tem que se realizar e alcançar a liberação em todos os planos de existência.

O praticante do Tantra dá extrema importância à vivencia espiritual - em detrimento a erudição excessiva praticada pelos Brahmanes (sacerdotes hindus) - e a manipulação e ao controle das energias psico-espirituais do ser, estudando de maneira criteriosa as correntes de energia que fluem no corpo do homem e suas manifestações.

Energia Sexual x Kundalini

O deus Shiva é extremamente importante dentro do universo tântrico sendo a sua manifestação como Parama-Shiva a mais importante.

Parama-Shiva é a Realidade Suprema. Dentro dessa Realidade encontramos Shiva (lit. “O Benevolente”) e Shakti, seu poder. Shiva se desdobra no aspecto subjetivo e masculino da Consciência e Shakti no objetivo e feminino, polarizando a consciência no sentimento de “Eu” e “Isto” mas sem haver uma separação bipolar.

Shakti é a fonte de poder e dinamismo por trás da estabilidade e subjacência de Shiva.

Segundo os textos tântricos, esse Poder (shakti) cria todo o universo através de seu movimento espiralado, sendo conhecido como Maha-Kundali. Essa mesma kundali vai se densificando e criando as várias gradações da matéria, física e espiritual, até “descansar” no sétimo centro energético do homem, situado na base da coluna, entre o ânus e o cóccix. Essa visão é muito semelhante à história cristã que nos diz que Deus criou o mundo em 6 dias e descansou no sétimo. No Tantra, os seis dias seriam os seis chakras superiores (centros psico-energéticos) dispostos ao longo da coluna, os quais representam as diferentes gradações energéticas e consciênciais encontradas na Realidade Manifesta. É no sétimo centro que a kundalini está em estado latente, esperando para ser despertada.

Kundalini é uma palavra sânscrita que tem sua origem em kundal (lit. “enroscado”) e que é muitas vezes traduzida como “poder serpentino”, pois apresenta um movimento espiralado como o de uma serpente.

O “poder serpentino” é energia estritamente espiritual e na sua forma mais densa é associada a energia telúrica (planetária).

Os textos hindus mostram essa estabilidade da kundalini e apontam que sua contraparte dinâmica que vivifica o mundo é o Prana (lit. Energia Vital) que é irradiado pelo Sol, se misturando a nossa atmosfera, água e alimentos. A principal fonte de energia vital que temos se encontra no ar e não na alimentação. Podemos ficar dias sem comer e sem beber água mas não podemos ficar mais que 5 minutos sem respirar.

Os monges tântricos visam o gradual despertar da kundalini, através da prática da meditação em conjunto com visualizações criativas, o uso de mantras e mudrás (gestos sagrados), afim de “absorver” o prana através dos chakras para, através do dinamismo do prana, despertar a kundalini do seu estado latente, imprimindo-lhe movimento.

Para todo movimento existe sua contraparte estática. Quando a kundalini está dormente ela é a contraparte estática do prana. Assim que ela se movimenta na base da coluna, sua contraparte estática passa a ser a região no centro do peito. Quando esta é atingida pela kundalini, a parte estática desloca-se para a região entre as sobrancelhas. Atingindo esse ponto a kundalini fica livre para unir-se a Parama-Shiva, a Realidade Definitiva.

Esse despertar é gradual e deve ser acompanhado, sempre, de um despertar consciencial.

As travas energéticas que existem no centro do peito e na região entre as sobrancelhas existem para a nossa proteção. O nó energético do coração só se desfaz quando o praticante alcança o equilíbrio de seus sentimentos e emoções e o nó da região entre as sobrancelhas se desfaz quanto o reto pensar, o equilíbrio entre amar, agir e pensar é atingido.

Quando o praticante não desenvolve a sua espiritualidade e se perde na busca de poderes, as travas energéticas não se desfazem e o praticante deslumbra-se com a aquisição de poderes psíquicos, tornando-se um potencial mago negro. E é, na maioria dos casos, para essas pessoas que a prática sexual (maithunaa) é importante.

Dentre as energias mais potentes que temos em nosso corpo está a energia sexual. Essa energia é tão poderosa que é capaz de gerar um corpo. Sabendo disso, os tantrikas (como são conhecidos os praticantes do Tantra) buscam a transformação dessa energia em outra mais sutil chamada “ojas” (virilidade, vitalidade), também conhecida como rasa e é nesse sentido que a sexualidade é importante no Tantra.

Muitos monges tântricos praticam o Brahmacharya (lit. Brahman é o mestre), que é a prática de visualizar todos os objetos com o qual você entra em contato como expressões do Brahman Supremo, fazendo com que o praticante fique ininterruptamente ligado a Brahman.

Brahmacharya é, de fato, a prática do controle e equilíbrio dos desejos e ações em todas as esferas de existência, inclusive a sexual, e não somente a prática do celibato ou da retenção do sêmen, para a sua transformação em “ojas”.

Este tipo de pensamento é típico da parte mais ortodoxa dos praticantes hindus, que excluem a prática espiritual das pessoas casadas e das castas inferiores. A essas pessoas restam a pratica dos rituais na forma de adoração a deidades e na prática da devoção. Vale frisar que o Tantra não aceita o sistema de castas.

A espiritualidade mais profunda não chega à população em geral.

É por esse e outros motivos que o Tantra é visto como uma prática marginal na cultura hindu ortodoxa, sendo considerada até mesmo herética, pois abre o ensinamento espiritual para o praticante sincero, mesmo que esse seja um pária.

Um segundo motivo, mas não menos importante, está na mudança da visão que se tinha em relação às mulheres.

Para um asceta em geral, há a seguinte divisão:

O Espírito é Bem-Aventurança e o Homem é igual ao espírito.

A Natureza (mundo material ou fenomênico) é sofrimento e a Mulher é igual à Natureza.

O Tantra quebra essa visão, apesar de continuar vendo a Mulher como igual à Natureza. Mas a diferença está em que os tantrikas vêem a natureza não como uma ilusão (maya) mas sim como uma manifestação de Shakti, o Poder Divino, que era altamente desejável. Assim o convívio e a associação com as mulheres eram altamente desejáveis, pois elas representam a Shakti Universal personificada.

O celibato também é comum ao praticante do tantra e há práticas, como danças ritualísticas, que visam à purificação das glândulas e no auxílio à manutenção do celibato.

As práticas tântricas que usam do intercurso sexual não constituem o cerne da filosofia tântrica e, na maioria das vezes, são interpretadas de maneira errada pelo ocidental. Elas são praticadas com mais periodicidade nas escolas de “Esquerda” ou negativa do Tantra, aonde infelizmente, muitas das práticas se tornavam verdadeiras orgias, devido ao baixo nível espiritual dos seus praticantes.

Como vimos, Shiva e Shakti são os centros da adoração do Tantra. Sendo assim, durante o intercurso sexual, o praticante do tantra vê em sua esposa a personificação da Shakti e a esposa vê em seu marido a personificação de Shiva, fazendo do ato sexual um ritual devocional, relegando a união sexual a segundo plano, pois o foco da união não é o prazer sexual e sim a ligação de coração a coração. É comum durante a prática o esposo vivenciar o “saúdo a Divina Mãe (Shakti) que habita no meu coração” e a esposa o “saúdo o Pai Celestial (Shiva) que habita no meu coração”, levando assim a união dos aspectos masculino e feminino do ser.

Os Tantras (textos sagrados) dizem que Shiva está no topo da cabeça, no chakra Sahashara e que Parvati (Shakti) está presa nas teias do mundo fenomenal, na base da coluna, adormecida pelo veneno de tamas (inatividade, ignorância) e busca ardentemente ser despertada e ir em direção ao seu Bem-Amado.

O praticante do Tantra é extremamente otimista e cultuam a motivação, o pensamento puro e o desejo puro e ”Assim como o Sol seca a tudo, o fogo consome tudo, o yogue aprecia tudo e nunca é maculado pelo pecado.” (Kula-Anarva-Tantra)

Assim, concluímos com a certeza de que o Tantra é fonte de imensuráveis tesouros espirituais, de brilho dourado, mas que ofusca a visão dos que se apegam ao brilho e se deslumbram com ele ao invés de procurar a Fonte desse brilho.

Por Luiz Fernando Mingrone (Enki)


Certamente que esta visão da mulher como simples meio de despertar a espiritualidade do homem é fonte para mim de grande aversão. O texto acima diz:

O Espírito é Bem-Aventurança e o Homem é igual ao espírito.

A Natureza (mundo material ou fenomênico) é sofrimento e a Mulher é igual à Natureza.


E assim é o pensamento de todas essas técnicas que na verdade utilizam mesmo (e é o que funciona) é a respiração e a visualização.
Esse pensamento sobre a mulher é uma constante em todas elas e hoje procura-se amenisar isso, mas, é exatamente esse o pensamento como se o homem fosse superior à mulher.

fadinha

Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Maria Elisa em Qui 03 Mar 2011, 11:22 am

Esta

parte do texto acima é muito importante:

Os textos hindus mostram essa estabilidade da kundalini e apontam que sua contraparte dinâmica que vivifica o mundo é o Prana (lit. Energia Vital) que é irradiado pelo Sol, se misturando a nossa atmosfera, água e alimentos. A principal fonte de energia vital que temos se encontra no ar e não na alimentação. Podemos ficar dias sem comer e sem beber água mas não podemos ficar mais que 5 minutos sem respirar.

Os monges tântricos visam o gradual despertar da kundalini, através da prática da meditação em conjunto com visualizações criativas, o uso de mantras e mudrás (gestos sagrados), afim de “absorver” o prana através dos chakras para, através do dinamismo do prana, despertar a kundalini do seu estado latente, imprimindo-lhe movimento.

Para todo movimento existe sua contraparte estática. Quando a kundalini está dormente ela é a contraparte estática do prana.


Muito sol para todos!

fadinha

Maria Elisa

Mensagens : 73
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Farpa em Qua 20 Abr 2011, 3:36 pm

ACOLHENDO A SAGRADA AUTONOMIA
Uma mensagem de Metatron canalizada por James Tyberonn em
julho de 2010
Saudações, Queridos! Eu sou Metatron, Senhor da Luz. Bem-vindos a esta reunião. Envolvemos cada um de vocês num vetor de Amor Incondicional especialmente criado; um vetor de espaço não-linear que é aberto exclusivamente enquanto cada um de vocês lê estas palavras, no espaço e tempo escolhido por si próprio.

A atual fase de tempo linear no seu planeta é uma ocasião particularmente oportuna para auto-revisão e isolamento. Mestres, muitos de vocês, especialmente os que estão com mais de 49 anos (7 ciclos de 7 anos), encontram-se num estado de isolamento, depois que os cônjuges se foram, relacionamentos terminaram e contratos matrimoniais chegaram ao fim. E embora esse caminho muitas vezes seja um tanto solitário e difícil, e possa parecer antinatural para muitos de vocês, ele tem um propósito. Por isto lhes dizemos que usem este tempo sabiamente, que o acolham. Vocês estão à beira de uma importante formatura.

Há uma mensagem que se repete em muitos dos seus textos religiosos, que diz: “Existe um tempo para tudo, existe um tempo para cada propósito sob o Céu.”

Com certeza existe um tempo para a solidão. A Solidão Divina é uma condição nobre, que oferece saltos quânticos em termos de crescimento, quando compreendida e reconhecida pelo seu propósito profundo. Vejam que, no fim das contas, o Eu Divino é totalmente solitário na sua busca final pela onipotência.

Como vocês mesmos dizem, a alma chega à Terra sozinha e o espírito parte da Terra sozinho também. Os Mestres Ascensos que caminharam pela Terra buscaram o isolamento durante milênios, nas suas encarnações anteriores à conquista da Maestria. E assim acontece com muitos de vocês.

Queridos, muitos de vocês, que se acham sozinhos neste momento, acreditam que devem encontrar um companheiro. Muitos de vocês procuram sua “alma gêmea”, sua chama gêmea. Mas lhes dizemos que muitas almas adiantadas estão sozinhas porque assim o planejaram. Certamente este é um compromisso especial e nobre. Este é o momento para a Divina Solidão; solidão para aqueles que buscam a luz santificada, pois os que procuram o que é chamado de “iluminação consagrada” escolheram períodos específicos de suas vidas para estarem a sós por algum tempo. Isto não quer dizer que estarão sempre sós, mas simplesmente que escolheram a solidão por um tempo, para “trabalharem o Eu”, para alcançarem a auto-estima. Entre as almas que buscam a Maestria, aproximadamente uma entre cada três encarnações é escolhida para a solidão.

AMAR A SI MESMO É UM REQUISITO

O amor por si mesmo é uma condição que muitos perderam, principalmente os de herança Cristã. O Cristianismo, com seu conceito de pecado original, ensinou-lhes que vocês desvirtuaram sua natureza e que precisavam de perdão. Vocês passaram muitas vidas prostrados, pedindo perdão pelo que são. Perderam o sentido da sua divindade, e acharam que era mais fácil dar do que receber. O equilíbrio se perdeu.

Agora lhes dizemos que à medida que a Terra se transforma para a nova Era Cristalina, a natureza da ressonância de energia e o alcance dimensional do planeta se expandem. Há uma diminuição da influência da dualidade/polaridade para aqueles de vocês que escolherem se entender para além da terceira dimensão.

Vocês podem perguntar se a solidão ou a parceria traz mais progresso para a alma. A pergunta é oportuna e especialmente pertinente para muitos de vocês que estão no alvorecer da Ascensão. A resposta breve é que ambas – tanto a parceria quanto a solidão – têm o seu propósito divino… e nós enfatizamos a palavra AMBAS. Muito se ganha estando num relacionamento amoroso e comprometido. Esta é a circunstância natural na maioria das jornadas no plano da Terra. Mas, Mestres, nós lhes dizemos que também existe um grande propósito na solidão. De fato, ela é necessária.

Não é nenhum equívoco que inúmeras pessoas que estão nos passos finais do seu caminho de iluminação estejam sós neste período. Agora é o prelúdio da chegada da Ascensão. Se você estiver entre essas pessoas, lhe dizemos que talvez sua solidão seja apropriada. Talvez seja como deveria ser. Pois foi assim que muitos de vocês planejaram. Entretanto muitos sentem que a solidão é demais para se suportar e que devem procurar um parceiro… a esquiva chama gêmea. Queridos, existe muita confusão ao redor do conceito de chama gêmea, de “alma gêmea”, e do papel e natureza da parceria ideal na Maestria do Eu.

SOLIDÃO E NÃO-DEPENDÊNCIA

O propósito da solidão é ser um período de sublime reverência por si mesmo. Sua vida e sua experiência neste plano é sua própria criação, sua própria tapeçaria viva, tecida por sua crença individual. Na solidão, a alma é induzida à auto-revisão e lhe é dada oportunidade para mergulhar nas profundezas das suas águas internas, para nadar no oceano de SI MESMO e, assim fazendo, redescobrir o amor dentro de si, aprender que você é verdadeiramente uma centelha brilhante de Deus.

Os relacionamentos são um meio de refletir a afetividade do seu sistema de crenças, e – dito de uma forma simples – lhe dar um “feedback” sobre o que está funcionando e o que não está. A separação exige que o indivíduo explore a si mesmo, para se re-familiarizar com o horizonte interior, e isto facilita e exige autonomia. Autonomia é a predominância da Maestria.

Um relacionamento entre dois seres humanos autônomos e não-dependentes tem um equilíbrio maior, mais criatividade e mais longevidade do que uma parceria entre dois seres co-dependentes. Entendem?

No final, cada alma deve definir claramente o EU de modo a alcançar a Maestria. A Maestria do Eu é incorporada nos períodos de isolamento planejado. É nesses períodos que a impecabilidade se cristaliza. E nós lhes dizemos, Queridos, que a cristalização através da impecabilidade é uma fase necessária da Auto-Maestria. É uma ocasião de calibração na jornada multidimensional. Entra-se no vazio, no grande mistério, em busca de fortaleza de espírito e visão soberana, a sós, sem um ombro onde se apoiar. E no processo, descobre-se a sublime inteireza e a auto-realização.

Não entendem erradamente o que queremos dizer; existe um grande valor no casamento, no aspecto natural do companheirismo de almas. Mas, conclusivamente, cada um caminha pela senda da Maestria a sós e com autonomia.

Um indivíduo se torna iluminado quando aprende a transcender o eu físico. Cada um de vocês deve se esforçar para finalmente conquistar o que temos chamado de “impecabilidade”. A impecabilidade é a cristalização ou limpidez uniforme da alma, e é uma virtude necessária à Maestria. Isto envolve a liberação da dependência, a liberação de tudo que não serve à sua divindade. É um reinício e uma reprogramação de tudo o que você é.

Já dissemos que a linguagem, a estrutura da dimensão superior é a geometria sagrada. A impecabilidade é a clareza geométrica da mente da alma. Quando você se define através da impecabilidade, torna-se cristalino e, assim, mais capacitado para a Consciência Divina dentro da luz geométrica de planos superiores coerentes. Você só consegue isto decidindo quem você é, no que acredita, e vivendo de acordo com isso, reconhecendo suas verdades e se alinhando totalmente com elas.

PERGUNTA PARA METATRON: Você está dizendo que relacionamentos como casamento não são nossas uniões essenciais?

ARCANJO METATRON: Lembrem-se que, nos planos superiores, vocês estão em sagrada Unidade, todos fazendo parte do Divino Um. Portanto, em termos de experiência na dualidade, a resposta à sua pergunta é sim. Neste contexto, SIM! Mestres, na realidade superior, vocês são uma consciência múltipla unificada.

Os relacionamentos, na experiência linear da dualidade, são um meio e não um fim. Estamos dizendo que os relacionamentos amorosos são ferramentas sagradas e prazerosas para se alcançar a Auto-Maestria, mas que na jornada de cada alma, há uma necessidade final de se crescer em autonomia. O ser autônomo é um ser auto-suficiente, que realmente não depende de outro para nada. Tal dependência conceitual pode ser um impedimento para a Maestria.

Na verdade, você se funde em autonomia com a sua outra metade, aquela outra parte da sua alma que se separou na expressão da dualidade. Cada um de vocês tem um componente masculino e um feminino, e a outra metade se junta novamente no Eu Divino Integral, antes de se elevar ao plano superior.

Muitos de vocês consideram que a alma gêmea e a chama gêmea são a mesma. É só a sintaxe que se parece. Os verdadeiros significados são diferentes. A chama gêmea é a outra metade da mesma alma, que foi dividida na dualidade, e estas raramente estão juntas na fisicalidade. A “alma gêmea”, nos nossos termos, é uma outra alma com a qual você combinou de viverem juntos na dualidade física, com o propósito de desenvolverem e explorarem o amor com outra alma. É um movimento em direção a um propósito comum.

O aparente paradoxo nos relacionamentos lineares – aqueles ligados ao conceito de “almas gêmeas” e não de chamas gêmeas – é que um relacionamento entre dois seres autônomos, não-dependentes, é muito mais feliz, mais equilibrado, mais ligado ao divino, e tem mais oportunidade de progresso do que um relacionamento baseado na co-dependência. Entendem?

Neste momento, neste agora, muitos de vocês estão realmente fundindo-se com sua chama gêmea (não-física), e moldando sua sagrada totalidade em uma só fisicalidade, de modo a entrar no reino cristalino da inteireza. Na maioria dos casos, esta reconexão da alma é alcançada na solidão ou na autonomia de relacionamentos de não dependência.

Portanto dizemos a cada um de vocês: acolha o período de SOLIDÃO AUTÔNOMA que você mesmo escolheu, pois ele é um sinal da intenção da sua alma de entrar na Maestria da Mer-Ka-Na Cristalina.

O FEMININO DIVINO

Acrescentamos que muitos que estão vivendo no gênero feminino escolheram papéis particularmente eficazes para o equilíbrio do planeta neste momento. Não é verdade que o planeta se desequilibrou devido a um excesso de energias patriarcais durante milênios? É por isto que se têm a impressão que a grande maioria dos seres atraídos para a “Nova Era” é do gênero feminino – para ancorar o Feminino Divino, percebem?. As mulheres foram condicionadas e rotuladas, no seu paradigma atual, como o “sexo frágil”. Nada poderia estar mais longe da verdade!

Muitas mulheres, que hoje se encontram solteiras, são condicionadas a sentir que precisam de um parceiro. Mais uma vez dizemos a cada uma delas: acolha a sua solidão. Você a escolheu, e nós a honramos pelo caminho que escolheu.

O ideal para o planeta não é ser feminino nem masculino, mas estar num equilíbrio perfeito entre AMBOS. Porém, no momento, ele ainda está num desequilíbrio de ressonância patriarcal. Honramos aquelas que estão numa biologia feminina; sua força está realmente progredindo na criação de um equilíbrio sustentador.

Na verdade, a superalma é andrógina, completa em si mesma, auto-suficiente. Isto não significa que o amor não seja a base frequencial da alma; ele certamente é a vibração mais elevada. É a ressonância que é produzida pela Alma Ascensionada para o Cosmos e refletida de volta como um harmônico coletivo de amor cristalino. Haverá um tempo em que aqueles de vocês que fizeram o papel de almas gêmeas se individualizarão e, como vocês dizem, partirão em alegria. A alma evoluída, ao atingir a onipotência, tornar-se-á perfeitamente auto-suficiente, e assim irradiará amor incondicional e maravilhoso para TODOS. É assim que deveria ser, é assim que deve ser. É assim que vocês Ascendem.

ACOLHENDO A AUTONOMIA

Vejam que a graduação final da alma é realizada em parceria. É realizada dentro do EU Divino, em harmonia universal com Tudo Que Existe. Entendem? Esta é a ativação do Eu para a ressonância divina do Campo Cristalino Quântico. A separação deve ocorrer osmoticamente antes da reunião coletiva final; deve ocorrer para permitir a união das partes separadas no TUDO QUE É. Isto é o que cada um de vocês É. É o EU SOU O QUE SOU.

A nossa questão aqui é: se você estiver só, reconheça o propósito dessa Solidão; se estiver num relacionamento, aperfeiçoe-o, embelezando-o com o amor maior da não-dependência. Certamente você descobrirá que o amor se expande e o relacionamento se torna mais perfeito e maravilhoso na não-dependência; da mesma forma que está descobrindo que relacionamentos de co-dependência são vias de mão-única, são desequilibrados e fracassam.

Na autonomia, o ser humano vai se ver como um ser “inteiro” e não como sendo propriedade do parceiro ou a “melhor metade” de alguém. Cada um levará para o relacionamento a totalidade do seu EU completo, integral, num fluxo sadio de energia, de um modo que geralmente não acontece hoje. Existem pontos, que são combinados com antecedência, e que permitem a liberdade de escolha e a mudança, mesmo que esta mudança seja para terminar a parceria. Na autonomia, os indivíduos compartilham o melhor de si mesmos, sem compromisso de ideais. Cada um reconhece a divindade do outro e mantém a integridade do seu próprio EU.

Cada um vai arcar com suas próprias promessas – promessas e escolhas de um novo paradigma – mas haverá caminhos e oportunidades de ajustes e possibilidades de revisão dos termos, o que permitirá maior reconhecimento do EU. Isto terá o propósito de prevenir bloqueios de energia e reduzir casamentos não funcionais, complicações de divórcio e processos legais, entendem?

Alguns relacionamentos nestas condições realmente durarão uma vida inteira, outros não. Mas o arquétipo da autonomia será suportado melhor por ambos, baseado na escolha e acordo mútuo dos termos de cada indivíduo. E, deste modo, a independência tornar-se-á prazerosa, sem que um parceiro seja dominador e imponha suas crenças, moralidade e vontade ao outro.

Atualmente, a humanidade como um todo realmente não reconhece nem entende sua alma, seu EU Divino. Infelizmente o Eu é orientado para o plano da personalidade do ego pelas massas. É verdade que agora existe no planeta um coeficiente de luz maior do que em qualquer outra época, graças aos que despertaram, mas estes ainda são apenas cerca de 10% da população de mais de oito bilhões. Este número é suficiente para provocar a Ascensão, mas ainda há muito a ser feito.

A RELIGIÃO E O NOVO PARADIGMA

A religião, no novo paradigma, deve ser individualizada, deve reconhecer verdadeiramente a natureza do EU, a natureza da ALMA DIVINA. Nenhuma das religiões do seu mundo responde a estas questões hoje. Nenhuma das suas religiões responde às perguntas sobre as verdadeiras origens multidimensionais Cósmicas e Extraterrestres do ser humano. E isto deverá ser compreendido no novo paradigma. Nenhuma das suas religiões predominantes pode demonstrar, de um modo exato e absoluto, a verdadeira história do ser humano na Terra. Portanto atualmente não existe nenhuma religião verdadeira no planeta. A maioria é comprada e vendida em modelos pré-regulamentados. Cada uma afirma que conhece o caminho para Deus, que é capaz de levar as pessoas a Deus, mas nenhuma realmente faz isso. Cada uma tem seus dogmas, cada uma tem sua hierarquia e seus controles.

Hoje o ser humano procura DEUS mais fervorosamente do que em qualquer outra época no planeta, e esta busca, por si só, tem o potencial de trazer a luz. Poucos professores religiosos são verdadeiros professores… talvez sejam estudiosos, mas não professores verdadeiros, entendem? Outros são charlatões, mesmo entre os metafísicos e os da chamada “Nova Era”. Poucos que afirmam canalizar Mestres Ascensos ou Anjos realmente o fazem.

DISCERNIMENTO

Quando não se mantém a integridade, a conexão com o espírito verdadeiro é desligada. E todos que são humanos estão sujeitos a entrar e sair da integridade. Na verdade, o caminho da Ascensão é a capacidade de cada alma de se elevar até seu Eu Superior. Volte-se para o seu interior e encontre sua própria divindade dentro do seu coração; sem seguir cegamente um guru, um evangelizador, canalizador ou líder espiritual, mas através do seu próprio EU. Querido, aceite apenas o que você, pessoalmente, sente que ressoa como verdadeiro, e não dê o seu poder a outrem. Cada um de vocês pode e deve canalizar seu próprio Eu Superior. Estude, observe, ouça, discirna, reveja e aceite apenas o que ressoa dentro de você.

Mestre, o caminho para o divino é através da sagrada autonomia do EU. E, na Ascensão, o caminho para o EU Superior é através da autodefinição e da busca desse aspecto de Deus no seu interior, com o grande desejo que está incrustado na sua alma. Estude, busque e trabalhe! Existem poucas esperanças para os preguiçosos. Você está aqui para conhecer o desconhecido! Trabalhe nisso! Seja um guerreiro da luz dentro da dualidade, pois as verdadeiras batalhas são internas, pela Auto-Maestria. O caminho não é fácil. Mas na Auto-Maestria se encontra uma energia tão maravilhosa, que o abastece de tudo o que você precisa para seguir adiante, pois existe um outro nível acima de cada um para o qual você ascende. A consciência está em constante expansão

ENCERRANDO

Descubra o seu caminho. Descubra a si mesmo. Ame a si mesmo, ame os outros, ame a divindade no seu interior e dentro de todo mundo! Descubra os aspectos multidimensionais da sua verdadeira Alma. Esta é a nobreza da solidão.

E embora o caminho às vezes seja muito difícil e solitário, saiba que este é o desafio da dualidade, pois “lá em cima” você é inteiro e não lhe falta nada. Mestre, nos planos superiores você está na sua natureza sagrada de totalidade integral, em completa e abundante bem-aventurança.

Eu sou Metatron, Senhor da Luz e compartilho estas VERDADES com todos vocês!

Vocês são Amados.

… E assim é.

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br



Os direitos autorais desta canalização pertencem a www.Earth-Keeper.com. A publicação em websites é permitida, desde que as informações não sejam alteradas e os créditos do autor e seu site sejam incluídos. Este material não pode ser publicado em jornais, revistas e nem re-impresso sem a permissão do autor. Para pedir permissão, escreva para EarthKeeper@consolidated.net.



Fonte: www.earth-keeper.com





Gostou! Indique para Seus Amigos

Farpa

Mensagens : 29
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re VISÃO ESPIRITAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Convidad em Seg 20 Jun 2011, 2:23 pm

Amor, amor, amor, de todas as formas que ele se apresente, desde que com muito carinho e respeito.
Nós não somos homens e nem mulheres, somos seres vivendo em um corpo, em fase de expansão e compreensão do amor.
Essa é a lei Maxima que se apresenta no planeta, e nós com a ciencia disso, podemos respeitar e aceitar cada ser como ele é.
Pois todos temos o masculino e feminino de Deus, e essas duas diretrizes devem estar equilibradas.
Para o bem de uma nação.
Paz aos cora
ções.




Homossexualismo na
Visão Espírita


Paulo da Silva Neto Sobrinho


“A homossexualidade, também hoje chamada transexualidade, em alguns círculos de ciência, definindo-se, no conjunto de suas características, por tendência da criatura para a comunhão afetiva com uma outra criatura do mesmo sexo, não encontra explicação fundamental nos estudos psicológicos que tratam do assunto em bases materialistas, mas é perfeitamente compreensível, à luz da reencarnação” (Xavier) Espírito Emmanuel 1

Introdução

Tema que ainda gera muita polêmica em nosso meio, surgindo naturais divergências de opiniões quando esse assunto entra em pauta. Mas intransigência, intolerância e falta de compreensão é o que se vê na maioria das pessoas que não conseguem vislumbrar que existe o outro lado da moeda. Falta a muitos a capacidade de ver nessas pessoas irmãos em doloroso estágio evolutivo.

Não percebem que o sofrimento deles é tanto que, em alguns casos, tiram-lhes a vontade de viver. Quantos já não abandonaram a vestimenta carnal, como fuga ao insuportável preconceito de que sofrem? Quantos não se isolam, entre quatro paredes, evitando o contato com a sociedade que lhes repelem como se estivesse diante de uma asquerosa doença contagiosa.

Ouvimos de várias pessoas que Kardec não fala sobre esse assunto, o que nos incentivou a pesquisá-lo em suas obras para ver qual é a realidade. Embora muitos, com certeza, não saibam que, mesmo sem falar especificamente sobre esse assunto, Kardec diz algo a esse respeito. Entretanto, como a maioria dos espíritas mal mal só lê o tal do “Pentateuco Kardequiano”, dificilmente irá encontrar a opinião do codificador do Espiritismo, pois somente na Revista Espírita é que ele faz sua abordagem ao tema.

Opinião de Kardec

Em janeiro de 1866, na Revista Espírita, quando analisa o assunto “As mulheres têm uma alma?”, ele diz o seguinte:

(...)

As almas ou Espíritos não têm sexo. As afeições que as une nada têm de carnal, e, por isto mesmo, são mais duráveis, porque são fundadas sobre uma simpatia real, e não são subordinadas às vicissitudes da matéria.

(...)

Os sexos não existem senão no organismo; são necessários à reprodução dos seres materiais; mas os Espíritos, sendo a criação de Deus, não se reproduzem uns pelos outros, é por isto que os sexos seriam inúteis no mundo espiritual.

Os Espíritos progridem pelo trabalho que realizam e as provas que têm que suportar, como o operário em sua arte pelo trabalho que faz. Essas provas e esses trabalhos variam segundo a sua posição social. Os Espíritos devendo progredir em tudo e adquirir todos os conhecimentos, cada um é chamado a concorrer aos diversos trabalhos e a suportar os diferentes gêneros de provas; é por isto que renascem alternativamente como ricos ou pobres, senhores ou servidores operários do pensamento ou da matéria.

Assim se encontra fundado, sobre as próprias leis da Natureza, o princípio da igualdade, uma vez que o grande da véspera pode ser o pequeno do dia de amanhã, e reciprocamente. Deste princípio decorre o da fraternidade, uma vez que, nas relações sociais, reencontramos antigos conhecimentos, e que no infeliz que nos estende a mão pode se encontrar um parente ou um amigo.

É no mesmo objetivo que os Espíritos se encarnam nos diferentes sexos; tal que foi um homem poderá renascer mulher, e tal que foi mulher poderá renascer homem, a fim de cumprir os deveres de cada uma dessas posições, e delas suportar as provas.

A Natureza fez o sexo feminino mais frágil do que o outro, porque os deveres que lhe incumbem não exigem uma igual força muscular e seriam mesmo incompatíveis com a rudeza masculina. Nele a delicadeza das formas e a fineza das sensações são admiravelmente apropriadas aos cuidados da maternidade. Aos homens e às mulheres são, pois, dados deveres especiais, igualmente importantes na ordem das coisas; são dois elementos que se completam um pelo outro.

O Espírito encarnado sofrendo a influência do organismo, seu caráter se modifica segundo as circunstâncias e se dobra às necessidades e aos cuidados que lhe impõem esse mesmo organismo. Essa influência não se apaga imediatamente depois da destruição do envoltório material, do mesmo modo que não se perdem instantaneamente os gostos e os hábitos terrestres; depois, pode ocorrer que o Espírito percorra uma série de existências num mesmo sexo, o que faz que, durante muito tempo, ele possa conservar, no estado de Espírito, o caráter de homem ou de mulher do qual a marca permaneceu nele. Não é senão o que ocorre a um certo grau de adiantamento e de desmaterialização que a influência da matéria se apaga completamente, e com ela o caráter dos sexos. Aqueles que se apresentam a nós como homens ou como mulheres, é para lembrar a existência na qual nós os conhecemos.

Agora vem o principal do texto, que fala exatamente do assunto que estamos tratando:

Se essa influência repercute da vida corpórea à vida espiritual, ocorre o mesmo quando o Espírito passa da vida espiritual à vida corpórea. Numa nova encarnação, ele trará o caráter e as inclinações que tinha como Espírito; se for avançado, fará um homem avançado; se for atrasado, fará um homem atrasado. Mudando de sexo, poderá, pois, sob essa impressão e em sua nova encarnação, conservar os gostos, as tendências e o caráter inerentes ao sexo que acaba de deixar. Assim se explicam certas anomalias aparentes que se notam no caráter de certos homens e de certas mulheres. (RE 1866, pp. 3-4).

Foi-nos necessário colocar o texto um pouco mais longo, pois, caso contrário, a idéia de Kardec poderia não ficar bem clara. O pensamento de Kardec não deixa nenhuma margem à dúvida: “assim se explicam certas anomalias aparentes que se notam no caráter de certos homens e de certas mulheres”. Ora, se fala em “anomalias aparentes” é porque ele, Kardec, admite tais situações como dentro da normalidade, o que em outras palavras, poderíamos dizer como coisas completamente naturais.

Opinião de autores espíritas

Dr. Hernani de Guimarães Andrade, foi, segundo cremos, quando encarnado entre nós, o maior pesquisador brasileiro sobre o assunto reencarnação. Podemos ver sua opinião, a respeito desse assunto, em seus livros Espírito, Perispírito e Alma e Você e a Reencarnação, nos quais dedica, em cada um, um capítulo ao tema. Vejamos o que coloca nesse último:

Por que Reencarnação?

Em outubro de 1969, tomamos contacto com o primeiro caso de reencarnação por nós investigados, a pedido do Dr. Ian Stevenson. Daí em diante passamos a levantar e a investigar outros mais, por nossa própria iniciativa. Desse modo, em 1972, já nos encontrávamos familiarizados com essa área de pesquisa.

A leitura de diversas obras versando sobre a reencarnação e suas pesquisas científicas consolidou ainda mais a nossa crença de que, talvez, a reencarnação fosse uma das causas do homossexualismo, se não a única. Entre os autores que consultáramos figuraram: Muller (1970), Banerjee (1964, 1965) e Stevenson (1966).

Mas, naquela ocasião, não era só a explicação das causas do homossexualismo que visávamos descobrir. Na realidade, esperávamos obter também mais uma fonte de evidência de apoio à idéia da reencarnação. O plano inicial era, partindo da investigação por meio da regressão de memória, chegar à causa do comportamento homossexual do paciente. Seria uma explicação do homossexualismo e, ao mesmo tempo, uma evidência da reencarnação.

Outro ponto importante era fornecido pela pesquisa direta de casos de reencarnação efetuados por nós, com evidências da possibilidade de troca de sexos, e sustentados em base de relatos de casos semelhantes de outros investigadores.

Tudo apontava em direção à validade da nossa hipótese de trabalho. Em suma, a nossa suspeita de que a troca de sexo de uma encarnação para outra talvez fosse, em certas circunstâncias, a principal causa do homossexualismo, mas não a única, especialmente a do transexualismo parecia emergir cada vez mais clara.

Existem três modalidades de homossexuais

Para que o leitor ainda pouco familiarizado com a questão do homossexualismo, lembramos que, basicamente, distinguem-se três modalidades de homossexuais:

1 – O homossexual genérico, cuja característica fundamental é a atração sexual por pessoas do mesmo sexo. O homossexual possui o impulso erótico dirigido para indivíduos de seu próprio sexo.

No heterossexual esse impulso parece não depender exclusivamente da carga hormônica no organismo. O indivíduo castrado geralmente perde o apetite sexual, mas não muda a direção da atração pelo outro sexo.

No homossexual, embora muitos deles possuam órgãos sexuais normais, bem como cargas hormonais suficientes e com atividade sexual normal, verifica-se a impulsão erótica em direção aos indivíduos do mesmo sexo. Nestes casos, o homossexualismo pode ter-se desenvolvido em razão de outros fatores que não a troca de sexo proveniente da reencarnação. Tais fatores podem ser os familiares e educacionais. Há também os circunstanciais, resultantes de situações especiais como, por exemplo, promiscuidade em cárceres, internatos, conventos, comunidades místico-religiosas, iniciações em seitas esdrúxulas, etc. etc.

Os homossexuais podem formar pares (casais) em que um deles exerce o papel ativo nas relações sexuais. No caso do sexo masculino, esta diferenciação torna-se mais definida.

2 – O travesti é aquele indivíduo que procura assumir a aparência dos de sexo oposto. Nem todo travesti é sistematicamente homossexual, assim como nem todo homossexual é obrigatoriamente travesti.

3 – O transexual é a modalidade mais típica do homossexualismo. Neste caso, o indivíduo se sente uma pessoa de determinado sexo, ocupando um corpo físico do sexo oposto; uma mulher em um corpo masculino, ou um homem em um corpo feminino.

O transexual sugere fortemente a intervenção da reencarnação em sua ocorrência.

No transexual podem ocorrer alterações inatas fisiológicas e cromossômicas. Permitimo-nos deixar sem comentário esse aspecto, para não estender excessivamente o presente capítulo.

“Sankhârâ” e homossexualismo

Finalizando esse capítulo, pedimos licença para transcrever parte do Cap. X, do livro Espírito, Perispírito e Alma.

“...A realidade do Sankhârâ”, revela nos casos que sugerem reencarnação, favorece a hipótese de que pelo menos o transexualismo seja motivado por uma herança reencarnatória. Neste caso, se um indivíduo, que se reencarnou reiteradas vezes com um determinado sexo, vem a renascer com um sexo oposto, ele provavelmente sofrerá problemas do gênero transexualismo. Pelo menos há grande possibilidade de isto ocorrer.

A troca de sexo de uma encarnação para outra pode não ser exclusivamente a causa do homossexualismo, pois vários fatores educacionais poderiam contribuir para despertar no indivíduo as tendências sepultadas nas profundezas do seu inconsciente espiritual. Deve ter-se em conta, também, outras variáveis que possam influir na equação que define o homossexualismo em função do “Sankhârâ”. Assim, por exemplo, apontamos duas imediatamente evidentes: 1) o tempo que o indivíduo passou desencarnado (intermissão); 2) o número de vezes que ele renasceu e viveu tendo um determinado sexo. A intermissão muito prolongada apaga muitos “Sankhârâs”, especialmente aqueles que poderiam gerar as “birthmarks” resultantes de ferimentos, malformações, moléstias graves, etc. É possível que as fontes características sexuais se atenuem com uma demorada intermissão. Por outro lado, a reiterada repetição de um mesmo tipo de sexo pode contribuir para acentuar as tendências do indivíduo a determinado comportamento sexual. Se, em sucessivos renascimentos, ele alternou os sexos, talvez seu comportamento sexual venha a depender sobretudo da educação recebida durante a infância e juventude. Isto porque ele é portador aproximadamente de igual carga de sexualidade masculina e feminina. Talvez seja este o motivo pelo qual o número de homossexuais parece aumentar à medida que o meio social se torna mais tolerante e menos repressivo. Os indivíduos com maior tendência em relação a um dado comportamento sexual e que poderiam proceder normalmente, serão estimulados pelas facilidades do meio social a mudar de atitude. Antigamente a educação muito rígida e repressiva contribuía para enquadrar o indivíduo ambisséxuo, em seu sexo natural. (Andrade, 1984, pp. 227-229)”. (Andrade, 2002, pp. 113-117)

As colocações do Dr. Hernani além de coerentes são sensatas não fugindo ao que Kardec disse. Em nenhum de seus dois livros, ele citada a conclusão a que chegara o codificador do Espiritismo, fato esse que também percebemos em todos autores espíritas que trataram dessa matéria.

Agora iremos ver a opinião de outro autor que fala sobre o assunto. Trata-se do Dr. Roberto Lúcio Vieira de Souza, foi no triênio 2001/2003 o Vice-Presidente da Associação Médico-Espírita do Brasil, atualmente (2004) exerce a função de Assessor de Pesquisas da AMEMG – Associação Médico Espírita de Minas Gerais, num artigo intitulado A Visão Espírita da Homossexualidade, publicado na Revista Cristã de Espiritismo, faz interessantes colocações a respeito das causas desse tipo de comportamento. Vejamos:

(...) tentamos classificar, do ponto de vista doutrinário, as causas da homossexualidade em: morais, educacionais, obsessivas e psiquiátricas.

Causas morais

No campo das causas morais, encontramos aquelas criaturas que abusaram das faculdades genésicas tanto da posição masculina como da feminina, arruinando a vida de outros indivíduos, destruindo uniões e lares diversos. Elas são induzidas a procurarem uma nova posição ao reencarnarem, em corpos físicos opostos às suas estruturas psicológicas, a fim de que possam aprender, em regime de prisão, a reajustarem seus próprios sentimentos.

Encontramos também aqueles que persistem nessas práticas por uma busca hedonista, sem maior compromisso com a vida, que reencarnam assim na tentativa de retratarem suas posições em nova chance de resgate. São espíritos rebeldes, pertinazes em seus erros, que encontram na questão da inversão sexual uma oportunidade para o refazimento de suas vidas, na qual a lei divina lhes coloca diante de situações semelhantes ao passado de faltas, cobrando-lhes posturas mais éticas perante si e o outro.

Causas educacionais

As causas educacionais podem ser agrupadas em atávicas e atuais. A atávica é resultado de vivências repetitivas dos espíritos em culturas e comunidades onde a prática homossexual seria aceita e até estimulada, como na Grécia antiga e em certas tribos indígenas, ou nas sociedades culturais e religiosas que segregavam ou segregam seus membros, facilitando esse comportamento nas criaturas. Assim, ao reencarnarem em um local onde o homossexualismo não fosse mais aceito como prática livre, esbarrariam em sua condição viciosa.

Já dentro das atuais, temos aquelas causas advindas dos defeitos de educação nos lares, onde o comprometimento dos afetos já estaria presente anteriormente, em que as paixões deterioradas do passado tendem a levar pais e parentes ascendentes a estimularem posturas psicológicas e sexuais inversas ao seu estado físico em seus descendentes, sem que necessariamente ocorressem comportamentos ostensivamente incestuosos. Encontramos também os casos de pais contrariados em seus desejos quanto ao sexo do rebento, levando-o a uma condição inversa do de seu sexo físico ou aqueles dos quais a entidade reencarnante, ao perceber esse desejo inconsciente dos pais, busca se adaptar patologicamente a essa situação durante o processo de gestação.

Outra causa está na presença de segmentos atuais da sociedade e da cultura estimulando esse tipo de conduta, quando uma linguagem mais política e sem qualquer comprometimento ético, através dos vários meios de comunicação de massa, estimula e condiciona as criaturas a acreditarem que essas vivências seriam uma postura natural, dependendo unicamente da escolha realizada pelo indivíduo. Esse posicionamento vai de encontro a uma visão social mais ampla, que continua atribuindo ao homossexualismo uma condição de marginalidade, mantendo um processo de segregação social e associando a ele outras posturas marginalizadas, como o abuso das drogas e a prostituição, agravando ainda mais a situação daqueles que optaram por esse caminho sexual.

Causas obsessivas

Entre esse tipo de causa, podemos citar os casos em que parceiros do passado delituoso, em processos homossexuais ou vivências heterossexuais pervertidas, reencontram-se em condição de ódio ou paixão doentia, estimulando uma postura homossexual no encarnado como objetivo de atender o desencarnado em seus anseios viciosos ou de levar sua vítima para uma situação constrangedora e de intenso sofrimento. Esses desencarnados poderiam estar em uma condição mental de homossexualidade ou não, induzindo o encarnado em um projeto de total desestruturação íntima e social.

O processo obsessivo não precisa necessariamente ter sua origem em uma encarnação anterior. Ocorre que, nos casos de uma obsessão atual, os parceiros da vivência patológica participam de opções de vida viciosas, onde geralmente o encarnado invigilante busca posições mentais sexualmente pervertidas ou locais nos quais esses comportamentos são socialmente aceitos, condicionando-se a essas práticas.

Uma outra situação possível, oriunda de um processo obsessivo, seria aquela na qual um espírito obsediando um encarnado em posição sexual inversa à sua, enfermado por uma interação intensa e duradoura, passa a sentir prazer sexual semelhante à sua vítima, pervertendo-se nesse campo e se condicionando a uma vivência homossexual em uma próxima encarnação. Nesses casos, a situação obsessiva teria existido em uma encarnação anterior e a homossexualidade seria a desdita daquele que teria sido o algoz naquela vivência. Seria o famoso caso em que “o tiro saiu pela culatra”.

Causas psiquiátricas

São causas que reúnem casos nos quais a criatura, presa a um processo de deficiência mental ou de desestruturação psicótica, vê-se com a crítica comprometida, permitindo-se condutas sexuais das mais diversas, sem necessariamente existir uma escolha do objeto de desejo ou compreensão da condição moral. São relações homossexuais sem necessariamente representarem opções de homossexualidade. Resultam de um passado delituoso em outras áreas que influenciam a criatura nos vários setores de sua vida.

No campo da psicopatologia, encontramos ainda os transtornos psicopáticos, nos quais as criaturas se posicionam em uma condição de amoralidade e imoralidade, optando por uma vida de prazeres sem limites, não se constrangendo na busca do hedonismo por nenhum motivo, estimulando a homossexualidade em si e nas criaturas psiquicamente influenciáveis.

De maneira especial, temos os processos gerados por vivências traumáticas na infância, quando a criança seduzida sexualmente por um de seus ascendentes familiares viu-se condicionada por ele a adotar um comportamento sexual invertido (como, por exemplo, um pai que utiliza sexualmente um filho) ou, então, quando o jogo de sedução e perversão realizado por parentes de sexos opostos provoca uma situação de ódio intenso, levando a criança ou o jovem a fazer uma opção pela homossexualidade como forma de rejeitar aquela vivência. (pp. 40-45)

Essas causas identificadas pelo Dr. Roberto, nos dão uma dimensão totalmente diferente da simplicidade que muitos pensam ser a opção sexual de uma pessoa. Como vimos existem fatores que, fugindo totalmente ao controle do encarnado, poderão influir nessa questão, daí, segundo, pensamos a homossexualidade não poderá ser vista como coisa pervertida, cujos praticantes a fazem por lhes faltar o senso moral.

Alguns autores espíritas não se alinham à idéia de que o homossexualismo possa ter como causa a mudança de sexo entre uma encarnação e outra. Fora as opiniões acima, ainda poderemos, para reforçar essa idéia, o que encontramos no livro Ação e Reação, André Luiz na psicografia de Chico Xavier. Leiamos:

(...) Considerando-se que o sexo, na essência, é a soma das qualidades passivas ou positivas do campo mental do ser, é natural que o Espírito acentuadamente feminino se demore séculos e séculos nas linhas evolutivas da mulher, e que o Espírito marcadamente masculino se detenha por longo tempo nas experiências do homem. Contudo, em muitas ocasiões, quando o homem tiraniza a mulher, furtando-lhe os direitos e cometendo abusos, em nome de sua pretensa superioridade, desorganiza-se ele próprio a tal ponto que, inconsciente e desequilibrado, é conduzido pelos agentes da Lei Divina a renascimento doloroso, em corpo feminino, para que, no extremo desconforto íntimo, aprenda a venerar na mulher sua irmã e companheira, filha e mãe, diante de Deus, ocorrendo idêntica situação à mulher criminosa que, depois de arrastar o homem à devassidão e à delinqüência, cria para si mesma terrível alienação mental para além do sepulcro, requisitando, quase sempre, a internação em corpo masculino, a fim de que, nas teias do infortúnio de sua emotividade, saiba edificar no seu ser o respeito que deve ao homem, perante o Senhor. Nessa definição, porém, não incluímos os grandes corações e os belos caracteres que, em muitas circunstâncias, reencarnam em corpos que lhes não correspondem aos mais recônditos sentimentos, posição solicitada por eles próprios, no intuito de operarem com mais segurança e valor, não só o acrisolamento moral de si mesmos, como também a execução de tarefas especializadas, através de estágios perigosos de solidão, em favor do campo social terrestre que se lhes vale da renúncia construtiva para acelerar o passo no entendimento da vida e no progresso espiritual. (Ação e Reação, p. 209).

Opinião de quem viveu o problema

Vamos transcrever do site Portal do Espírito um trecho de um artigo publicado na Revista de Espiritismo, nº 39, abr-mai-jun1998, do autor Luiz de Almeida. Leiamos:

Para melhor entendermos o drama da homossexualidade, citamos depoimentos de dois espíritos (2). Isso porque poderão contribuir para esclarecer certas partes desta tendência.

CASO 1: Eu fui lésbica. Dentro do meu corpo de mulher, sentia-me um homem. Desde pequena, os meus pendores foram todos masculinos. Menina, e os meus companheiros de peraltagem eram os meninos, tanto que minha mãe repetia: Não sei a quem me saiu a Laurinha; é peralta como um menino, está sempre no meio deles; coisa feia. E assim era: em qualquer reunião raramente me encontrava entre minhas amiguinhas. Porém, nos grupos de rapazes, lá estava eu, não como mulher, mas como homem, que intimamente me parecia ser.

Veio-me a menstruação; sofri horrores que se repetiam mês após mês. Completei 15 anos. Eu era bonita de rosto, conquanto desgraciosa de corpo. E os meus pais chamaram-me em particular:

— De agora em diante, evita estar tanto entre os moços; tens coleguinhas... porquê isso?

— Mas, mamãe, não gosto das conversas delas, de vestidos, de modas, de sapatos, de batons, de penteados, de namoradinhos. Eu, por mim, cortaria os meus cabelos como homem, e vestiria calças.

A minha resposta desgostou-os. Mudei: apaixonava-me facilmente por meninas e mulheres casadas. Deliciava-me freqüentar o vestiário de meu clube; contemplando aqueles corpos nus, lavando-se, esfregando-se, enxugando-se, muitas vezes, surpreendia-me exclamando: Ah, se eu fosse homem! Viciei uma prima; além do prazer que ela me proporcionava, dava-me a sensação de ser verdadeiramente um homem. Descobriram-me, e passei a ser vigiada. Evitam-me. O meu pai tratava-me com rispidez.

Uma fria solidão envolvia-me. Mesmo assim, casei-me. Não lhes descreverei o horror do sofrimento íntimo que senti na minha noite de núpcias; foi pasmoso. O meu esposo tinha-me nos braços e acariciava um corpo de mulher, dentro do qual se escondia o espírito de um homem. E durante as carícias, enlaçada pelo meu marido, que me abraçava e me beijava, quantas vezes tive ímpetos de repeli-lo e gritar: Eu também sou um homem! Jamais ele o percebeu; fui-lhe fiel até ao fim. A nossa união durou 15 anos; não tivemos filhos.

O meu marido enviuvou, e contraiu segundas núpcias, desta vez com uma autêntica mulher, de corpo e alma. Desencarnado, compreendi o porquê dessa encarnação como mulher; porque eu, um espírito masculino, fora embutido — sim, embutido é o termo certo —, num corpo feminino. Por quatro encarnações consecutivas, eu erigira o sexo como o supremo fim de um homem. A mulher para mim era um objeto, um mero instrumento de prazer, de gozo. Quando uma me saciava, atirava-a para um canto qualquer, e servia-me de outra. Jamais lhes respeitava a dignidade. Jamais as reconhecera como mães, esposas, irmãs. E nos intervalos de minhas encarnações, em vez de me corrigir, freqüentando as escolas correcionais da Espiritualidade, para o que não me faltaram convites, associava-me a hordas maléficas, cujo escopo era implantar o domínio do sexo. Até que, por ordem superior, encaminharam-me de forma compulsória aos engenheiros maternais, que me agrilhoaram a um corpo feminino a fim de que eu aprendesse a valorizar a mulher. Felizmente tão dolorosa experiência valeu-me.

Corrigi-me. Não só aprendi a valorizar a mulher como a divinizá-la no seu papel de mãe, de esposa, de irmã. Voltei à minha forma masculina. Trabalho agora no sector de socorro aos náufragos do sexo. Quando soar a hora, tornarei à Terra no corpo de homem normal, e saberei respeitar a mulher no altar sagrado do casamento. Claro que o meu carma não será tranqüilo, e as vicissitudes que por certo virão, em que pese gerar aflições, serão lições valiosas. E ao depararem com homens e mulheres transviados do sexo, compaixão, muita compaixão para com eles.

CASO 2: Eu fui uma prostituta em seis encarnações sucessivas. A primeira foi num navio pirata. Apanharam-me numa razia contra nossa cidadezinha na orla do Mediterrâneo; com o saque e outros cativos, embarcaram-me numa caravela. Eu era jovem e bonita. Um dia, o comandante atraiu-me para o seu camarote. Percebi-lhe a intenção. Eu já tinha os meus planos, e antes que ele tomasse a iniciativa, adiantei-me: Saiba que sou uma virgem. Quanto dá por minha virgindade? Dirigiu-se a uma das arcas ao pé do leito, abriu-a; estava cheia de jóias preciosas, produto de pilhagens. Colocou um punhado delas sobre a mesinha à minha frente. É pouco, disse-lhe com firmeza. Mergulhou ambas as mãos na arca, e pô-las sobre as primeiras. É o bastante.

Ainda por muitas vezes lhe arranquei peças de valor. Logo que o notei farto de mim, entreguei-me aos outros marujos, a troco de ouro, que todos possuíam. Desembarquei em porto europeu, rica, e dediquei-me ao meretrício de alto luxo.

Vejo-me agora reencarnada na França, na época do I Império. Sou dama da corte. E, para obter honrarias, jóias, luxo, prostitui-me não abertamente, mas entregando-me aos cortesãos que servissem aos meus intentos.

A terceira reencarnação foi em Portugal. Casei-me com um caixeiro modesto em pequena cidade portuguesa. Abandonei-o e transferi-me para Lisboa, onde montei casa de tolerância, desgraçando mocinhas ingênuas, e desencaminhando pais de família.

Na minha quarta reencarnação, ainda em Portugal, não me sujeitando a uma pobreza digna, tão logo me emancipei, comercializei o meu corpo. E, por isso, a minha mãe finou-se de desgosto. Como cobra venenosa, atraía a mocidade da nobreza, sugando-lhe impiedosamente os haveres e até a honra, em luxuoso prostíbulo no Rio de Janeiro, no tempo do império.

Na minha quinta reencarnação, no início do século XX, ainda no Rio, aos 14 anos já me envolvia no meretrício. De nada me adiantavam os intervalos de minhas reencarnações. Não dava ouvidos a espíritos benévolos que me queriam afastar dessa vida imunda. Endurecida no vício, filiava-me a grupos de obsessores sexuais, e praticava desatinos vampirescos com encarnados que aceitavam minhas sugestões.

Até que engenheiros maternais decidiram aplicar-me a corrigenda cabível. Estudaram minuciosamente o meu passado, submeteram-me a rigoroso exame psíquico, e concluíram que só havia um remédio para mim, posto que amargo: reencarnar em corpo masculino, tantas vezes quantas as necessárias. A petição seguiu para instância superior e foi aprovada.

E eu, mulher, espírito essencialmente feminino, reencarnei-me em corpo de homem, no Rio de Janeiro, como quarto e último filho de um casal da classe média, remediados.

Hoje sei dos motivos que teve este casal para me receber como filho; porém, não vem ao caso mencioná-lo. Bem cedo começaram os meus martírios. Eu adorava brincar com meninas, evitava os meninos. Na escola ouvia os ditérios dos colegas; e ao ir ao quadro dar a lição, a classe ria-se ante o meu andar feminil. Durante o recreio, escondia-me. Com a idade, mais se acentuou minha inclinação feminina: parava diante das vitrinas de modas e das de jóias, e extasiava-me a admirar os vestidos, os sapatos, as meias, os colares, os brincos, os braceletes, tudo, enfim que pertencesse à toilette da mulher. Por vezes, ansiava ir à cabeleireira maquiar-me, e a custo reprimia-me. O meu pai não me aceitava; os meus irmãos detestavam-me e repeliam-me; a minha mãe, pobrezinha, era o meu único refúgio. Consolava-me, acariciava-me, infundia-me ânimo, abraçava-me.

A solidão embrulhou-me no seu pesado manto. Certa vez, atraído por um homem, fui com ele ao seu apartamento. O horror, o nojo que isto me causou vós não podeis imaginar. Quis tornar-me seu amante; tive dificuldades em livrar-me dele. Para vós terdes uma idéia do meu suplício de espírito feminino num corpo masculino, faço uma comparação: havia outrora um instrumento de tortura, que consistia numa caixa de ferro, mais ou menos no formato de um homem, em cuja porta, do lado de dentro, se engastavam punhais. O condenado era encaixado nessa caixa, e nela ficava por dias e dias à espera que o carrasco recebesse ordem de fechar a porta, quando era trespassado pelas lâminas. Todavia, raramente o corpo do condenado se amoldava à caixa; e então os verdugos o ajustavam à força naquele aparelho, no qual com corpo horrivelmente comprimido, aguardava o fechar da porta, cessando o seu tormento. O condenado à tortura da máscara era mais feliz do que eu: o sofrimento dele durava poucos dias; o meu durou 68 anos, que se arrastaram como uma eternidade.

Jamais me passou pela cabeça a idéia do suicídio, ou de me prostituir, felizmente. Agüentei firme o rojão, como se diz popularmente.

Uma tarde, de volta a casa, um grupinho de estudantes vadios pôs-se a chacotear-me. Para fugir deles, entrei na primeira porta que vi aberta; subi pequena escada, e achei-me num vasto salão; muitas pessoas lá estavam; sentei-me entre elas. Era a Federação Espírita Brasileira. Explicaram-me e entendi que o acaso não existe, e o fato de ali entrar é porque por certo encontraria lenitivo. Passei a freqüentar aquela casa, onde conquistei muitos amigos e amigas. Os passes e a água fluidificada fizeram-me muito bem, e assim a minha solidão foi suavizada.

Eu não trabalhava; tive vários empregos, mas na ocasião, o meu problema não era tolerado como hoje em dia (embora seja uma tolerância falsa e aparente) sendo despedido de todos. Quem sempre me socorria e socorreu foi a minha mãe, fornecendo-me algum dinheiro. Os meus irmãos casaram-se; os meus pais desencarnaram. Envelheci.

Vivi penosamente de minguado benefício que me tocou por herança. Fui morar num telheiro, mal transformado em quarto, no fundo do quintal da casa de um dos meus irmãos, com ordem expressa de não me mostrar a visitas fossem quem fossem. Proibiram-me de ter intimidades com os meus sobrinhos. Mais tarde, recolheram-me a um asilo, onde desencarnei.

Acordei, não sei depois de quanto tempo, em um quarto hospitalar. Tão logo me mexi na cama acorreu uma enfermeira gentil que me disse:

— Tudo bem, minha irmã, não se impressione!

-— Irmã?... murmurei arregalando os olhos. Ela não me respondeu, mas ajeitou-me a coberta, sorrindo.

Hoje estou plenamente integrada nos meus predicados femininos.

Regenerei-me. Faço parte do Grupo de Socorros das Servas de Maria Madalena, que se dedica ao reerguimento das infelizes que resvalam pelo abismo escuro da prostituição.

(2) - Extraído do Boletim Eletrônico n.º 258 de 1997 do GEAE (Grupo de Estudos Avançados de Espiritismo).

Esses dois depoimentos molduram muito bem o drama íntimo de muitos que vivem a prática sexual com parceiros do mesmo sexo que o seu. Deveremos refletir sobre esse assunto, e tentar entender que, em sua grande maioria, eles vivenciam insuperável conflito interno. Percebemos que, como já foi evidenciado anteriormente, alguns casos não há escolha deliberada, os indivíduos são levados a essa pratica por fatores que fogem completamente ao seu controle.

Conclusão

Tentamos fazer um levantamento sobre o assunto em pauta, procurando dar, a você leitor, instrumentos para uma possível reavaliação do que poderia estar pensando sobre isso.

Considerando que os Espíritos não tem sexo podemos concluir que o impulso sexual reside no próprio espírito, sendo o corpo físico apenas o veículo de sua instrumentalização. Assim, não seria absurdo dizermos que ao reencarnar o Espírito traz dentro de si as duas polaridades sexuais, daí ser necessário rever conceitos sobre o homossexualismo entre os seres humanos.

Apesar de que para muitos isso não ser natural, advogamos ser, pela razão de que podemos encontrar esse tipo de comportamento entre os animais, embora suas causas possam ser absolutamente diferentes das que poderíamos atribuir aos seres humanos. O que defendemos é que se há essa ocorrência entre os animais não vemos porque taxar como perversão todos os casos de homossexualismo que acontecem entre nós, os humanos. E definindo o que é natural é tudo aquilo em que não há trabalho ou intervenção do homem. Além desse significado o Aurélio ainda nos indica: inato, ingênito, congênito. Se uma pessoa já trás de nascença alguma tendência para a prática homossexual, por que então crucificá-lo, já que a própria natureza ou pela lei de causa e efeito ou pela do progresso, é a origem do seu problema?

Há quem diga, que não devemos nos comparar aos animais, entretanto, em algumas situações não há como fugir dessa comparação. Os animais, comem, dormem, fazem sexo, e inúmeras outras coisas que nós os humanos também fazemos, é por isso, que enxergamos isso como coisa da natureza. O que não significa dizer que os que assim se comportam não devam se esforçar para mudar, apenas não vemos nenhuma situação para se ter qualquer tipo de preconceito a pessoas que assim agem.

Ana Paula Corradini, numa reportagem na Revista dos Curiosos, intitulada Eu quero é sexo!, coloca a certa altura:

O prazer homossexual

Outro comportamento registrado entre os bonobos é o das relações homossexuais: as fêmeas adultas enroscam pernas e braços ao redor uma das outras e esfregam suas genitais, emitindo ruídos de contentamento. Os machos penduram-se em galhos e friccionam os pênis eretos. O lesbianismo já foi constatado em onze espécies, mas o homossexualismo não é só notado em primatas. Ele existe entre golfinhos, zebras, gaivotas, pingüins, felinos e até baleias. Muitos estudiosos afirmavam que isso só poderia acontecer em uma situação de confinamento, como entre dois pingüins machos que, por ventura, fossem colocados a sós em uma jaula no zoológico. No entanto, a conduta ocorre também na natureza, mesmo em bandos em que há machos para todas as fêmeas e vice-versa. Ainda não existe um consenso para explicar o porquê dessa opção. “Os animais não se tornam homossexuais por falta de parceiros, mas pela alternativa de se obter prazer”, afirma Eduardo Cunha Farias (...) O homossexualismo no reino animal passou a ser discutido mais abertamente após o lançamento do livro Biological Exuberance – Animal Homosexuality and Natural Diversity (Exuberância Biológica – Homossexualidade Animal e Diversidade Natural), do biólogo norte-americano Bruce Begamihl, em 1999. O autor descreveu casos de homossexualismo entre 450 espécies, em sua maioria mamíferos e aves. (p. 50)

Está aí a comprovação desse acontecimento na natureza, o que, para nós, justifica a mudança de atitude em relação aos homossexuais que existem no nosso meio.

Por outro lado, também gostaríamos de saber dos que alimentam preconceitos contra os homossexuais se também o teriam pelos heterossexuais que, em atividades sexuais viciosas, fazem sexo até mesmo com animais, fato que todos sabemos que acontece, mas fingimos de peixe morto.

Muitos advogam que na pratica sexual tradicional entre um homem e mulher há troca de energias, para fazer disso uma arma conta as relações sexuais homossexuais. Não duvidamos que numa relação sexual há troca de energias entre o homem e a mulher, mas perguntamos: isso ocorre em todas as situações? Mesmo que um dos dois a pratique por prostituição? Será que poderia haver troca de energias, quando o casal, saindo dessa prática sexual tradicional, pratica o sexo oral e anal? E aqui, por acreditar que aquilo que podemos encontrar na natureza é perfeitamente natural, afirmamos então, que: a prática do sexo oral e anal, entre os casais, como não a encontramos na natureza, obviamente, para nós, não se trata de uma coisa natural. Embora, também não vamos dizer que seja imoral. Por outro lado, não poderia um homem viciar sua mulher na prática sexual anal de tal forma que na encarnação seguinte ela, mesmo habitando um corpo físico masculino, mantenha seu impulso sexual canalizado para essa zona erógena, agindo assim como homossexual?

Para demonstrar que nem todos discriminam, e que, graças a Deus, muitos não admitem esse preconceito, apenas buscam respeitar a opção pessoal de cada um, o que não significa, necessariamente, concordar com tais práticas, fecharemos nossa pesquisa com a opinião de alguns desses autores:

José Herculano Pires: “os casos de homossexualismo adquirido, não-congênito ou constitucional, de classificação psiquiátrica, decorrem de fatores educacionais mal dirigidos ou de influências diversas, posteriores ao nascimento, que dão motivo à sintonia do paciente com espíritos obsessores vampirescos. O problema sexual é extremamente melindroso, pois tanto o homem quanto a mulher dispõem de tendências de ambos os sexos, podendo cair aos desvios provocados por excitação de após nascimento” (Mediunidade, p. 141).

Drauzio Varella: “... O espectro da sexualidade humana é amplo e de alta complexidade, no entanto, vai dos heterossexuais empedernidos aos que não têm o mínimo interesse pelo sexo oposto. Entre os dois extremos, em gradações variadas entre a hetero e a homossexualidade, oscilam os menos ortodoxos”.

“Como o presente não nos faz crer que essa ordem natural vá se modificar, por que é tão difícil aceitarmos a riqueza da biodiversidade sexual de nossa espécie? Por que insistimos no preconceito contra um fato biológico inerente à condição humana?”.

“Em contraposição ao comportamento adotado em sociedade, a sexualidade humana não é questão de opção individual, como muitos gostariam que fosse, ela simplesmente se impões a cada um de nós. Simplesmente é!”. (www.drauziovarella.com.br)

Chico Xavier: em resposta às perguntas: como encara o espiritismo o problema da homossexualidade? Qual a melhor atitude da sociedade frente a essa ocorrência?

- “Acreditamos que o tempo e a compreensão humana traçarão normas sociais susceptíveis de tranqüilizar quantos se vinculam a semelhante segmento da comunidade, assegurando-se-lhes a benção do trabalho com o respeito devido a todos os filhos de Deus (...) Até que isso se concretize, não vejo qualquer motivo para críticas destrutivas e sarcasmos incompreensíveis para com os nossos irmãos e irmãs portadores de tendências homossexuais, a nosso ver claramente iguais às tendências heterossexuais que assinalam a maioria das criaturas humanas”.

“Em minhas noções de dignidade do espírito, não consigo entender por que razão esse ou aquele preconceito social impedirá certo número de pessoas de trabalhar e de serem úteis à vida comunitária, unicamente pelo fato de haverem trazido do berço características psicológicas e fisiológicas diferentes da maioria. (...) Nunca vi mães e pais, conscientes da elevada missão que a Divina Providência lhes delega, desprezarem um filho porque haja nascido cego ou mutilado. Seria humana e justa a nossa conduta em padrões de menosprezo e desconsideração, perante os nossos irmãos que nascem com dificuldades psicológicas?”. (www.espirito.org.br, texto de Luiz Almeida intitulado: Homossexualidade).

Hernani Guimarães de Andrade: O homossexualismo não deve, pois, ser classificado como uma psicopatia ou como um comportamento merecedor de discriminação ou medidas repressivas. O homossexual, especialmente o “transexual”, merece toda a nossa compreensão e ajuda, para que ele possa vencer sua luta de adaptação ao novo sexo adquirido com o renascimento. Alguns homossexuais poderão ser reorientados, de maneira a se comportarem normalmente dentro dos padrões impostos pelo meio social. Entretanto, igual reorientação é necessária aos que se dizem normais para que se compenetrem da necessidade de respeitar e aceitar fraternalmente os homossexuais. (Espírito, Perispírito e Alma, pp. 228-229).

Richard Simonetti: ao responder à questão: Ele [o homossexual] pode ser acolhido como colaborador do Centro Espírita, trabalhar como médium, por exemplo?, diz: Condenável qualquer discriminação. Não há porque vedar-lhe essa possibilidade, a não ser que esteja envolvido em relacionamento promíscuos. Essa mesma restrição estende-se ao heterossexual. A promiscuidade, herança das tendências à poligamia que ainda caracterizam o ser humano, inspirando o comportamento irresponsável, é incompatível com as atividades espirituais. (Reencarnação - tudo o que você precisa saber, p. 124).

Divaldo Pereira Franco, psicografando Joana de Angelis diz: Outro fator que merece análise é o da identidade sexual. Há jovens que logo definem e aceitam a sua natureza essencial, masculina ou feminina. Nessa oportunidade surgem os conflitos mais fortes do transexualismo e do homossexualismo, alguns deles como resultado de fatores genéticos, trabalhados pelo Espírito na constituição do corpo através da reencarnação, que se utilizou do perispírito para a modelagem da forma orgânica, outros como efeito da conduta familiar ou social, e, outros mais, ainda, pela necessidade de ser trabalhada a sexualidade como diretriz preponderante para a aquisição de recursos mais elevados e difíceis de conquistados.

Quando essa identidade sexual é prematura, o adolescente sofre de um efeito apenas biológico, sem preparação psicológica para o comportamento algo estressante. Quando atrasada, reações igualmente psicológicas podem levar a uma hostilidade ao próprio corpo como ao dos outros.

A identificação sexual do indivíduo equilibrado faz-se definir quando se harmonizam a expressão biológica – anatômica – com a psicológica, expressando-se de forma natural e progressiva, sem os choques da incerteza ou da incapacidade comportamental diante da realidade do fenômeno sexual. (Adolescência e Vida, Divaldo P. Franco, pp. 70-71).

J. Raul Teixeira, psicografando Camilo: Provenientes dos recônditos da alma, onde se alocam reminiscências de desrespeito e de crimes hediondos, cometidos contra as leis morais que são presentes nas consciências humanas, ou, por outro lado, decorrentes de processos educacionais deletérios que se apoiaram em inclinações morais deficitárias, ainda não suficientemente amadurecidas para a verdadeira liberdade, os dramas homossexuais têm lugar na intimidade das criaturas, largamente.

Motivados, ainda, por terríveis programas obsessivos, que antigos inimigos desencarnados engendram por vingança ou, ainda, decorrentes de perturbações psiquiátricas não devidamente diagnosticadas, explodem quadros homossexuais, aqui e acolá.

A situação vem se tornando tão comum que, ao largo do tempo, vem sendo admitida como terceiro sexo ou como opção normal daqueles que assim almejam viver.

Desembocam no estuário dos conflitos da homossexualidade infindáveis gravames assinalados nos arquivos extra-cerebrais, provenientes de passadas reencarnações, quando o abuso do próprio corpo e dos corpos alheios, a agressão à própria constituição emocional e às constituições alheias determinaram os torturantes quadros de agora, na esfera da sexualidade.

Ninguém suponha que tais conflitos não se estendam do mesmo modo, nas esferas heterossexuais, uma vez que os Espíritos que se movimentam sobre a Terra, com poucas exceções, carregam complexos problemas na área sexual, carecendo reestruturar-se, renovar-se, a fim de valorizar tão sublime fonte de estesias que a Divindade ensejou as Suas criaturas com o objetivo feliz, na cooperação junto à obra Universal.

O fenômeno homossexualismo, em si mesmo, impõe aos que por ele estão assinalados, um regime de imperiosas disciplinas em sentido amplo, capazes de ensejar à alma, se atendidas, bênção de venturas crescentes a projetarem luzes de paz, de harmonia para o amanhã.

Quem disse que será crime ou pecado que um homem a outro homem ame?

Onde a condenação para o amor e o afeto entre as mulheres?

O amor, devidamente compreendido, é a energia que nos diviniza, é o traço que nos liga ao Criador, impulsionando-nos a espalhar a Sua vontade pelo Universo.

Não cogitamos aqui desse arremedo de amor com que o vulgo resolveu apelidar as práticas carnais do sexo, mas cogitamos desse Amor que é o próprio Deus, que faz com que na sexualidade a criatura humana se torne co-criadora com o seu Criador,

O drama que se instala nas vidas terrenas é que não estão aptos aos indivíduos a vivenciarem o Amor que sensibiliza a alma, que imprime sentimentos de renúncias felizes, que enleva, que renova, forjando saúde e plasmando vida plena.

Amar jamais será desaconselhável seja entre quem for. Não obstante, o homossexual não necessitará mergulhar nos pântanos da pederastia, tampouco as homossexuais carecerão perder-se nos viscos do lesbianismo, nas voragens da relação carnal.

Se um companheiro ou uma companheira percebe em si as inclinações homossexuais, que procure identificar nisso os gritos da expiação, induzindo à educação para que a vida seja vitoriosa.

O amor, o entendimento, a prestação de serviços, a comunhão idealística, tudo isso contribuirá para a gradativa liberdade do ser. (Educação e Vivências, J. Raul Teixeira, pp. 73-75). (grifos do original).

Chico Xavier, psicografando André Luiz: (...) Empenhou-se a repetir que na Crosta Planetária os temais sexuais são levados em conta, na base dos sinais físicos que diferenciam o homem da mulher e vice-versa; no entanto, ponderou que isso não define a realidade integral, porquanto, regendo esses marcos, permanece um Espírito imortal, com idade às vezes multimilenária, encerrando consigo a soma de experiências complexas, o que obriga a própria Ciência terrena a proclamar, presentemente, que masculinidade e feminilidade totais são inexistentes na personalidade humana, do ponto de vista psicológico. Homens e mulheres, em espírito, apresentam certa percentagem mais ou menos elevada de característicos viris ou feminis em cada indivíduo, o que não assegura possibilidade de comportamento íntimo normal para todos, segundo a conceituação de normalidade que a maioria dos homens estabeleceu para o meio social.

Tendo Neves formulado consulta sobre os homossexuais, Félix demonstrou que inúmeros Espíritos reencarnam em condições inversivas, seja no domínio de lides expiatórias ou em obediência a tarefas específicas, que exigem duras disciplinas por parte daqueles que as solicitam ou que as aceitam. Referiu ainda que homens e mulheres podem nascer homossexuais ou intersexos, como são suscetíveis de retomar o veículo físico na condição de mutilados ou inibidos em certos campos de manifestação, aditando que a alma reencarna, nessa ou naquela circunstância, para melhorar e aperfeiçoar-se e nunca sob a destinação do mal, o que nos constrange a reconhecer que os delitos, sejam quais sejam, em quaisquer posições, correm por nossa conta. À vista disso, destacou que nos foros da Justiça Divina, em todos os distritos da Espiritualidade Superior, as personalidades humanas tachadas por anormais são consideradas tão carentes de proteção quanto as outras que desfrutam a existência garantida pelas regalias da normalidade, segundo a opinião dos homens, observando-se que as faltas cometidas pelas pessoas de psiquismo julgado anormal são examinadas no mesmo critério aplicado às culpas de pessoas tidas por normais, notando-se, ainda, que em muitos casos, os desatinos das pessoas supostas normais são consideravelmente agravados, por menos justificáveis perante acomodações e primazias que usufruem, no clima estável da maioria.

E à ligeira pergunta que arrisquei sobre preceitos e preconceitos vigentes na Terra, no que tange ao assunto, Félix ponderou, respeitoso, que os homens não podem efetivamente alterar, de cofre, as leis morais em que se regem, sob pena de precipitar a Humanidade na dissolução, entendendo-se que os Espíritos ainda ignorantes ou animalizados, por enquanto em maioria no seio de todas as nações terrestres, estão invariavelmente decididos a usurpar liberalidades prematuras para converter os valores sublimes do amor em criminalidade e devassidão. Acrescentou, no entanto, que no mundo porvindouro os irmãos reencarnados, tanto em condições normais quanto em condições julgadas anormais, serão tratados em pé de igualdade, no mesmo nível de dignidade humana, reparando-se as injustiças assacadas, há séculos, contra aqueles que renascem sofrendo particularidades anômalas, porquanto a perseguição e a crueldade com que são batidos pela sociedade humana lhes impedem ou dificultam a execução dos encargos que trazem à existência física, quando não fazem deles criaturas hipócritas, com necessidade de mentir incessantemente para viver, sob o Sol que a Bondade Divina acendeu em benefício de todos. (Sexo e Destino, Chico Xavier, pp. 272-274)



Poderemos ainda deixar para uma reflexão individual, a ser feita por cada um de nós, o seguinte:

Suponhamos que vivêssemos num país onde, por determinação superior, tivéssemos que, por um longo tempo, abrigar em nossa casa uma pessoa, cuja escolha poderíamos fazer entre duas que nos seriam indicadas. Apresentam-nos, então, para essa escolha, um assassino psicopata e um homossexual. Perguntamos: qual dos dois você escolheria para viver sob seu teto durante o tempo estabelecido?

Suponhamos, também, que tivéssemos uma criança pequena que demonstrasse tendências homossexuais, cuja causa poderia ser a viciação por outras pessoas mais velhas, como por exemplo, o uso indiscriminado de supositórios como medicamento para problemas de “ar preso”, que veio despertar nela o prazer na região anal, o quê faríamos diante dessa realidade?

Suponhamos, ainda, que entre os nossos filhos atuais ou que viéssemos a ter no futuro, houvesse um deles, com a idade de 18 anos, que, por alguma razão que desconhecemos, resolve, durante a festa de seu aniversário, assumir publicamente diante de todos os convidados sua homossexualidade. Qual seria a nossa atitude diante deste bombástico fato? Iríamos tratar esse filho com o mesmo preconceito que temos para com os que não se ligam a nós pelos laços da consangüinidade?

Assunto abordado pelo Dr. Roberto Lúcio, com o qual plenamente concordamos, é que, em algumas situações, a causa da homossexualidade poderia ser por indução psíquica dos próprios pais, quando desejando ardentemente que o seu futuro rebento seja de um sexo diferente daquele que a vontade de Deus determinou, acabam implantando no psiquismo desse feto o desejo de seus pais. Após nascer poderá, consciente ou inconscientemente, agir para realizar tal desejo, passando a ser apenas na esfera psíquica a criança cujo sexo foi objeto do sonho dos pais.

Somente quando nos colocamos na mesma situação do outro é que poderemos avaliar o que ele poderia estar passando, daí a razão de colocarmos essas situações para a nossa reflexão, esperando que cada um possa ter a capacidade de considerar tais hipóteses, na expectativa de, se for o caso, mudar seu pensamento diante da homossexualidade dos que jornadeiam conosco em busca da própria evolução moral e espiritual. Oportuno não esquecermos de que “... nenhuma coisa é de si mesmo imunda senão para aquele que a tem por imunda, ,para este é imunda”. (Rm 14,14).

O texto já estava por nós encerrado, mas um amigo após analisá-lo pediu ao seu guia para opinar sobre esse assunto. Essa mensagem, novíssima, vem arrematar tudo o que já foi dito, quanto ao preconceito, que, com a permissão dele, estamos incluindo agora ao final.

O nosso amigo advogado Raimundo de Moura Rego Filho, médium, espírita atuante na cidade do Rio de Janeiro, nos envia, por e-mail, o seguinte:



Hermes, por sentir-te por perto penso que me poderias dar um esclarecimento sobre o tema que hora estudo e d qual, preciso dar uma opinião ao autor da matéria de estudo.

Seria possível que me explicasses sobre as causas do homossexualismo? Estariam essas causas ligadas à reencarnação, com elemento fulcro, desse acometimento?

Responde Hermes:

Amado meu:

Temas como este, tão discutidos e por vezes tão insistentemente associados somente aos nossos quereres ou visões mais íntimas, têm mais das vezes, afastado irmãos de ideal espírita não só da Casa Espírita, mas de todo o entendimento que, haurido da doutrina Espírita, poderia ajudar a que eles fossem mais bem compreendidos, e por isso mesmo, tratados com mais respeito, amor e tolerância.

O mais importante em qualquer caso, querido, é o entendimento fraterno do problema, e a recondução do paciente adoecido, ao caminho do recomeço.

Ora, o que se vê, é a tônica da intolerância, do desrespeito, e por vezes os ataques e achaques mal intencionados, oriundos das assertivas, sempre baseadas no desconhecimento doutrinário, ou reforçadas pelo preconceito para com essas pessoas. São nossos irmãos em Cristo, são também eles, o nosso elemento de melhora e ascensão espiritual, ao sabermos com eles conversar, de modo doutrinário, correto e adeso às Leis do amor, da Caridade e do Progresso. Sem esses elementos, não se reeduca, não se ensina, em suma não se faz Espiritismo.

Quantos já não terão sentido o gosto do amargo fel do desprezo, o escárnio, as palavras duras com que muitos se manifestam e lhes dirigem?

Quanta dor, sofrimento e humilhação, já não haverão de ter passado? Estes, também, são nossos irmãos, meu filho.

Se voltarmos olhos ao episódio da “adúltera”, encontraremos não a condenação do Rabi, mas o julgamento sensato e amoroso que a indicou o caminho da regeneração.

Tal é assim para com esse caso em específico. Remeter-se o homem de hoje, ainda cheio de preconceitos, (e isso dos dois lados), aqueles que querem descobrir tão somente as causas, sem atacar os irmãos em provação, e daqueles por quem chegam as palavras mais duras, mais distantes, tanto do conhecimento sobre o tema, quanto da formação doutrinária, descambando para os apupos e para os acicates, brandindo seus chicotes idiomáticos como se estivessem isentos de erros, a tema tão importante e tão controverso, seria pedir não a descoberta do remédio, mas que se estabelecesse a discórdia afastante, o cisma, a cizânia, todos os desvarios a que a pouca moral humana possa encaminhar alguns irmãos, por vezes em maior desalinho do que o próprio Homossexual. Como se os Heteros formassem a nação dos eleitos, dos corretos e dos infalíveis, quanta empáfia, quanto desamor. Notas como o Evangelho, bem estudado e conhecido faz falta a essas pessoas?

Por não terem alteados os patamares morais, a ponto de entenderem o Evangelho, não entendem as premissas da doutrina Espírita.

Por não se reconfigurarem, persistindo também, nas próprias mazelas morais que já lhe são de conhecimento, tornam-se míopes aos ensinos que a própria doutrina oferece, e que lhes indicaria o caminho para a resposta que, ao que nos é permitido saber e dizer distaria, ainda para um próximo período reencarnatório, este já sob outra vibração, mais sutil e elevada, remetendo os ideais do Amor Crístico e da Fraternidade, à maior celeridade no cumprimento da Lei do Progresso.

Faze, então, teus amigos e tu mesmo, da experiência transitória nesta existência, caminho para um aprendizado mais amplo e dignificante ao espírito, para que no porvir, possam todos ajudar, sob o olhar do Cristo, a todos os doentes, da alma e do Corpo.

Até lá, amado meu, ora por eles, por estes nossos irmãos que tanto sofrem escondidamente, não os diminuam ou discriminem, esclareçam! Posto que já sofrem deveras, neste período de dor sob o qual passam suas existências, no hoje.

Amor e Paz,

Hermes.

Rio, 14 de outubro de 2004.





Paulo da Silva Neto Sobrinho

Outubro/2004
flower I love you I love you Arrow

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

O DNA SAGRADO E O SEXO SAGRADO NA CONCEPÇÃO

Mensagem  ஐRαiø dє łuαrஐ em Sab 07 Jan 2012, 4:50 pm

O DNA Sagrado e o Sexo Sagrado na concepção


Amados filhos da luz, aqui quem vos fala é Yaslon Yas na companhia de Shiva Hama Kur e Shtareer para que possamos apresentar uma profunda explicação do processo da concepção de vossos nove corpos, dentro do orbe da Terra.

Como sabem, vocês tem dentro da estrutura energética da grade dimensional do vosso planeta nove corpos, que sustentam o projeto humano e o ciclo encarnacional de vocês na Roda de Samsara na fisicalidade material e etérica. Esses corpos são conhecidos como Átmico, Búdico, Causal, Mental Superior, Mental Inferior, Astral, Emocional, Duplo Etérico e Físico. Eles são freqüências energéticas sutis do corpo físico material e a base estrutural das diversas densidades e dimensões, nos quais operam as trocas de energia do corpo humano e de material genético, o que pode ser simplificado como campo eletromagnético do ser humano.


O universo é estruturado e composto de acordes harmônicos, da mesma forma que uma sinfonia musical o é. Sendo assim, ele se propaga por ondas de energia harmônica e tudo o que está contido nele deve se manifestar dentro dessa tônica de energias e freqüências, que é por onde ocorre a troca de energias da mesma sinapse e o fluxo de vida de Deus, ou FONTE QUE TUDO É. Portanto, partindo desse princípio inviolável do universo tudo o que é realizado com harmonia possui a tônica do amor, e este amor é a fonte da vida universal, por onde o que vocês acreditam ser Deus expressa a sua magnitude e perfeição.

O gradiente de amor e de energia dedicados a um projeto atua diretamente na estrutura molecular e nos elementais atômicos que fazem parte da matéria que será utilizada no mesmo. Ou seja, toda a matéria física ou telúrica, envolvida em qualquer dimensão ou densidade, está sujeita a mesma lei universal do amor e da harmonia.

Estamos abordando este livro por esse ponto de vista, para que vocês entendam que a questão das crianças especiais, sejam elas índigos ou qualquer outra qualificação que vocês tenham recebido, é vaga e infundada. Justamente, para
desviar a atenção de fatos mais importantes, como por exemplo, a relação que
vocês desenvolvem com essas crianças.


Primícias para um ser especial



O que temos para dar início a classificação parte de um ponto primordial que é o amor, sendo que este é o primeiro aspecto
delicado a ser tratado. Quando um ser é gerado com amor, o potencial vibracional de suas moléculas serão equivalente à taxa dessa energia que está inserida no momento da fecundação do óvulo, que deve estar nutrido de amor verdadeiro e de coesão de alma perfeitas. Não apenas da atração sexual que é o que movimenta a maioria dos casais.

Quando um casal realmente se ama e possui a consciência espiritual, sabe o momento da concepção de uma criança, pois ambos estão conectados pela energia da alma superior e da linha energética que os une entre os seus Eu Superiores e a linha energética de suas Mônadas. Esse fato gera a condição natural de que os filhos desse casal estejam também, interligados pelo aspecto sincrônico da Mônada dos pais e da linha energética do Eu Sou. O que gera uma ligação direta com uma grande família espiritual de magnitude superior.

Algo que podemos afirmar não ser muito comum dentro de vossa sociedade é essa união familiar de ordem espiritual. Na maior parte dos casos são uniões temporárias, relativas a pendências cármicas como vocês tem aprendido. Uma união com os parâmetros espirituais que estamos colocando parte de um projeto no nível de missão e compromisso espiritual. A partir desse ponto, podemos gerar uma classificação dos diferentes patamares deenergia para essas crianças com seus genomas diferenciados.

Quando um casal, que possui uma ligação verdadeira de alma, se une e gera uma fecundação de forma consciente, eles
estão doando o seu potencial espiritual somado ao alinhamento dos nove corpos que cada um pode sincronizar, dentro do campo eletromagnético terrestre. Isto, por sua vez, permite através do fluxo de energia da coluna o alinhamento e
direcionamento de um material genético suplementar, de cargas espirituais superiores à média. O que torna possível a conexão e alinhamento dos 32 corpos do casal, totalizando 64 chaves freqüenciais, que são abordadas na Cabala e no
Calendário Maia.

Essa freqüência unida à energia do X e do Y da gama cromossômica, permite o alinhamento de 66 freqüências que são diretamente responsáveis pela linha de 33 x 2, que é o caminho de Cristo. Isso permite que o potencial espiritual da nova alma atinja, dentro do campo vibracional durante a fecundação num período de cerca de oito horas, a chave máxima de potencialidade de precipitação de todas as qualidades energéticas da Mônada, da alma e do Eu Sou dessa criança.

Durante a fecundação o potencial do casal será utilizado de forma a moldar um processo profundo de otimização do material genético de ambas as partes, somado ao registro pessoal da alma da nova criança. Esse registro possui as informações de encarnações anteriores à Terra, ou da Mônada que essa criança já tenha manifestado em realidades paralelas. Em outras palavras, essa criança pode nunca ter nascido aqui, mas sim outras partículas dela, deixando seus registros e experiências no banco de dados da Mônada, que será utilizado por essa alma nessa nova proposta missionária
encarnacional.

Dentro dessa descrição temos o caso de crianças que podem ser classificadas como avatares e missionárias de primeira
linha pelo processo biológico convencional terrestre, que se aplica à concepção sexual entre um homem e uma mulher. O que exclui os casos de abdução, que tem gerado muitos seres com elevado potencial, como os incluídos no padrão de
entrantes ou de transmigrados, como veremos no decorrer deste livro.



Considerações importantes para todos os tipos de crianças

Alertamos que essas crianças podem ser desviadas de seu propósito divino pelas forças sinistras em vários momentos de
sua jornada, seja durante o período infantil ou adolescente. As drogas, sexualidade, mídia e toda a forma de manipulação para baixar o padrão emocional e o gradiente intelectual são ferramentas que tem sido utilizadas para desviá-las
do seu propósito original. Como nem todas possuem no momento do nascimento e do crescimento a memória cósmica, ficam a mercê da educação de seus pais, o que se torna um grande risco, pois poucos estão realmente preparados para educá-las e entendê-las.


Outro fator importante que deve ficar claro é que quando os pais foram adeptos de drogas de qualquer tipo e demais produtos que são cumulativos no registro do DNA, esse tipo de material permanece inserido no genoma dos pais e compromete por completo o desenvolvimento genético de seus filhos. Portanto, para aqueles que foram ou que são adeptos desse tipo de comportamento e acreditam que possuem filhos com genoma especial, entendam que isso é uma farsa e não pode ser verídico, devido ao padrão de energia que existe dentro dessas drogas e do campo telúrico que as mesmas possuem, relacionadas as esferas umbralinas.


Deve ficar claro para vocês que esse tipo de produto foi criado pelos grupos negativos e sinistros da humanidade, que já
eram anjos caídos no passado. Substâncias que foram criadas para aprisionar as pessoas ao baixo astral e para tirar o poder divino de seus usuários. Mesmo quando uma pessoa suspende a utilização dessas substâncias, sua energia ainda
persiste por anos nos corpos sutis e no próprio registro sangüíneo. Esse fator compromete a qualidade e o próprio material genético das crianças que venham a ser geradas, mesmo que elas se enquadrem no padrão genético moderno de crianças
especiais.

Se o material genético dos progenitores está contaminado, certamente o de seus descendentes também estará, portanto,
entender isso é fundamental para o estudo que é apresentado na continuidade. Vocês não estão na Terra para competir quem possui o melhor filho da Nova Era, mas sim, para entender que cada um deles tem um enorme trabalho para ajudar a
humanidade e necessitam do vosso apoio e atenção.

Outro fator que deve ser considerado é com relação à alimentação dos pais, que também interfere no processo das cadeias
moleculares no período da gestação. Vocês devem ter uma alimentação de boa qualidade, eliminando todo tipo de refrigerantes, açúcar refinado, fumo, drogas, gorduras trans e outros tipos de produtos industrializados que dificultam a livre troca de energia sutil e harmônica. Sabemos que esse assunto é complexo, pois passa pela questão da nutrição e dos valores filosóficos de vegetarianos e carnívoros. No entanto, todas as linhas de alimentação possuem o
de boa qualidade e o de má qualidade, é nisso que estamos nos baseando, para que entendam a responsabilidade que cada um de vocês possui e tem para com os seus descendentes. Na vossa alimentação existem inúmeros conservantes e
derivados do anel de benzeno, que são extremamente tóxicos e cumulativos na corrente sangüínea dos humanos , e que acabam por ser transferido para seus descendentes.


A orientação sexual dos pais também compromete por completo o desenvolvimento dessas crianças, assim como a orientação que será dada a elas. Vocês sabem que o sexo tem sido desvirtuado pela mídia como uma forma de controle emocional e psíquico da humanidade. A pornografia existe para desviá-los de sua trajetória e em outro aspecto mais profundo, para remover de vocês a divindade do sexo. Assim, os seus filhos herdam esse tipo de condição psíquica da sexualidade e podem ser, com base nisso, vulneráveis a ataques desse tipo de energia na faixa dos 9 aos 17 anos. O que já demonstrou ser um caminho comum para desviar essas crianças de sua trajetória harmônica.



Os videogames e similares também possuem uma energia de desvio e de controle do mental dessas crianças, que em conjunto com a alimentação, bebida, sexo e drogas são hoje responsáveis pela queda de cerca de 63% do total dessas crianças nos últimos 15 anos. Portanto, amados filhos, o que temos aqui é algo bem diferente ao que se propaga na mídia dos internautas e dos egocêntricos, que acabam por desvirtuar a verdade dos fatos.


Outro aspecto a ser abordado é o alto índice de contaminação por protozoários em crianças nos grandes centros urbanos. Essas crianças, que são portadoras de diversos protozoários, larvas, e similares, acabam por ter um comportamento de irritabilidade e atividade acima da média, o que é normalmente confundido com Índigos. Ou seja, o comodismo faz com que os pais prefiram acreditar que seus filhos são portadores de uma dádiva desse tipo e não se preocupam com a saúde dos mesmos. Além do fato que, atualmente, é mais status ter um filho Índigo do que se preocupar com uma educação que seja adequada ao mesmo. É mais fácil largá-lo na rua e deixar que a esta lhe ensine o que deveriam os pais realizar. É comum o
problema da transferência de responsabilidades, na qual os pais acham que aescola tem que dar educação, algo que se sabe que cabe aos progenitores, que legalmente são responsáveis por esse quesi to tanto na questão terrestre quanto na espiritualidade.



Este texto é parte integrante do livro FILHOS DAS ESTRELAS - CRIANÇAS DA NOVA ERA (Shanthar Editora, 2008) de Rodrigo Romo.
[b]
avatar
ஐRαiø dє łuαrஐ
Admin

Mensagens : 104
Data de inscrição : 31/10/2010

Ver perfil do usuário http://sabedoriadivina.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VISÃO ESPIRITUAL NA SEXUALIDADE

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum