HISTÓRIAS APÓCRIFAS

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

HISTÓRIAS APÓCRIFAS

Mensagem  rosiana em Qua 01 Dez 2010, 10:13 am

Olá, estou abrindo esse tópico por não ter outro relativo; nem sei se o título é correto, aceito sugestões Laughing
Se acharem que a história se enquadra em algum já aberto, fiquem a vontade pra transferir.
Namastê Like a Star @ heaven




Jesus e Alker


Um jovem hindú praticante das filosofias budistas vivia nas altas montanhas na Índia oriental. O seu nome era complexo, pois baseava-se na construção tradicional de «filho de Alkermaha». Por isso era conhecido por 'Alker'. Dedicava-se a ensinar às crianças os princípios básicos do budismo, em várias aldeias das montanhas natais.


Vindo de uma família da Índia oriental, Alker aprendera e sabia ouvir os mais velhos, que diziam que iria aparecer na Galileia um profeta; uma pessoa que traria novas informações a quem o quisesse ouvir. E que visitaria a Índia.

Jesus, antes dos seus 3 últimos anos de vida, viajara pelas montanhas do Oriente, durante vários anos a receber informações, a constatar que a Vida tinha que ser outra. Foi nesta viagem que o jovem 'Alker' conheceu o profeta nas montanhas geladas indianas. Foi uma das pessoas que se apaixonou pela forma como Jesus enunciava as suas palestras e passava a sua mensagem. Como os livros hoje nos contam, Jesus foi professorar e estudou na Índia, principalmente as histórias dos Vedas e as filosofias budistas.


Esse contacto foi emocionante e decisivo para a vida do jovem Alker. O contacto com Jesus provocou-lhe um impacto muito emotivo; naquele momento, encontrou a sua chave de vida. E nunca mais o largou, acompanhou-o sempre! Não era um criado, pois Jesus não tinha posses para pagar a ninguém. Era um acompanhante. Uma pessoa com quem Jesus falava muito. Antes até de, mais tarde, terem surgido os Apóstolos.

Alker era um homem culto, conhecedor, um sábio apesar de jovem, um homem que, depois, foi ocupando o papel de um servidor pessoal de Jesus. Estava, simplesmente, ao Serviço. Mas, lembremo-nos, que, na Índia, o Alker era um homem de fé. Após ter contactado com o mestre Jesus, decidiu segui-lo definitivamente e essa fé tomou outros contornos mais precisos. Foi como se Jesus o tivesse iniciado no Amor e ele, como discípulo, à boa maneira indiana, seguiu-o, serviu-o, conviveu com o mestre.

Nessa altura, Jesus andou também por outras paragens. Foi um tempo deambulações, de preparação para a sua vida pública, na Judeia. Foi um tempo de deixar a semente em vários pontos do mundo oriental. Alker acompanhou-o sempre. Era um amor incondicional, aquele que o jovem budista Alker sentia e por isso acompanhou sempre Jesus, até à sua morte. Hoje, em linguagem moderna, dir-se-ia que o seu vínculo e a sua conexão estavam intimamente ligadas à energia de Sananda.

Alker foi uma das muitas pessoas que se apaixonou pela forma como Jesus enunciava as suas palestras e passava a sua mensagem. A sua atribuição mais física no entorno de Jesus, era uma daquelas pessoas que não sendo um dos Apóstolos, tinha o papel de levar o pão e o vinho a Jesus quando havia as reuniões. Actos simples mas sagrados e que só pessoas de confiança poderiam executar. A parte mais intelectual da convivência entre ambos residia nas longas conversas havidas para aprofundarem os pontos de união muito fortes que Jesus possuía com a filosofia budista, linha judaica, a espiritualidade e o Pai.


Jesus, como homem, tinha uma postura impressionante; não precisava falar. A aura de energia à sua volta era tão grande que, quando entrava, tudo se harmonizava e silenciava. Isso aconteceu em todas as viagens que Jesus e os seus Apóstolos fizeram, acompanhados do seu séquito pessoal. Foi assim que Alker manteve uma conexão profunda com a energia de Jesus, hoje conhecido como Sananda.


Muito, muitos e muitos anos depois, Alker, já então muito idoso e a viver de novo nas montanhas da Índia, soube a que ligação a Jesus era bem anterior ao seu primeiro contacto físico, pois este budista estivera em contacto com Micah, em estado não corpóreo, para aprender como formatar a energia do Eu Superior. Sendo Jesus, uma auto-emanação de Micah, fazia sentido que estas almas estivesses destinadas a se encontrarem e a estarem ligadas a quando da auto-outorgação de Micah, na pessoa do bebé Jesus da Nazaré.

(por Antonio Rosa)
avatar
rosiana

Mensagens : 65
Data de inscrição : 05/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

RE:HISTÓRIAS APÓCRIFAS

Mensagem  Convidad em Qua 01 Dez 2010, 8:41 pm

Olá querida!! acho que o nome que você colocou, é bem apropriado ao assunto que se destina.
Quanto a abertura, está certa sem dúvida não há outro com esse tema.
Bela postagem
!! Grata.
Beijos.
flower I love you Arrow

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum